RSS

Arquivo da tag: qumica

Novo scanner portátil ajuda a revelar ‘composição química’ de objetos

Apetrecho permite que usuário saiba, por exemplo, a quantidade de agrotóxico de verduras, legumes e frutas (Foto: Consumer Physies/BBC)Apetrecho permite que usuário saiba, por exemplo, a quantidade de agrotóxico de verduras, legumes e frutas (Foto: Consumer Physics/BBC)

Uma startup israelense criou um dispositivo que revela instantaneamente a composição química de diferentes objetos, de comida a joias, passando por medicamentos e até mesmo plantas.

Na prática, isso permite saber, por exemplo, se uma maçã tem agrotóxicos ou se uma joia não passa de uma bijuteria barata.

Do tamanho de uma caixa de fósforos, o pequeno aparelho foi inventado pela empresa Consumer Physics, sediada em Tel-Aviv, que alega ter desenvolvido o primeiro espectrômetro (instrumento ótico usado para medir as propriedades da luz) molecular barato e de fácil acessibilidade do mundo.

O dispositivo se assemelha a um scanner de mão: o usuário aponta o equipamento em direção a um objeto, pressiona um botão que emite uma luz azul e, alguns segundos depois, obtém as informações sobre suas características moleculares.

Dror Sharon, co-fundador da Consumer Physics, diz acreditar que a invenção, batizada de SCiO, pode se tornar um ‘Google’ para o mundo físico, ou seja, uma maneira de buscar e descobrir instantaneamente a composição dos objetos ao nosso redor.

O SCiO custa US$ 199 (R$ 450) e foi revelado ao público pela primeira vez na semana passada. O projeto consumiu três anos de pesquisa e levantou mais de US$ 900 mil (R$ 2 milhões) na plataforma de crowdfounding (financiamento coletivo) Kickstarter – quatro vezes mais do que a meta inicial da companhia, de US$ 200 mil (R$ 450 mil) – em apenas 40 dias.

SCiO revela composição química de produtos, como queijo (Foto: BBC)SCiO revela composição química de
produtos, como queijo (Foto: BBC)

Hardware
O lançamento do dispositivo retrata um fenômeno que especialistas já estão chamando de ‘renascimento do hardware’. Isso porque, depois de anos concentrando seus investimentos em start-ups de software, como aplicativos ou sistemas operacionais, os investidores parecem ter ‘redescoberto’ uma nova fonte de receitas: as fabricantes de hardware.

‘Montar uma start-up de hardware requer muito menos capital de giro e é muito menos arriscado’, diz Boris Wertz, investidor e dono do fundo de private equity Version One Ventures.

Segundo ele, a ascensão do processo de impressão 3-D, a universalidade dos smartphones e linhas de produção mais eficientes facilitaram a entrada de novos players no mercado – e sem a necessidade de investimentos vultosos.

Nessa semana, desenvolvedores novatos estão tendo a chance de expor seus produtos, na esperança de obter o dinheiro necessário para materializar seus sonhos – e, quem sabe, se tornar um novo Twitter ou Facebook.

A disputa pela atenção dos investidores ocorre na feira de tecnologia TechCrunch Disrupt, um dos maiores eventos do tipo dos Estados Unidos.

Dois dos finalistas da competição ‘Start-up Battlefield’, realizada durante o evento, são duas fabricantes de hardware: a Tango PC, que fabrica computadores com sistema operacional Windows do tamanho de smartphone usando ‘tecnologia espacial’ e a Mink, que desenvolve impressoras de maquiagem.

As estatísticas também comprovam o novo foco dos investidores. Segundo a Dow Jones VentureSource, mais de US$ 869 milhões (cerca de R$ 2 bilhões) foram investidos em start-ups de hardware em 2013, praticamente o dobro dos US$ 422 milhões (R$ 940 milhões) aplicados em 2012.

