RSS

Arquivo mensal: janeiro 2012

Integração de serviços é desafio na terceirização de TI

AppId is over the quota
Contratos de TI e BPO que valem menos de US$ 100 milhões causam dor de cabeça para os CIOs, que têm de lidar com múltiplos fornecedores de outsourcing.

A análise do setor de terceirização no ano passado revela a continuação de uma década de declínio desse tipo de serviço. Enquanto o número de megaofertas e contratos tem-se mantido relativamente estável desde 2002, aqueles avaliados em 100 milhões de dólares, ou menos, mais do que triplicaram, segundo dados trimestrais da consultoria de outsourcing Information Services Group (ISG).

A mudança para negócios menores de serviços de TI vem acontecendo há vários anos, sendo que contratos na casa dos 100 milhões de dólares são responsáveis por 70% do mercado de terceirização desde 2009, de acordo com a ISG. Enquanto a contratação em TI em 2011 aumentou 8% sobre o ano anterior e até 86% desde 2005, os valores totais dos contratos diminuíram ligeiramente ano a ano e o total para todo o ano deverá girar em torno de 66 bilhões de dólares, representando declínio de 6% ao longo de 2010.

Em outsourcing de processos de negócios (BPO), a preferência de ofertas menores tem saltado. “As organizações têm sido mais cautelosas ao adotar estratégias emergentes de BPO enquanto esperam para ver se a qualidade e a capacidade do provedor estão realmente lá, como prometido”, diz John Keppel, sócio e presidente de Pesquisa e Serviços Gerenciados da ISG.

Não são apenas usuários novos ou menores de terceirização que estão optando por contratos menores. Em 2004, o percentual das empresas que fazem parte da Fortune Global 2000 que buscavam contratos de TI era abaixo de 69% [em volume de contratos]. Hoje, o número caiu para 44%, mostrando que companhias estão cada vez mais assinando contratos menores.

Os dados ressaltam a ampla adoção da abordagem multisourcing à medida que o mercado de terceirização amadureceu e prestadores de serviços de TI especializados em indústrias têm surgido, acrescenta Keppel. Essa abordagem best-of-breed pode gerar várias vantagens, incluindo permitir que as organizações estabeleçam competitividade interna, possibilitando a introdução gradual de novos fornecedores, e eliminando a dependência de um fornecedor único.

“A dinâmica competitiva ajuda os prestadores a ganhar o direito de fazer negócios e um fornecedor pode ser avaliado e experimentado em funções menos críticas antes de contratar uma fatia maior de negócios”, diz Keppel.

Mas o modelo continua a ser um problema para as organizações de TI gerenciar. De acordo com Keppel, várias questões formam esse cenário:

Delimitação pouco clara de responsabilidades: com pouca clareza em torno das responsabilidades end-to-end, em caso de problemas nos níveis de serviço, o prestador acaba apontando o dedo para o cliente e o cliente faz o mesmo. Com isso, o cliente acaba consumindo muito tempo para solucionar a questão.

Falta de colaboração do fornecedor: barreiras de cooperação entre os provedores de outsourcing, como preocupações sobre a propriedade intelectual, podem frustrar os esforços de inovação.

Desafios contratuais: com as melhores práticas em contratos para multisourcing ainda em fluxo, a linguagem jurídica de muitos documentos deixam os clientes com dúvidas ou ainda fazem acordos de níveis de serviços que não vão ao encontro das necessidades das companhias.

Governança: como o cliente passa a responsabilidade dos serviços para múltiplas organizações de governança, administrar diferentes contratos está-se tornando uma tarefa trabalhosa na gestão do dia a dia.

Desafios de gestão deram origem ao chavão mais recente do outsourcing: integração de Serviços. Basicamente, isso significa coordenar e consolidar serviços de múltiplos contratantes para fornecer um serviço end-to-end que atenda aos objetivos de qualidade, desempenho e custo.

Consultorias de TI e provedores de terceirização podem oferecer a integração de serviços. Mas os clientes maduros de terceirização também podem desenvolver capacidades internas para gerenciar múltiplos fornecedores de serviços de TI. Os elementos-chave da governança multisourcing incluem definição clara dos papéis e responsabilidades, métricas comuns e apresentação de relatórios, ferramentas de gestão compartilhada, planejamento de gestão de risco e incentivos de colaboração.

Se tal disciplina é fornecida em casa ou por um terceiro, o importante é saber que se trata de uma necessidade, diz Keppel. Segundo ele, todos os sinais apontam para multisourcing, sendo os modelos information technology outsourcing (ITO) e BPO os dominantes em um futuro próximo. “O desenvolvimento de centros de excelência para o abastecimento e gestão de serviços, e a terceirização de alguns dos elementos centrais de controle de provedor, agora são componentes-chave de abordagens best-of-breed para toda a empresa de terceirização”, finaliza Keppel.

