RSS

Arquivo da tag: sanes

Congresso americano discute projeto de lei que impõe sanções a Venezuela

AppId is over the quota
AppId is over the quota

O Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes dos EUA aprovou nesta sexta-feira (9) um projeto de lei bipartidário que impõe sanções contra alguns funcionários do governo do presidente Nicolás Maduro, em resposta aos protestos e a repressão vividas na Venezuela há três meses.

O projeto de lei prevê a revogação de vistos e o congelamento de ativos nos Estados Unidos de vários funcionários venezuelanos considerados responsáveis por violação de direitos humanos e aplacar aqueles que informam sobre os protestos iniciadas em 12 de fevereiro.

Caso o projeto seja aprovado pela Câmara, passaria para análise do Senado, onde já foi apresentada uma lei semelhante há algumas semanas, ainda não debatida.

A iniciativa legal, apresentada pela senadora pela Flórida Ileana Ros-Lehtinen, contou com o apoio de outros 14 representantes, seis deles democratas, e foi aprovado em uma votação a viva voz com só dois votos contra, dos democratas Gregory Meeks e Karen Bass.

Eles argumentaram que o texto lembra ações do passado que geraram críticas de intervencionismo na América Latina e provocaram uma falta de confiança para os Estados Unidos.

A aprovação da Lei de Proteção de Direitos Humanos e Democracia Venezuelana envia uma forte mensagem a Maduro de que o Congresso dos Estados Unidos “está ciente das atrocidades cometidas por seu regime, e que enfrentará as consequências”, afirmou Ros-Lehtinen.

View the original article here

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 10 de maio de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

EUA impõe sanções contra generais do Sudão do Sul por violência

AppId is over the quota
AppId is over the quota

O governo americano anunciou nesta terça-feira (6) a imposição de sanções contra dois generais de lados opostos, que se enfrentam há quatro meses em um sangrento conflito civil no Sudão do Sul.

Um dos generais punidos, Peter Gadet, pertencia ao comando das tropas rebeldes, enquanto o outro, Marial Chinoum, é um dos líderes das forças leais ao Exército de Libertação do Povo do Sudão. Quaisquer bens que ambos tenham nos Estados Unidosserão congelados.

Os dois militares “foram responsáveis por atos inconcebíveis de violência contra os civis”, disse à imprensa o secretário de Estado americano, John Kerry.

Kerry foi ao Sudão do Sul na semana passada e ameaçou os dirigentes de ambos os lados com sanções, caso não fizessem algo para impedir os combates e os ataques contra civis.

O secretário americano também advertiu para os riscos de “genocídio” no país mais jovem do planeta, nascido em 2011, onde as disputas interétnicas se intensificam desde meados de dezembro passado.

As tropas do presidente Salva Kiir e de seu ex-vice-presidente Riek Machar se enfrentam há quase cinco meses. Essa rivalidade vem de antigas rivalidades entre as comunidades dinka e nuer, as duas principais do país, às quais Kiir e Machar pertencem.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 7 de maio de 2014 em Brasil

 

Tags: , , ,

Obama e Merkel ameaçam impor sanções mais amplas à Rússia

AppId is over the quota
AppId is over the quota
 Presidente americano Barack Obama e chanceler alemã Angela Merkel participam de coletiva de imprensa na Casa Branca nesta sexta-feira (2) (Foto: AFP Photo/Jewel Samad) Presidente americano Barack Obama e chanceler alemã Angela Merkel participam de coletiva de imprensa na Casa Branca nesta sexta-feira (2) (Foto: AFP Photo/Jewel Samad)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta sexta-feira (2) que o seu país irá optar por “sanções setoriais” contra a Rússia se Moscou impedir os planos de eleições na Ucrânia previstas para o fim deste mês.

Obama falou a repórteres na Casa Branca depois de conversar com a chanceler alemã, Angela Merkel, que também apoiou a adoção de sanções mais abrangentes, e disse que a União Europeia e os EUA continuarão a trabalhar em parceria no tema.

“O próximo passo será um regime mais amplo de sanções setoriais”, declarou Obama. Merkel concordou, dizendo que 25 maio é uma data importante e que “faremos com que as eleições aconteçam”.

Os EUA e a UE impuseram várias rodadas de sanções a indivíduos e algumas empresas para tentar persuadir o presidente russo, Vladimir Putin, a conter qualquer interferência em áreas de fala russa no leste da Ucrânia.

