RSS

Arquivo da tag: virtual

Governo dinamarquês lança cópia virtual do país em ‘Minecraft’

O governo da Dinamarca criou uma versão virtual do país em escala real no game “Minecraft”. O objetivo foi permitir um passeio virtual pelo território usando o game que permite construir qualquer coisa no mundo feito de blocos, permitindo que os visitantes conheçam a geografia do local. Assista ao vídeo ao lado.

A agência de dados geográficos dinamarquesa usou uma grande quantidade de dados coletados sobre a geografia do país para criar a versão virtual que inlcui montanhas, casas, estradas, parques, etc.

O projeto pode ser acessado gratuitamente por meio do jogo e tem como foco atrair jovens para conhecer a geografia dinamarquesa e o planejamento urbano do país. O download do mapa para o game pode ser feito por meio deste link (acesse aqui) ou por meio do servidor que a Dinamarca montou para disponibilizar a versão “Minecraft” do país (acesse aqui), embora tenha limite de acesso para 70 pessoas simultâneas. Os sites também estão no idioma dinamarquês.

Governo da Dinamarca cria versão virtual do país dentro de 'Minecraft' (Foto: Divulgação/Governo da Dinamarca)Governo da Dinamarca cria versão virtual do país dentro de ‘Minecraft’ (Foto: Divulgação/Governo da Dinamarca)

View the original article here

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , ,

Sony revela Project Morpheus, óculos de realidade virtual do PS4

Project Morpheus é projeto de óculos de realidade virtual da Sony (Foto: Jeff Chiu/AFP)Project Morpheus é projeto de óculos de realidade virtual da Sony (Foto: Jeff Chiu/AFP)

O PlayStation 4 irá ganhar óculos de realidade virtual, acessório que tentará trazer mais imersão para os jogadores nos games. O anúncio do aparelho da Sony foi feito durante a feira Game Developers Conference (GDC), voltada para desenvolvedores de jogos, que acontece até sexta-feira (21) em San Francisco, nos Estados Unidos.

Shuhei Yoshida, presidente dos estúdios globais da Sony. apresenta o Project Morpheus (Foto: Jeff Chiu/AFP)Shuhei Yoshida, presidente dos estúdios globais
da Sony, apresenta o Project Morpheus
(Foto: Jeff Chiu/AFP)

Chamados de Project Morpheus e em desenvolvimento desde 2010, os óculos são uma tentativa da Sony de entrar em uma área dos games que voltou a ganhar força nos últimos anos principalmente com o Oculus Rift, dispositivo que já possui apoio de diversos estúdios e produtoras.

O aparelho tem um visor com resolução Full HD (1080p) e, quando ligado, exibe uma luz de LED azul. A empresa diz que será confortável usá-lo, mesmo para quem usa óculos. O sistema acompanha o movimento da cabeça do usuário e transmite a sensação de estar realmente olhando para um ambiente virtual.

O Project Morpheus também utiliza outras tecnologias menos populares da família PlayStation, como os controles sensíveis a movimentos PlayStation Move e a câmera PlayStation camera, usada para capturar mais movimentos dos jogadores. Em uma das demonstrações, feita em parceria com a Nasa, o jogador caminhava pela superfície de Marte e utilizava todos os acessórios em conjunto.

Estúdios como Epic Games (de “Gears of War”) e Crytek (de “Crysis” e “Ryse”) já estão desenvolvendo títulos que usarão os óculos. O estudio Sony London, da própria empresa, trabalha em um jogo de ação submarina chamado “The Deep”. Games como “Thief”, lançado recentemente, terão uma versão compatível com o Project Morpheus.

Não há previsão de lançamento dos óculos, que devem ganhar um nome comercial até sua chegada às lojas. Mais detalhes sobre o aparelho devem ser anunciados pela Sony na feira E3, que acontece em junho.