Parte do que vem atraindo investidores como Wertz é que as fabricantes de hardware são agora capazes de exibir protótipos e arrecadam fundos para seus projetos via sites de crowdfunding (financiamento coletivo).

‘O crowdfunding se adequa perfeitamente à proposta das fabricantes de hardware’, diz Scott Miller, fundador da Dragon Innovation, que ajuda as companhias a levantar dinheiro para fabricar produtos, principalmente na China.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,

Congresso dos EUA divulga imagens de supostas vítimas de arma química

Um comitê do Congresso dos EUA divulgou no sábado vídeos das vítimas sírias de supostos ataques com armas químicas, incluindo muitas crianças, no momento em que o governo do presidente Barack Obama pressiona para atacar Damasco.

Acompanhe a cobertura em tempo real.

Os 13 vídeos, com imagens fortes, foram exibidos aos membros do Comitê de Inteligência do Senado na quinta-feira, segundo o site do painel, que afirma que “explicitamente pretendem mostrar as vítimas de um ataque com gás químico ou venenoso”.

Os vídeos – que segundo o comitê foram divulgados no YouTube por partidários da oposição síria – mostram cenas de absoluto horror, entre elas a de crianças afetadas por convulsões, assim como homens deitados no chão supostamente vomitando e com espuma na boca.

As imagens mostram fileiras de corpos de crianças e adultos em uma residência. Outros vídeos exibem um homem vítima de convulsões, uma pessoa que tenta reanimar uma criança, e uma outra, que tenta lavar o rosto de um menor, enquanto gritos são ouvidos ao fundo.

Os vídeos foram selecionados pelo Open Source Center dos Estados Unidos a pedido da senadora Dianne Feinstein, que preside o Comitê, para “oferecer uma mostra representativa do conteúdo do YouTube publicado a respeito do anunciado ataque com armas químicas de 21 de agosto nos subúrbios de Damasco”, afirma o site.

Washington afirma que mais de 1.429 pessoas morreram no ataque, entre elas mais de 400 crianças.

Os senadores foram informados pelo serviço de inteligência que a autenticidade dos vídeos havia sido verificada, segundo o canal CNN, o primeiro a divulgar o material.

Mas a emissora informou que não teve condições de comprovar a autenticidade do material de forma independente e destacou que os vídeos não mostram quem é responsável pelo ataque.

Mas a CNN informou ter comprovado que o governo estava exibindo os vídeos a membros do Congresso como parte do esforço para convencer os congressistas e a opinião pública da pertinência de uma intervenção militar limitada na Síria.

Os vídeos aparecem no momento em que o presidente Barack Obama se prepara para apresentar sua visão aos americanos da necessidade de uma ação na Síria.

Obama concederá entrevistas a três canais de televisão: PBS, CNN e Fox.

As entrevistas acontecerão antes de um discurso do presidente à nação na terça-feira.

Na quarta-feira será organizada uma sessão informativa para todos os senadores.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 8 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

União Europeia culpa Assad por ataque com arma química na Síria

A União Europeia culpou neste sábado (7) o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad, por um ataque químico na Síria em agosto, mas não chegou a expressar claramente apoio a uma eventual resposta militar de países ocidentais.

Com palavras cuidadosamente escolhidas, a mensagem de ministros das Relações Exteriores de 28 países da UE reunidos em Vilnius, na Lituânia, permite à França declarar vitória em seu esforço para conseguir que a UE concordasse que Assad foi o responsável pelo ataque, no qual mais de 1,4 mil pessoas foram mortas.

Mas também deixou claro que o bloco quer que a Organização das Nações Unidas (ONU) tenha um papel ativo numa resposta internacional resultante de um acordo, o que reflete a posição de países como a Alemanha, que se opõem à adoção de alguma medida antes que uma equipe de inspetores da ONU apresente suas conclusões sobre o ocorrido na Síria.

Depois do aval da UE, a Alemanha disse que iria assinar um comunicado apoiado na sexta-feira (6) por 11 nações na cúpula do G20 em São Petersburgo, na Rússia, o qual apoiou uma resposta “forte” ao suposto uso de gás sarin contra civis.

