RSS

Arquivo da tag: salvadorenho

Pescador salvadorenho encontra mãe de seu companheiro de naufrágio

O náufrago José Salvador Alvarenga durante entrevista nesta quarta-feira (5) em Majuro, mas Ilhas Marshall (Foto: AFP)O náufrago José Salvador Alvarenga diz ter passado mais de um ano à deriva (Foto: AFP)

O pescador salvadorenho José Salvador Alvarenga, que diz ter passado mais de um ano à deriva, cumpriu neste sábado (15) uma promessa que fez ao seu companheiro mexicano de naufrágio, Ezequiel Córdova Ríos, antes de ele morrer no meio do oceano.

A promessa era contar à mãe dele os últimos momentos de seu filho e as palavras que dedicou antes de morrer nas águas do Pacífico, em uma travessia que começou no México e terminou nas Ilhas Marshall, a 13 mil quilômetros de distância.

Após passar quatro meses juntos na mesma embarcação, Ríos morreu enquanto os dois estavam à deriva, e Alvarenga jogou seu corpo no mar três dias depois, contou hoje.

“Contou (à mãe de seu companheiro) que chorava em frente a Ezequiel, conversando com ele, dizendo que não estava morto, que só estava dormido. Foi difícil jogá-lo na água finalmente”, relatou o advogado que acompanhava o pescador, Benedicto Perea.

A família de Ezequiel realizará uma cerimônia fúnebre no próximo dia 31, embora não se saiba com certeza o dia exato em que morreu.

“No meio do mar, não tinha forma de saber a data, não tinha um calendário, mas para mim foi em março e assim o lembraremos”, explicou a mãe, que recebeu ao salvadorenho com lágrimas e um longo abraço.

O pescador salvadorenho, que chegou ontem ao México para se reunir com a família de seu falecido companheiro de viagem, disse se sentir “feliz e tranquilo” após conversar com Rosalía Ríos.

“Estou feliz de ter cumprido a promessa que fiz ao meu companheiro. Não disse mentiras, já que cumpri minha promessa”, disse aos jornalistas o pescador, que morava no México antes de se perder no oceano.

Ele não quis detalhar a mensagem que levou à mãe de Ezequiel, mas relatou aos irmãos que o naufrágio começou pouco depois de saírem para pescar tubarão, em 17 de novembro de 2012, da praia de Chocohuital.

“Ficamos presos por causa do mau tempo, o motor estragou, ficamos à deriva, foi muito complicado; só Deus sabe por que passamos por essas coisas, que não fui eu o que faleceu, que foi meu amigo”, afirmou o pescador.

“Eu não desejava que fosse assim, queria que nós dois estivéssemos aqui, mas não foi assim”, lamentou.

Durante os meses que esteve à deriva, o pescador de 37 anos de idade comeu pescado e aves cruas, e bebeu sangue de tartarugas e sua própria urina para sobreviver. Foi resgatado em 30 de janeiro nas Ilhas Marshall, no Pacífico Sul.

Alvarenga confirmou que não voltará ao mar e que voltará a viver com seus pais em El Salvador, junto de sua esposa e sua filha, que tinha deixado 12 anos antes do naufrágio para ser pescador no litoral mexicano.

O agora ex-pescador disse que se dedicará a “ir às igrejas, pregando a palavra de Deus, e espero que Deus me escute, tenho fé em isso, que ele foi que me deu minha vida, sem ele eu não estaria aqui”.

Rosalía Díaz disse se sentir “mais tranquila porque já sei quais foram as últimas palavras de meu filho. Vou guardá-las, é algo tão lindo e também tão triste que não gostaria publicar, era para mim”, acrescentou.

O advogado explicou que os testemunhos e atas a partir do desaparecimento de Ezequiel serão documentados para declarar formalmente a morte do jovem habitante de Chiapas, que ainda consta como desaparecido.