Yoshida apresenta o Project Morpheus (Foto: Jeff Chiu/AFP)Yoshida apresenta o Project Morpheus (Foto: Jeff Chiu/AFP)

View the original article here

 
1 comentário

Publicado por em 20 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Final brasileira de torneio de futebol virtual acontece neste sábado em SP

Rogério Ceni, do São Paulo, cobra falta em imagem de 'PES 2014' (Foto: Divulgação/Konami)Rogério Ceni, do São Paulo, cobra falta em
imagem de ‘PES 2014’ (Foto: Divulgação/Konami)

Os 32 melhores jogadores do game de futebol “Pro Evolution Soccer 2014” do Brasil irão disputar a final nacional da Copa PlayStation, competição de futebol virtual, que acontecerá na cidade de São Paulo neste sábado (15).

A copa, organizada pela Confederação Brasileira de Futebol Digital e Virtual (CBFDV), será realizada no Shopping Eldorado, na capital paulista, a partir das 10h da manhã e dará ao campeão uma vaga no torneio internacional de “PES 2014”. O segundo colocado receberá um televisor de 40 polegadas e um console PlayStation 3, enquanto o terceiro ganha um PlayStation Vita.

Para selecionar os finalistas foram dez etapas em oito estados: Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

A final brasileira será disputada num sistema de quatro grupos, com oito participantes, cada um seguindo por fases eliminatórias até a grande decisão para definir o representante brasileiro no mundial. O videogame escolhido é o PlayStation 3.

Serviço
O que é: Final Nacional Copa PlayStation;
Quando: 15 de março;
Onde: no Shopping Eldorado, em São Paulo – Av. Rebouças, 3970 – Pinheiros;
Horário: a partir das 10h;
Quanto: a entrada é gratuita;
Mais informações: no site oficial (acesse aqui).

Os 32 finalistas que participarão da Copa PlayStation (Foto: Divulgação/CBFDV)Os 32 finalistas que participarão da Copa PlayStation (Foto: Divulgação/CBFDV)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 13 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , , ,

Nintendo tira loja virtual do ar para sanar falha em rede on-line de game

A Nintendo resolveu tirar do ar sua loja on-line Nintendo eShop a partir das 19h desta sexta-feira (27) com o objetivo de reparar uma falha que derrubou a rede de games on-line nos Estados Unidos e no Canadá. Como a interrupção vai demorar 12 horas, segundo a empresa, o sistema deve ser restabelecido às 7 deste sábado.

“Devido ao grande volume de tráfego no serviço Nintendo Network, os usuários podem ter problema ao criar um Nintendo Network ID e fazer download de conteúdo pelo Nintendo eShop do Nintendo 3DS”, informou a companhia japonesa ao G1.

“Em um esforço para aliviar o alto volume de tráfego e melhorar a experiência, temporariamente estamos tirando os serviços do Nintendo eShop do ar”, afirmou.

Com isso, os jogadores estão impossibilitados de transferir arquivos entre diferentes sistemas do 3DS ou fazer download de conteúdo para o console

Segundo a empresa, os jogadores estão levando mais tempo do que o esperado para criar perfis na rede on-line ou para baixar conteúdos para seus consoles portáteis.

A instabilidade levou a empresa a adiar o lançamento dos aplicativos “Pokemón Bank” e “Poké Transporter” para o portátil 3DS, que estavam previstos para esta sexta-feira (27).

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de janeiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

57% dos usuários de smartphone no Brasil foram vítimas de crime virtual

Uma pesquisa divulgada pela fabricante de antivírus Norton, a Symantec, afirma que 57% dos usuários de smartphones no Brasil foram vítimas de crimes virtuais nos últimos 12 meses. O estudo chamado de Norton Report 2013 ainda afirma que 60% dos internautas do país, um total de 22 milhões de pessoas, também foi vítima de crimes na internet no período.

O estudo afirma que o custo líquido destes crimes cibernéticos nos últimos 12 meses foi de R$ 18 bilhões.

Mesmo com o alto número de ataques, 49% dos usuários de smartphones e 61% dos que usam tablets no Brasil afirmaram ter um sistema de segurança on-line instalado nos equipamentos. O problema, aponta o estudo, é que 58% usa o aparelho pessoal (tablet ou smartphone) para trabalho e diversão, permitindo que um hacker possa usar programas maliciosos para roubar dados pessoais ou informações da empresa para qual o usuário trabalha.