View the original article here

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 31 de janeiro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , ,

Apple libera o iTunes u

Durante o evento de educação da Apple, que aconteceu nessa quinta-feira (19/1), Eddy Cue e Jeff Robin, executivos da empresa, apresentaram o aplicativo iTunes U, uma nova maneira para estudantes e professores gerenciarem o material utilizado em sala de aula no iPad, iPhone ou iPod Touch.

Além do player da companhia fornecer acesso ao conteúdo disponível na seção iTunes U da iTutunes Store, ele também proporciona maneiras para professor e aluno interagirem. A interface de abertura parece muito com a do aplicativo iBooks, da Apple, com uma estante que exibe ícones com diferentes disciplinas.

Ao tocar em uma delas, é exibida uma lista de tópicos à esquerda, e neles os professores podem postar notas, resumos e tarefas para a sala, e os estudantes recebem notificações quando há novas postagens. Com essas listas no iTunes U, os alunos podem marcar quando uma tarefa é concluída.

O app também permite que ele seja operado com outras mídias: um professor pode pedir aos estudantes para que leiam certos textos, com links que dão acesso à iBookstore ou outras fontes, ou ainda escolher vídeos para que os estudantes vejam, seja via streaming ou baixados para o dispositivo iOS, para que possam ser vistos mais tarde.

A aba Notes no aplicativo é um local no qual anotações de todos os seus textbooks e cursos são reunidas. É parecido com o recurso da nova versão do iBooks, anunciado no mesmo dia. Já em Material, o app coleta todos os materiais relacionados à disciplina, que incluem áudio, vídeo, livros, PDFs, documentos do Pages, apresentações do Keynote e outros apps. Todo o material pode ser obtido através do iTunes U.

itunesu01.jpg

iTunes quer levar a sala de aula para qualquer lugar do mundo

De acordo com a Apple, estudantes podem acessar cursos do iTunes U e seus respectivos materiais completos de qualquer lugar do mundo. Antes do lançamento, apenas alunos que estivessem na sala de aula naquele momento podiam usufruir do conteúdo do iTuens U.

“O novo iTunes U permite aos estudantes, de qualquer lugar, acessar cursos inteiros das universidades de grande prestígio”, apontou Cue, vice-presidente sênior de Software de Internet e Serviços, em uma declaração disponibilizada pela companhia. “Nunca antes os educadores puderam oferecer cursos de uma maneira tão inovadora, permitindo que qualquer pessoa que esteja interessada em um tópico em particular possa aprender de qualquer lugar do mundo, não apenas na sala de aula”.

O iTunes U, frisou Cue, fornece o maior catálogo de conteúdo educacional gratuito do mundo, com mais de mil universidades utilizando o app para fornecer conteúdo educacional.

A Apple disponibilizou também diversos recursos web para os professores interessados em criar e distribuir cursos através do iTunes U, que pode ser acessado a partir de um portal específico (por enquanto, ainda não possui uma opção para os professores brasileiros, apesar do site estar em português). O endereço possui diversos links a respeito do funcionamento do serviço, além de uma comunidade de suporte, na qual os docentes podem fornecer feedback e discutir entre si.

A Apple oferece uma ferramenta web chamada iTunes U Course Manager, que fornece instruções sobre como criar o curso, além de materiais que podem ser enviados e hospedados pela Apple.

O aplicativo iTunes U é gratuito e já está disponível na iTunes Store.

itunesu02.jpg

Plataforma é o maior catálogo de conteúdo educacional gratuito do mundo, garantiu executivo

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de janeiro de 2012 em eletrônicos, Mac, Tecnologia

 

Tags: , ,

App da Turma da Mônica é o mais baixado pelos brasileiros para iPad

AppId is over the quota

Como você ficaria se ganhasse uma versão feita pelo desenhista Mauricio de Sousa? Pois basta baixar o novo aplicativo Quero ser turma da Mônica para ter uma ideia.

O software, lançado no dia 12/1, já é o programa gratuito mais baixado pelos brasileiros para iPad e ocupa o segundo lugar na lista dos programas preferidos para iPhone.

Depois de fazer o download, basta escolher os itens que mais se parecem com você, entre opções de cabelo, olhos, boca e altura, entre outras características físicas, além de tipo de roupa e acessórios mais adequados.

Criado o seu avatar, é hora de escolher um fundo para a imagem e  compartilhar o resultado nas redes sociais, já que o programa tem integração com Facebook, Orkut e Twitter.

turmadamonica390

Quero ser Turma da Mônica: aplicativa gratuito cria avatar

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de janeiro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Android deve ultrapassar o iOS e assumir a preferência dos desenvolvedores

AppId is over the quota

O sistema operacional Android deve tomar o lugar do iOS, da Apple, como plataforma favorita dos desenvolvedores de aplicativos até o final deste ano, de acordo com um relatório da Ovum.

A empresa de análises divulgou ontem (23/01) um estudo que sobre as tendências de desenvolvimento de aplicativos, no qual também afirma que a parceria da Nokia com a Microsoft para produzir aparelhos com sistema operacional Windows Phone 7 deve aumentar o interesse por essa plataforma.

