RSS

Arquivo da tag: Safari

Quatro dicas para melhorar sua vida com o Safari 6

Com qual frequência você usa seu navegador? Se a resposta for “constantemente”, então algumas dicas de seleção podem te ajudar a economizar muito tempo e problemas. Confira abaixo algumas delas para o Safari 6, versão mais recente do browser da Apple.

1- Acabe com a confusão dos seus favoritos

Se sentindo “encurralado” pelos seus favoritos? O primeiro passo é organizá-los em pastas (Bookmarks > Adicionar Pasta de Bookmark). O próximo é arrumar os favoritos dentro dessas pastas. Não é difícil se você usar o Finder para colocá-los em ordem alfabética.

Vá até a sua janela de favoritos (Bookmarks > Mostrar Todos os Bookmarks ou aperte Command+Option+B), e arraste uma pasta da barra lateral dos favoritos para o Desktop. Essa ação copia a pasta para o Desktop, e os conteúdos são separados automaticamente por nome.

Você não pode arrastar uma pasta diretamente para a barra lateral do Safari; por isso, em vez de fazer isso, solte sua pasta organizada na área de listas da janela Favoritos, e então arraste-a de lá até a barra lateral. Ao contrário do Finder, pastas com o mesmo nome podem existir no mesmo local no Safari, o que signiica que você agora terá duas delas. Após arrumar a pasta organizada no local, apague a original.

2.Compartilhe páginas web de forma fácil por e-mail

O Safari 6 torna simples o processo de compartilhar conteúdos que você vê na web. Clique no novo botão Compartilhar (Share) na barra de ferramentas do Safari 6 para fazer isso de forma rápida. Lá você tem a opção de enviar a página por e-mail, adicionar um favorito, adicionar a página à sua Lista de Leitura, ou enviar um link por mensagem, Twitter, ou Facebook.

dicasafari601.png

Se você costuma enviar páginas web por e-mail, pode achar que esse botão oferece pouca vantagem sobre o submenu Arquivo > Compartilhar (File > Share). Quando você usa esse menu, pode escolher entre enviar uma página por e-mail ou apenas seu link ao apertar a tecla Shift enquanto seleciona. (Se estiver usando atalhos de teclado, aperte Command+I ou Command+Shift+I, respectivamente). Mas não importa como você começa, acaba no app Mail, da Apple, onde pode mudar de ideia sobre como enviar a página web e escolher entre mais duas opções.

No Mail, olhe acima da área da mensagem para ver o menu “Enviar Conteúdo Web Como” (“Send Web Content As”) à direita. Esse menu te permite enviar a própria página da Internet, um link para a página, um arquivo PDF da página, ou uma versão que corresponde ao que você vê na janeja do Leitor (Reader) do Safari (Visualizar > Mostrar Leitor). A versão do Leitor inclui texto fácil de ler, sem anúncios, e artigos de várias páginas agrupados juntos em um único documento. O aplicativo “lembra” da opção que você escolhe para a próxima vez em que for utilizar o comando Compartilhar. Note que a opção Leitor não está disponível para todas as páginas web; se a opção Visualizar > Mostrar Leitor funcionar na página do Safari, você também poderá enviar o conteúdo dessa maneira.

dicasafari602.jpg

3.Consiga o que você quer com cliques modificados nos links

O Safari te permite há um bom tempo clicar em um link com a tecla Command apertada para abri-lo em uma aba. (Esse comportamento padrão é configurado em Safari > Preferências, no painel Abas). O Safari 6 adiciona duas novas opções de cliques em links: clique com a tecla Shift apertada para enviar a página ligada à Lista de Leitura, ou clique com a tecla Option apertada para baixar o conteúdo para sua pasta Downloads. Mas essas são apenas informações básicas.

Aqui vai a dica: olhe a barra de status na parte inferior da janela (escolha Visualizar > Mostrar Barra de Status se não estiver lá) para marcar o que seu clique modificado vai fazer. Essa pequena planilha é especialmente útil quando você está adicionado a tecla Shift à uma janela – ou dando um clique de abrir aba para mudar entre ter o link aberto em primeiro ou segundo plano. Existem muitas opções modificadoras para lembrar. Se você não quiser aprender seus comportamentos de links modificados mesmo com a pequena tabela da barra de status, sempre é possível clicar com a tecla Control apertada para ver uma lista de opções.

dicasafari603.png

4.Reverta sua decisão de “nunca salvar senha”

Você digita uma senha para uma página web, o Safari pergunta se você quer salvá-la, e você clica em “Nunca para esse site”. Mas e se você mudar de ideia? É possível mudar sua decisão porque, apesar de a senha não ter sido salva, sua decisão de “nunca” foi. Vá em Safari > Preferências, e clique na aba Senhas. Selecione o site na lista (ele vai dizer “Senhas Nunca Salvas” na coluna de Nome de Usuário) e clique no botão Remover. Visite a página novamente, e dessa vez deixe o Safari lembrar sua senha.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de março de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , ,

Apple libera navegador Safari 6 sem referências ao Windows

A Apple liberou hoje, 25/7, a nova versão do seu navegador Safari, que faz parte do pacote do sistema OS X Mountain Lion, também lançado nesta quarta-feira.