Fonte G1

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 16 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Ilhas Marshall divulgam fotos do barco do náufrago salvadorenho

Ilhas Marshall divulgam fotos do barco do náufrago salvadorenho (Foto: Willing Kajidrik/AP)Ilhas Marshall divulgam fotos do barco do náufrago salvadorenho (Foto: Willing Kajidrik/AP)

A Guarda Costeira das Ilhas Marshall divulgou neste domingo (9) imagens do barco em que o náufrago salvadorenho José Salvador Alvarenga afirma ter passado 13 meses à deriva no Oceano Pacífico.

As imagens foram feitas em 3 de fevereiro, na costa, após ter sido rebocado depois do resgate de Alvarenga.

O barco de pesca tem 7 metros de comprimento.

Alvarenga seguia esperando neste domingo, recluso em um hotel e protegido por escoltas, poder voltar para casa.

O pescador, que foi arrastado até o remoto atol de Ebon há 11 dias e que afirma ter passado 13 meses à deriva no Oceano Pacífico depois de ter saído da costa do México para pescar tubarões, permanece em um hotel turístico da capital, Majuro, desde que na sexta-feira saiu do hospital por conta própria, embora ainda não tenha recebido alta oficial.

Desde então quase não foi visto em público e os responsáveis pelo hotel disseram que o acesso ao seu quarto está restrito por ordem do governo.

“O ministério dos Assuntos Exteriores nos deu instruções para dizer aos que o procurarem que, se quiserem falar com ele, devem solicitar ao ministério”, declarou a porta-voz do hotel, que confirmou ter recebido muitos telefonemas para o náufrago.

Nas raras vezes em que Alvarenga apareceu em público desde sexta-feira, estava cercado por um grupo de voluntários, que permanecem em seu quarto e o ajudam a cumprir seu desejo de não falar com a imprensa sobre sua odisseia no mar.

Fontes do hospital Majuro informaram que Alvarenga estava incomodado com o bombardeio de ligações ao centro hospitalar e que, por isso, quis ir para um hotel.

Em outra imagem, Alvarenga aparece comendo, a bordo do barco patrulha, logo após o resgate (Foto: Willing Kajidrik/AP)Em outra imagem, Alvarenga aparece comendo, a bordo do barco patrulha, logo após o resgate (Foto: Willing Kajidrik/AP)Ilhas Marshall divulgam fotos do barco do náufrago salvadorenho (Foto: Willing Kajidrik/AP)Ilhas Marshall divulgam fotos do barco do náufrago salvadorenho (Foto: Willing Kajidrik/AP)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Náufrago salvadorenho tem sinais de estresse pós-traumático, diz médico

O náufrago José Salvador Alvarenga durante entrevista nesta quarta-feira (5) em Majuro, mas Ilhas Marshall (Foto: AFP)O náufrago José Salvador Alvarenga durante entrevista nesta quarta-feira (5) em Majuro, mas Ilhas Marshall (Foto: AFP)

O salvadorenho que diz ter sobrevivido 13 meses à deriva no Oceano Pacífico parece sofrer estresse pós-traumático, afirmou um médico aposentado nas Ilhas Marshall, onde o náufrago chegou em uma pequena embarcação proveniente do México, país em que residia de maneira irregular.

O pescador José Salvador Alvarenga apareceu no dia 30 em um atol isolado do arquipélago, após uma longa odisseia de 12.500 quilômetros à deriva.

Embora inicialmente parecesse animado e em bom estado de saúde, esteve entrando e saindo do hospital desde que foi transferido na última segunda-feira a Majuro, capital das Ilhas Marshall.

Em uma entrevista na quinta-feira, Alvarenga, de 37 anos, parecia incomodado, e balbuciou um breve agradecimento aos ilhéus antes de se retirar apoiando-se em dois homens.

Franklyn House, um médico americano aposentado que trabalha com o grupo missionário californiano Canvasback nas Marshall, conversou com o salvadorenho várias vezes desde sua chegada, embora não seja o médico que o atende.

House, que fala espanhol, declarou que acredita que Alvarenga sofra de estresse pós-traumático devido à sua mudança de comportamento entre segunda e quinta-feira.

“Nos primeiros dias estive no hospital, estava normal”, disse o médico à AFP. “Na quinta-feira mostrou sinais de estresse pós-traumático.”