Os setores bancário e de energia são dois dos mais prováveis a serem atingidos se as novas sanções forem aplicadas.

“Na Europa, tomamos uma decisão que se houver uma desestabilização maior, vamos dar início da uma terceira etapa de sanções. Gostaria de destacar que isso não é necessariamente o que queremos, mas estamos prontos e preparados para tomar tal decisão”, disse Merkel.

Obama afirmou que o objetivo das sanções não é punir a Rússia, mas dar aos russos um incentivo “para escolher um caminho melhor”.

O presidente dos EUA pediu aos russos que convençam as milícias pró-Rússia na Ucrânia a depor as armas e disse ser deplorável que elas estejam fazendo observadores internacionais reféns.

Os dois líderes disseram estar unidos no desejo de impor custos à Rússia por suas ações na Ucrânia e de apoiar os ucranianos, inclusive financeiramente.

“Estamos unidos em nosso apoio à Ucrânia, incluindo o importantíssimo programa do Fundo Monetário Internacional aprovado nesta semana”, declarou Obama, referindo-se à aprovação de um pacote de 17 bilhões de dólares em dois anos para a Ucrânia.

Ele disse que o relato russo dos eventos no leste ucraniano, segundo o qual há um levante espontâneo de ativistas pró-Rússia, foi desmentido pelo uso de mísseis terra-ar nesta sexta-feira que derrubaram dois helicópteros militares ucranianos.

“É óbvio para o mundo que estes grupos apoiados pela Rússia não são manifestantes pacíficos. São militantes fortemente armados”, afirmou Obama.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de maio de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Separatistas da Ucrânia se negam a libertar observadores após sanções

O autoproclamado prefeito de uma cidade no leste da Ucrânia liderada por separatistas disse nesta terça-feira (29) que só vai discutir com o Ocidente a libertação de observadores militares detidos se a União Europeia retirar as sanções impostas a líderes rebeldes.

Vyacheslav Ponomaryov, o prefeito de facto de Slaviansk, disse à agência de notícias Interfax que a imposição de proibição de viagens e congelamentos de ativos contra Denis Pushilin, líder da recém-proclamada República Popular de Donetsk, e Andrei Purgin, outro líder do leste ucraniano, “não conduz ao diálogo”.

Os seis observadores estavam na Ucrânia em missão da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), um órgão de fiscalização da democracia. Eles foram detidos na semana passada após separatistas terem afirmado que localizaram um espião ucraniano com eles.

“Vamos retomar o diálogo sobre o status dos prisioneiros de guerra somente quando a União Europeia rejeitar essas sanções”, disse ele. “Se eles não removerem as sanções, então vamos bloquear o acesso de representantes da União Europeia, e eles não serão capazes de chegar até nós. Vou lembrar aos meus convidados da OSCE sobre isso.”

A União Europeia impôs o congelamento de ativos e proibição de viagens a 15 russos e ucranianos devido à anexação da região da Crimeia e ao que a UE diz ser um apoio russo aos separatistas.

Moscou afirma não ter qualquer envolvimento nos acontecimentos do leste da Ucrânia e alega que ucranianos de fala russa ocuparam prédios do governo para demonstrar preocupação com seus direitos após a chegada ao poder em Kiev de um governo pró-Ocidente.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Rússia diz que EUA expõem seus astronautas da ISS com sanções

Os Estados Unidos “expõem” seus astronautas da estação Espacial Internacional (ISS) ao adotar sanções contra Moscou que podem afetar o setor espacial russo, declarou nesta terça-feira o vice-primeiro-ministro Dmitri Rogozine, citado pela agência Interfax.

“Se eles querem atingir o setor russo de mísseis, eles vão, automaticamente, expor seus cosmonautas da Estação Espacial Internacional”, declarou Rogozine.

As espaçonaves russas Soyuz são atualmente a única maneira de transportar e repatriar a tripulação da ISS.

“Honestamente, eles começam a nos irritar com suas sanções, e não compreendem que elas vão retornar para eles como um bumerangue”, afirmou ainda Rogozin, citado pela agência Itar-Tass.

Os Estados Unidos anunciaram na segunda-feira (28), entre uma nova série de sanções contra a Rússia, que iria rever as condições de autorização para exportar para a Rússia alguns equipamentos de alta tecnologia que poderiam ser de uso militar.