Assim, os usuários do sistema anterior Lion também podem baixar o Safari 6, que possui alguns recursos exclusivos para o novo OS X, como Organização por Abas, Abas do iCloud e Compartilhamento Integrado.

Mas a maior parte dos recursos do Safari 6 podem ser acessados pelos usuários do OS X 10.7 Lion, caso de novidades como Campo de Busca Inteligente e Unificado, Lista de Leitura Offline, opção de privacidade Do Not Track, Painel de Senhas, entre outros.

Leia também:

– Mountain Lion chega hoje: tudo que você precisa saber sobre o sistema

safari4-300

Novo Safari 6 faz parte do novo sistema Mountain Lion

Windows fora?

Ao acessar a página do Safari no site da Apple, é possível ver que não há referencias ou links para download de uma versão do navegador para Windows. Versões anteriores do browser para PCs com sistema da Microsoft aparentemente continuam disponíveis – mas não em português.

Como aponta o 9to5Mac, o Mountain Lion traz diversos recursos integrados ao ecossistema da Apple, como Lista de Leitura Offline e Painel de Senhas, por isso não seria de estranhar que a companhia deixasse os aparelhos Windows de fora da atualização – pelo menos por enquanto.

E aí, já usou o Mountain Lion? Diga o que achou do novo sistema da Apple nos comentários abaixo.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de agosto de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Atualização do Safari traz correções para Lion, Snow Leopard e Windows

AppId is over the quota
A Apple liberou nesta segunda-feira, 12/3, o update 5.1.4 do seu navegador Safari, que traz diversas soluções para vulnerabilidades nos sistemas Snow Leopard e Lion (Mac) e Windows (PCs).

Entre os patches incluídos no pacote de updates estão melhorias de performance do JavaScript, melhor resposta para o campo de busca, e correções de interface para visualizar conteúdo Flash após dar zoom. A Apple também afirma que a atualização resolve um bug que poderia fazer com que as páginas da web ficassem em branco quando o usuário mudasse entre janelas do Safari – potencialmente perdendo qualquer dado que tivesse sido digitado nessas páginas.

Outros problemas resolvidos incluem um bug que podia remover links em arquivos PDFs salvos a partir de páginas da web e outro que podia fazer com que a tela ficasse escura quando você assistisse a vídeos em HTML5.

Além das correções, o update também traz melhorias de estabilidade, compatibilidade e tempo de inicialização ao se utilizar extensões do Safari, melhor comportamento de cookies quando você desabilita a Navegação Privada (Private Browsing), e um bug que podia deixar alguns dados para trás após você apertar o botão Remover Todos os Dados do Site (Remove All Website Data).

O Safari 5.1.4 está disponível pela ferramenta Software Update ou diretamente pelo site da Apple.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 17 de junho de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Escândalo da Google com Safari e IE ensina que não existe privacidade

A Google está  em maus lençóis por ter driblado os controles de privacidade do navegador Safari, da Apple, em aparelhos iOS – e supostamente ter feito o mesmo no Internet Explorer – para rastrear secretamente s atividades online dos usuários. Enquanto a Google lida com as críticas e a análise reguladora da Comissão Federal de Comércio dos EUA (FTC), há uma lição importante a ser aprendida: a privacidade morreu.

Não estou sugerindo que está tudo bem para a Google, ou qualquer outra empresa, burlar intencionalmente controles de privacidade para acessar informações que os usuários especificaram que não deveriam ser compartilhadas. Mas você deve saber que você, na verdade, não tem o “direito” a privacidade, e que mesmo que tivesse, esse barco provavelmente já foi embora.

Seu “direito” à privacidade
Esse é o caso: você não tem, na verdade, um “direito” à privacidade. A 14ª emenda da Constituição dos EUA é normalmente citada graças a um precedente estabelecido quando o juiz Louis Brandeis afirmou que ela protege o “direito de ser deixado em paz”. No entanto, é preciso algumas acrobacias da razão para chegar a conclusão de que ela inerentemente protege a privacidade.