39% dos entrevistados disseram que não apagam e-mails suspeitos de pessoas que não conhecem e 61% disse utilizar redes Wi-Fi públicas ou inseguras.

A Symantec afirma que entrevistou em um questionário on-line mais de 1 mil internautas brasileiros entre julho e agosto de 2013.

“Atualmente, os cibercriminosos utilizam ataques mais sofisticados, como o ‘Ransomware’ e ‘Spear-phishing’, que são muito mais lucrativos”, diz Steve Trilling, diretor de tecnologia da Symantec. “De acordo com os resultados do Norton Report 2013, 49% dos consumidores usam seus dispositivos móveis pessoais para trabalho e lazer, o que permite e potencializa novos riscos de segurança para as empresas já que potencializa o acesso dos cibercriminosos a informações ainda mais valiosas.”

View the original article here

 
1 comentário

Publicado por em 4 de outubro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,

Imenso herbário virtual leva flora brasileira para a internet

Imenso herbário virtual leva flora brasileira para a internet (Foto: Reprodução/Reflora)Imenso herbário virtual leva flora brasileira para
a internet (Foto: Reprodução/Reflora)

A exuberante flora brasileira está ao alcance de todo o mundo a partir de domingo (29) graças a um herbário virtual com centenas de milhares de imagens em alta resolução. O acervo está aberto à edição para pesquisadores, no mais puro estilo “wiki”.

O herbário, disponível gratuitamente na internet, é composto por 420 mil fotografias de plantas prensadas e desidratadas, muitas delas colhidas por naturalistas europeus nos séculos XVIII e XIX. Acesse aqui.

A coordenadora do projeto, Rafaela Campostrini Forzza, explicou à EFE que a pesquisa no herbário virtual pode contribuir para conhecer melhor a flora brasileira, fomentar sua conservação e solucionar dúvidas sobre a distribuição geográfica de cada espécie vegetal, pontos que ainda se sabe pouco por causa da falta de dados.

“Acreditamos que, ao ampliar a quantidade de dados disponíveis, vamos poder responder [à incógnita] de que espécies estão extintas e também quais estão perto da extinção, o que pode nos ajudar a tirá-las desta lista. É o que esperamos”, afirma Forzza.

A “grande inovação” do herbário virtual, segundo Rafaela, está em permitir aos pesquisadores de todo o mundo acessar o banco de dados e editar on-line qualquer dado que julgarem estar errado ou incompleto, sem supervisão de moderadores, no mesmo formato das páginas colaborativas, como a Wikipédia.

A rede de colaboradores está aberta de forma gratuita a instituições de todo o mundo e já conta com 500 taxonomistas inscritos, que a partir de agora podem investigar a flora e alterar a informação de qualquer espécie.

“Algumas amostras são antigas e a identificação pode ter mudado com o tempo. Esperamos que os pesquisadores consigam identificar se há problemas”, comenta.

O herbário é composto por amostras de plantas brasileiras colhidas entre os séculos XVIII e XIX que se encontram nos Jardins Botânicos Reais em Kew (Reino Unido), no Museu Nacional de História Natural de Paris, além do vasto acervo do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, criado em 1890.

As mais antigas já permitiram comprovar de primeira mão a vegetação que existia em áreas agora urbanizadas, como é o caso de Copacabana, bairro carioca fundado há 121 anos.

Rafaela explica que as amostras conservadas nos herbários europeus permitiram comprovar que em Copacabana havia uma vegetação junto ao solo chamada “restinga”, aparentemente similar a de outras praias virgens hoje.

Mas só a análise futura das amostras poderá comprovar se essa vegetação era exatamente igual à de outras praias atuais, ou se tiveram alterações ou se alguma dessas plantas se extinguiu.

Os usuários comuns não poderão editar a base de dados do herbário, mas terão acesso à ferramenta completa de busca, que permite navegar por toda a flora do Brasil, incluindo a amazônica, e pelas diferentes épocas nas quais foram colhidas as amostras.

O site também possui ferramentas para auxiliar os pesquisadores, como a que permite medir a dimensão das pétalas, caule e frutos, e também uma paleta de cores para ajustar a tela e ver perfeitamente as imagens de alta resolução, que chegam até a 600 dpi.