O vice-chanceler Sergei Ryabkov admitiu nesta terça-feira em uma entrevista ao site de notícias gazeta.ru que as sanções poderiam afetar o setor de lançamento de naves espaciais.

Ele acusou os Estados Unidos de retomar as práticas da época da Guerra Fria, quando o Ocidente aplicavam um embargo à exportação de equipamentos de alta tecnologia para a União Soviética.

Rogozin, ex-representante russo na Otan, figura desde março nas listas americana e europeia das autoridades russas punidas.

A ISS está atualmente sob o comando do japonês Koichi Wakata. Cinco outros astronautas – três russos e dois americanos – estão em uma missão a bordo da estação.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Brasil

 

Tags: , , ,

Visa e Mastercard deixam de servir clientes russos por sanções dos EUA

Os grupos americanos de cartões bancários Visa e Mastercard deixaram nesta sexta-feira (21) sem aviso prévio de fornecer seu serviço de pagamento aos clientes de vários bancos russos após as sanções anunciadas na véspera pelos Estados Unidos.

O banco Rossia, alvo das sanções americanas, anunciou nesta sexta-feira em um comunicado que Visa e Mastercard “deixaram, sem aviso prévio, de fornecer seus serviços de pagamento aos clientes do banco”. Sua filial, Sobibank, também foi afetada por esta decisão.

O banco SMP, controlado pelos irmãos Arkadi e Boris Rotenberg, cujos nomes foram acrescentados à lista de pessoas atingidas pelas sanções americanas, também anunciou que seus clientes com cartões Visa e Mastercard estavam com seus cartões bloqueados.

Na prática, estes clientes só podem retirar dinheiro com seus cartões nos caixas destes bancos e dos bancos associados, e não conseguem mais fazer compras com eles.

Na quinta-feira, o presidente americano, Barack Obama, anunciou que a lista das pessoas russas afetadas por sanções havia sido ampliada para incluir também oligarcas e banqueiros próximos ao presidente russo Vladimir Putin, entre eles Guenadi Timchenko, Arkadi Rotenberg e Yuri Kovalchuk, presidente do banco Rossia e considerado “o banqueiro pessoal dos funcionários de alto escalão na Rússia, incluindo Vladimir Putin.”

Segundo Obama, ele assinou uma ordem executiva abrindo caminho para sanções em setores chaves da economia russa, se necessário. As sanções poderiam afetar inclusive a economia global, disse ele no pronunciamento.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Rússia se abstém no momento de responder a novas sanções dos EUA

A Rússia irá se abster no momento de responder com novas sanções às anunciadas na quinta-feira (20) pelos Estados Unidos contra um banco e vinte personalidades russas, afirmou o presidente Vladimir Putin, citado por agências de informação locais, nesta sexta-feira (21).

“Tanto no primeiro caso – as sanções americanas – quanto no segundo – a introdução de um regime de vistos com a Ucrânia – acredito que no momento devemos nos abster de tomar medidas recíprocas”, disse Putin em uma reunião do Conselho de Segurança.

Na quinta-feira, Washington anunciou uma nova rodada de sanções contra a Rússia, em particular contra o banco Rossiya, que não poderá fazer negócios com investidores ou empresas americanas, e 20 funcionários de alto escalão, cujos ativos nos Estados Unidos serão congelados.

Na quinta, a Rússia havia anunciado sanções contra nove funcionários de alto escalão americanos, em resposta a uma primeira rodada de sanções impostas na segunda-feira por Washington contra sete autoridades russos.

Nesta sexta-feira, Putin disse que abrirá em breve uma conta no banco Rossiya, segundo ele “de tamanho médio”, banco que, de acordo com Washington, é o preferido da elite russa.

“Pessoalmente, eu não tinha uma conta neste banco, mas certamente abrirei uma na segunda-feira”, disse Putin em comentários transmitidos pelo Kremlin.

Na reunião do Conselho de Segurança havia vários funcionários de alto escalão russos sancionados, como o diretor de gabinete de Putin, Serguei Ivanov, e o presidente da câmara baixa do Parlamento, Serguei Naryshkin.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, em foto desta sexta-feira (21) no Kremilin, em Moscou (Foto: RIA-Novosti, Alexei Druzhinin, Presidential Press Service/AP)O presidente da Rússia, Vladimir Putin, em foto desta sexta-feira (21) no Kremilin, em Moscou (Foto: RIA-Novosti, Alexei Druzhinin, Presidential Press Service/AP)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,