A 1ª, a 4ª, e a 5ª emendas algumas vezes também são citadas para suportar o direito percebido de privacidade. Mas a realidade é que a melhor chance para proteção de privacidade provavelmente cai na 10ª emenda – que garante autoridade aos estados individuais para quaisquer poderes não delegados especificamente ao governo federal. Então, é possível que seu estado em particular tenha meios para assegurar a privacidade.

Também existem exemplos de privacidade – ou ao menos a proteção de informações sensíveis – sendo legislados em um nível mais granular dependendo da indústria. O Ato de Privacidade de 1974 evita a revelação não autorizada de informações pessoais em poder do governo federal. O ato Fair Credit Reporting protege informações reunidas por agência de relatórios de crédito. E o ato  Children’s Online Privacy Protection garante autoridade aos pais sobre quais informações sobre seus filhos e filhas (até 13 anos de idade) podem ser coletadas por sites.

Existem vários mandados regulatórios e em cumprimento com a indústria que exigem que organizações afetadas tomem medidas adequadas para proteger dados sensíveis. Os atos Sarbane-Oxley (SOX), Health Insurance Portability and Accountability Act (HIPAA), Gramm-Leach-Bliley Act (GLBA), e Payment Card Industry Data Security Standards (PCI-DSS), todos possuem estipulações que obrigam as empresas a protegerem dados, e impor multas e penalidades para quem falhar em cumpri-las.

Tudo isso sugere que a privacidade é um problema importante, e que há uma expectativa da sociedade por privacidade. Apenas lembre-se de que sua privacidade não está realmente garantida.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 9 de março de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Escândalo da Google com Safari e IE ensina que não existe privacidade

A Google está  em maus lençóis por ter driblado os controles de privacidade do navegador Safari, da Apple, em aparelhos iOS – e supostamente ter feito o mesmo no Internet Explorer – para rastrear secretamente s atividades online dos usuários. Enquanto a Google lida com as críticas e a análise reguladora da Comissão Federal de Comércio dos EUA (FTC), há uma lição importante a ser aprendida: a privacidade morreu.

Não estou sugerindo que está tudo bem para a Google, ou qualquer outra empresa, burlar intencionalmente controles de privacidade para acessar informações que os usuários especificaram que não deveriam ser compartilhadas. Mas você deve saber que você, na verdade, não tem o “direito” a privacidade, e que mesmo que tivesse, esse barco provavelmente já foi embora.

Seu “direito” à privacidade
Esse é o caso: você não tem, na verdade, um “direito” à privacidade. A 14ª emenda da Constituição dos EUA é normalmente citada graças a um precedente estabelecido quando o juiz Louis Brandeis afirmou que ela protege o “direito de ser deixado em paz”. No entanto, é preciso algumas acrobacias da razão para chegar a conclusão de que ela inerentemente protege a privacidade.

A 1ª, a 4ª, e a 5ª emendas algumas vezes também são citadas para suportar o direito percebido de privacidade. Mas a realidade é que a melhor chance para proteção de privacidade provavelmente cai na 10ª emenda – que garante autoridade aos estados individuais para quaisquer poderes não delegados especificamente ao governo federal. Então, é possível que seu estado em particular tenha meios para assegurar a privacidade.

Também existem exemplos de privacidade – ou ao menos a proteção de informações sensíveis – sendo legislados em um nível mais granular dependendo da indústria. O Ato de Privacidade de 1974 evita a revelação não autorizada de informações pessoais em poder do governo federal. O ato Fair Credit Reporting protege informações reunidas por agência de relatórios de crédito. E o ato  Children’s Online Privacy Protection garante autoridade aos pais sobre quais informações sobre seus filhos e filhas (até 13 anos de idade) podem ser coletadas por sites.

Existem vários mandados regulatórios e em cumprimento com a indústria que exigem que organizações afetadas tomem medidas adequadas para proteger dados sensíveis. Os atos Sarbane-Oxley (SOX), Health Insurance Portability and Accountability Act (HIPAA), Gramm-Leach-Bliley Act (GLBA), e Payment Card Industry Data Security Standards (PCI-DSS), todos possuem estipulações que obrigam as empresas a protegerem dados, e impor multas e penalidades para quem falhar em cumpri-las.

Tudo isso sugere que a privacidade é um problema importante, e que há uma expectativa da sociedade por privacidade. Apenas lembre-se de que sua privacidade não está realmente garantida.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 9 de março de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,