O ministro conselheiro da embaixada de El Salvador no Japão, Diego Dalton, se reuniu com seu compatriota e constatou que “o estado de saúde do senhor Alvarenga está abalado”, segundo um comunicado divulgado pela chancelaria em San Salvador.

“Deve esperar que sua condição física melhore para iniciar a viagem de retorno (a El Salvador), que não tem data definida”, acrescentou.

O chefe da equipe médica do hospital de Majuro, Kennar Briand, disse na tarde deste sábado que Alvarenga está melhorando.

“Seus últimos exames de sangue foram normais”, disse Briand. “A última avaliação mostra que está estável e não está mais desidratado”, acrescentou.

Alvarenga partiria na sexta-feira ao seu país, mas os médicos pediram que descansasse no mínimo até segunda-feira.

O salvadorenho, que disse ter sobrevivido graças a uma dieta a base de peixe e aves crus, assim como de sangue de tartaruga, urina e água da chuva, também sofre com problemas nas costas.

“Foi internado novamente na quinta-feira com dores nas costas e nas pernas”, declarou à AFP uma enfermeira do hospital de Majuro que não quis se identificar.

Na sexta-feira ele voltou a receber alta, com a recomendação de beber muitos líquidos e descansar.

Alvarenga começou sua odisseia no México, país no qual viveu durante anos.

O encarregado de negócios da embaixada do México nas Filipinas, Christian Clay Méndez, que viajou às Marshall para ajudar em sua repatriação, disse que o náufrago viveu ilegalmente em seu país por 15 anos, razão pela qual retornará a El Salvador.

Mas se “utilizar os canais apropriados, estou certo de que nossa embaixada em El Salvador estará disposta a ajudá-lo para que possa entrar no México legalmente”, ressaltou.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 8 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Náufrago salvadorenho telefona das Ilhas Marshall para sua família

Náufrago Jose Salvador Alvarenga, 37, após ter sido resgatado em um barco perto das Ilhas Marshall. (Foto: Gee Bing/Foreign Affairs Department The Marshall Islands/AP)Náufrago Jose Alvarenga, 37, após resgate.
(Foto: Gee Bing/Foreign Affairs Department
The Marshall Islands/AP)

O náufrago de El Salvador, que garante ter passado mais de um ano à deriva e que foi encontrado na semana passada em um remoto atol das Ilhas Marshall, falou nesta terça-feira (4) com sua família, segundo fontes do hospital em que foi internado.

José Salvador Alvarenga, 37, “falou com sua mãe e seu pai esta manhã e já recebeu alta do hospital” disse à Agência EFE Ron Mendoza, um dos médicos do Hospital de Majuro, a capital das Ilhas Marshall, ao explicar que o único problema do paciente são as enzimas do fígado que estão em um nível elevado, o que está relacionado com a inanição.

Alvarenga deve ter alta nesta terça e será transferido para um hotel para “ficar tranquilo” à espera de sua repatriação, comentou a fonte do hospital.

O náufrago, que inicialmente se acreditava ser de nacionalidade mexicana, é oriundo da cidade salvadorenha de Guarita Palmeira, e seu último lugar de residência era na costa azul do estado mexicano de Chiapas, de acordo com a Secretaria de Relações Exteriores do México.

O pescador aparentemente partiu do México no final de 2012 em uma expedição para pescar tubarões nas águas de El Salvador junto com um companheiro que provavelmente morreu há alguns meses em alto-mar.

Seu barco de sete metros foi arrastado no dia 30 de janeiro de 2014 até um recife perto de Ebon, um remoto atol das Ilhas Marshall, onde os aldeões o encontraram e tiveram problemas para se comunicar com ele, pois fala somente o espanhol.

As autoridades das Ilhas Marshall enviaram um navio até Ebon para levá-lo a Majuro.

Alvarenga contou que conseguiu sobreviver por tantos meses bebendo sangue de tartaruga, quando faltava água da chuva, e comendo quelônios, aves e peixes que capturava com as próprias mãos.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,