A Alemanha afirmou não ter endossado o documento na sexta-feira porque primeiro queria ver um consenso da UE na questão.

A chefe de política externa da UE, Catherine Ashton, disse que os ministros reunidos na capital lituana concordaram que informações de ampla gama de fontes “parecem indicar forte evidência” da responsabilidade do governo sírio.

Segundo ela, o governo “é o único que possui agentes e armas químicas e meios de lançá-las em quantidade suficiente”.

Os ministros concordaram em que o mundo “não pode permanecer inerte” e disseram que uma resposta forte e clara é necessária para evitar qualquer uso no futuro de armas químicas na Síria, disse ela.

No entanto, eles não fizeram nenhuma menção direta a qualquer ação militar, contemplada pelos Estados Unidos e a França.

EUA elogiaram decisão
Tanto o governo dos EUA como o da França elogiaram o comunicado da UE.

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, também presente em Vilnius, declarou: “Estamos muito agradecidos pelo comunicado relacionado à Síria, resultante do encontro de hoje – um comunicado forte sobre a necessidade de prestação de contas.”

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 8 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Saiba os efeitos do sarin, usado como arma química

AppId is over the quota
AppId is over the quota

O sarin, apontado pelo governo dos EUA como a arma química utilizada nos ataques ocorridos na Síria, causa uma série de efeitos em pessoas expostas a pequenas doses – náusea, vômitos, dor de cabeça, dor nos olhos e diarreia são alguns, diz um documento do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), divulgado em seu site.

A exposição a grandes doses da substância costuma causar convulsões, perda da consciência, paralisia e insuficiência respiratória, que pode levar à morte, afirma o órgão do governo americano. As informações constam na seção de “Preparação para Emergências” do CDC.

O sarin é obtido em laboratório na forma líquida mas se vaporiza facilmente. Ele atua sobre o sistema nervoso e é uma substância volátil, incolor, sem cheiro e sem gosto. Em geral ele é empregado em ataques químicos na forma de gás, mas também tem efeitos prejudiciais ao organismo na forma líquida.

O sarin usado como arma é banido pela Convenção de Armas Químicas, assinada em 1993. hoje são signatários do documento que proíbe o uso das armas 188 países – a Síria é uma das cinco nações que não participa do acordo.

Forma de gás
A forma de gás é a com maior potencial para causar danos, já que se espalha rapidamente pelo ambiente e é mais pesada que o ar, podendo atingir áreas baixas (como estações de metrô ou andares subterrâneos de prédios) e causar efeitos nas vítimas em segundos.

“A extensão do envenenamento causado pelo sarin depende da quantidade da substância a que uma pessoa foi exposta, como ela foi exposta e o tempo de exposição”, afirma o CDC. Além de se espalhar no ar, a arma química pode contaminar água, comida e a superfície de objetos.

Ataque no Japão
O sarin, também conhecido pela sigla GB, foi utilizado em dois ataques terroristas no Japão, em 1994 e 1995. Ele foi originalmente desenvolvido na Alemanha como um pesticida, em 1938, e pode ser produzido somente em laboratório, não sendo encontrado na natureza.

“Todos os agentes nervosos [que agem no sistema nervoso] causam efeitos tóxicos por inibir a atuação de uma enzima que age como o ‘botão de desligar’ do corpo para as glândulas e músculos. Sem esse ‘botão de desligar’, as glândulas e músculos do organismo ficam em estímulo constante”, afirma o boletim do CDC. “Pessoas expostas podem sentir muito cansaço e não serem capazes de continuar a respirar.”

A exposição ao sarin pode ocorrer tanto no contato com a pele quanto dos olhos, e também com a inalação do gás no ar. O sarin também causa suor excessivo, dor no peito, respiração acelerada, confusão e fraqueza. “Pessoas expostas ao sarin podem não saber que estão sob o efeito do gás porque ele não tem cheiro”, aponta o CDC.