A expectativa dos criadores do herbário virtual é expandir seu acervo até perto de 1 milhão de amostras em 2015, já que a base de dados incorpora cerca de 1 mil lâminas por dia.

O herbário foi lançado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que demorou uma década em iniciar o projeto porque há dez anos o alto custo de armazenamento o tornava inviável, explica Rafaela.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 2 de outubro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Imenso herbário virtual leva flora brasileira para a internet

Imenso herbário virtual leva flora brasileira para a internet (Foto: Reprodução/Reflora)Imenso herbário virtual leva flora brasileira para
a internet (Foto: Reprodução/Reflora)

A exuberante flora brasileira está ao alcance de todo o mundo a partir de domingo (29) graças a um herbário virtual com centenas de milhares de imagens em alta resolução. O acervo está aberto à edição para pesquisadores, no mais puro estilo “wiki”.

O herbário, disponível gratuitamente na internet, é composto por 420 mil fotografias de plantas prensadas e desidratadas, muitas delas colhidas por naturalistas europeus nos séculos XVIII e XIX. Acesse aqui.

A coordenadora do projeto, Rafaela Campostrini Forzza, explicou à EFE que a pesquisa no herbário virtual pode contribuir para conhecer melhor a flora brasileira, fomentar sua conservação e solucionar dúvidas sobre a distribuição geográfica de cada espécie vegetal, pontos que ainda se sabe pouco por causa da falta de dados.

“Acreditamos que, ao ampliar a quantidade de dados disponíveis, vamos poder responder [à incógnita] de que espécies estão extintas e também quais estão perto da extinção, o que pode nos ajudar a tirá-las desta lista. É o que esperamos”, afirma Forzza.

A “grande inovação” do herbário virtual, segundo Rafaela, está em permitir aos pesquisadores de todo o mundo acessar o banco de dados e editar on-line qualquer dado que julgarem estar errado ou incompleto, sem supervisão de moderadores, no mesmo formato das páginas colaborativas, como a Wikipédia.

A rede de colaboradores está aberta de forma gratuita a instituições de todo o mundo e já conta com 500 taxonomistas inscritos, que a partir de agora podem investigar a flora e alterar a informação de qualquer espécie.

“Algumas amostras são antigas e a identificação pode ter mudado com o tempo. Esperamos que os pesquisadores consigam identificar se há problemas”, comenta.

O herbário é composto por amostras de plantas brasileiras colhidas entre os séculos XVIII e XIX que se encontram nos Jardins Botânicos Reais em Kew (Reino Unido), no Museu Nacional de História Natural de Paris, além do vasto acervo do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, criado em 1890.

As mais antigas já permitiram comprovar de primeira mão a vegetação que existia em áreas agora urbanizadas, como é o caso de Copacabana, bairro carioca fundado há 121 anos.

Rafaela explica que as amostras conservadas nos herbários europeus permitiram comprovar que em Copacabana havia uma vegetação junto ao solo chamada “restinga”, aparentemente similar a de outras praias virgens hoje.

Mas só a análise futura das amostras poderá comprovar se essa vegetação era exatamente igual à de outras praias atuais, ou se tiveram alterações ou se alguma dessas plantas se extinguiu.

Os usuários comuns não poderão editar a base de dados do herbário, mas terão acesso à ferramenta completa de busca, que permite navegar por toda a flora do Brasil, incluindo a amazônica, e pelas diferentes épocas nas quais foram colhidas as amostras.

O site também possui ferramentas para auxiliar os pesquisadores, como a que permite medir a dimensão das pétalas, caule e frutos, e também uma paleta de cores para ajustar a tela e ver perfeitamente as imagens de alta resolução, que chegam até a 600 dpi.

A expectativa dos criadores do herbário virtual é expandir seu acervo até perto de 1 milhão de amostras em 2015, já que a base de dados incorpora cerca de 1 mil lâminas por dia.

O herbário foi lançado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que demorou uma década em iniciar o projeto porque há dez anos o alto custo de armazenamento o tornava inviável, explica Rafaela.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 2 de outubro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,