“A crescente atenção ao Windows Phone indica que a Microsoft conseguiu convencer os desenvolvedores de que a plataforma vale o investimento; o desafio agora é persuadir os consumidores”, afirmou o chefe de práticas de dispositivos e plataformas da Ovum, Adam Leach.

Entretanto, não são apenas os sistemas que vêm ganhando mais atenção. O HTML5 está se tornando mais popular, mesmo que os desenvolvedores tendam a se ater aos canais específicos de uma plataforma, como o Android Market, para vender seus produtos.

“O sucesso de uma plataforma para smartphones é ditado não apenas pela atração dos clientes e o apoio de fabricantes de celulares e operadoras de telefonia, mas também por uma economia saudável de aplicativos oferecidos por terceiros. Portanto, é importante que todos os competidores entendam as escolhas que os desenvolvedores estão fazendo e o impacto que terão no futuro”, declarou Leach.

Apesar de o iOS estar perdendo popularidade entre os desenvolvedores, ele está se mostrando mais popular que os rivais no mundo dos negócios, segundo estudo da consultoria Checkpoint.

Mais de 750 profissionais de TI dos Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Alemanha e Japão foram entrevistados pela CheckPoint. O relatório afirma que 30% dos dispositivos móveis conectados às redes corporativas tinham sistema iOS, em comparação com 29% com o sistema BlackBerry, 21% celulares Android, 18% Windows Phone ou Windows Mobile e apenas 3% tinham sistema Symbian.

View the original article here

 
2 Comentários

Publicado por em 1 de janeiro de 2012 em eletrônicos, Mac, Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Como ajustar as atualizações de software no Mac OS

AppId is over the quota

Para quem ainda não conhece, a Apple distribui updates para o Mac OS X e alguns de seus aplicativos (como iLife e Safari) por meio de um recurso no sistema operacional chamado Software Update (Atualização de Software).

Para rodar o serviço, clique no menu da Apple e selecione Software Update. Pode levar um ou dois minutos para esse recurso rodar – um pouco mais se existirem atualizações disponíveis para serem baixadas e instaladas. Você pode precisar reiniciar seu Mac, então é uma boa ideia rodar o Software Update quando não estiver fazendo mais nada. Você tem a opção de cancelar se estiver no meio de alguma tarefa.

Por padrão, o Software Update roda automaticamente uma vez por semana. Você pode mudar essa frequência, ou até mesmo desabilitá-la – as configurações para o Software Update (para o Lion e Snow Leopard) são encontradas nas Preferências de Sistema (System Preferences); o ícone do serviço pode ser encontrado na seção Sistema (System). Veja abaixo como personalizar o Software Update.

Passo 1: Qual a frequência?
Quando você abre a preferência de sistema Software Update, ela abre a seção Verificar Agendamentos (Scheduled Check). Aqui, você pode realizar uma verificação manual por updates ao clicar no botão Verificar Agora (Check Now).

Abaixo disso é onde você pode configurar a frequência automática para o Software Update. No Lion, se as configurações estiverem ocultas, você tem de clicar no padlock no canto inferior esquerdo, e então verá um alerta onde você deve digitar sua senha.

updatemacosx01.jpg

 A preferência de sistema Software Update é igual no Lion e no Snow Leopard, com exceção do cadeado presente apenas no Lion

Para ter o Software Update rodando automaticamente, clique na opção Verificar por Update (Check for Updates). No menu pop-up, selecione Diariamente (Daily), Semanalmente (Weekly), ou Mensalmente (Monthly). Lembre-se que você sempre pode rodar o Software Update quando quiser, seja pelo caminho para o recurso ( Software Update) ou ao clicar no botão Verificar Agora, localizado na preferência de sistema Software Update. Se você não quer que o Software Update rode automaticamente, desmarque essa opção.

Passo 2: Configurações automáticas
Quando estiver selecionando a opção Verificar  Updates, aparecerá a configuração abaixo. Esse ajuste permite que o seu Mac baixe os updates automaticamente sempre que houver atualizações disponíveis.

updatemacosx02.jpg

O Software Update te alertará quando houver atualizações disponíveis

Se você decidir não ativar esse recurso, mas continuar com as verificações automáticas por updates ativas, então o Software Update dirá quais as atualizações disponíveis, e você terá a opção de ver uma lista de updates, para adiar as atualizações, ou ir em frente e instalá-las.

Passo 3: Softwares Instalados
Na preferência de sistema Software Update, há uma segunda seção chamada Softwares Instalados (Installed Software). Isso fornece uma lista de programas que foram atualizados por meio do serviço para sua referência. Não há configurações nessa seção para serem alteradas.

Quando você tiver terminado, trave o cadeado no canto inferior esquerdo ao clicar nele, e feche o painel de preferências.

updatemacosx03.jpg

 É possível visualizar quais programas já foram instalados pelo Software Update

Outras atualizações
Se você comprou um aplicativo de terceiros na Mac App Store, use a loja de aplicativos para receber as atualizações. Outros apps permitirão que você verifique updates por meio do próprio programa, seja pelas preferências do software ou por uma seleção no menu.

View the original article here

 
 

Tags: , ,