A exposição da vítima ao sarin na forma de gás faz os sintomas aparecerem em segundos. No caso de pessoas expostas ao sarin líquido, os efeitos podem demorar alguns minutos e até horas para aparecerem.

arte síria versão 28.08 (Foto: Arte/G1)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 2 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Saiba os efeitos do sarin, usado como arma química

AppId is over the quota
AppId is over the quota

O sarin, apontado pelo governo dos EUA como a arma química utilizada nos ataques ocorridos na Síria, causa uma série de efeitos em pessoas expostas a pequenas doses – náusea, vômitos, dor de cabeça, dor nos olhos e diarreia são alguns, diz um documento do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), divulgado em seu site.

A exposição a grandes doses da substância costuma causar convulsões, perda da consciência, paralisia e insuficiência respiratória, que pode levar à morte, afirma o órgão do governo americano. As informações constam na seção de “Preparação para Emergências” do CDC.

O sarin é obtido em laboratório na forma líquida mas se vaporiza facilmente. Ele atua sobre o sistema nervoso e é uma substância volátil, incolor, sem cheiro e sem gosto. Em geral ele é empregado em ataques químicos na forma de gás, mas também tem efeitos prejudiciais ao organismo na forma líquida.

O sarin usado como arma é banido pela Convenção de Armas Químicas, assinada em 1993. hoje são signatários do documento que proíbe o uso das armas 188 países – a Síria é uma das cinco nações que não participa do acordo.

Forma de gás
A forma de gás é a com maior potencial para causar danos, já que se espalha rapidamente pelo ambiente e é mais pesada que o ar, podendo atingir áreas baixas (como estações de metrô ou andares subterrâneos de prédios) e causar efeitos nas vítimas em segundos.

“A extensão do envenenamento causado pelo sarin depende da quantidade da substância a que uma pessoa foi exposta, como ela foi exposta e o tempo de exposição”, afirma o CDC. Além de se espalhar no ar, a arma química pode contaminar água, comida e a superfície de objetos.

Ataque no Japão
O sarin, também conhecido pela sigla GB, foi utilizado em dois ataques terroristas no Japão, em 1994 e 1995. Ele foi originalmente desenvolvido na Alemanha como um pesticida, em 1938, e pode ser produzido somente em laboratório, não sendo encontrado na natureza.

“Todos os agentes nervosos [que agem no sistema nervoso] causam efeitos tóxicos por inibir a atuação de uma enzima que age como o ‘botão de desligar’ do corpo para as glândulas e músculos. Sem esse ‘botão de desligar’, as glândulas e músculos do organismo ficam em estímulo constante”, afirma o boletim do CDC. “Pessoas expostas podem sentir muito cansaço e não serem capazes de continuar a respirar.”

A exposição ao sarin pode ocorrer tanto no contato com a pele quanto dos olhos, e também com a inalação do gás no ar. O sarin também causa suor excessivo, dor no peito, respiração acelerada, confusão e fraqueza. “Pessoas expostas ao sarin podem não saber que estão sob o efeito do gás porque ele não tem cheiro”, aponta o CDC.

A exposição da vítima ao sarin na forma de gás faz os sintomas aparecerem em segundos. No caso de pessoas expostas ao sarin líquido, os efeitos podem demorar alguns minutos e até horas para aparecerem.

arte síria versão 28.08 (Foto: Arte/G1)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 2 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Forças sírias usaram arma química, segundo avaliação prévia ocidental

AppId is over the quota
AppId is over the quota

Agências de inteligência dos Estados Unidos e de países aliados fizeram uma avaliação preliminar de que as forças do governo sírio usaram armas químicas para atacar uma área perto de Damasco nesta semana e que o ato provavelmente teve aprovação do alto escalão do governo do presidente da Síria, Bashar al-Assad, de acordo com fontes de segurança norte-americanas e europeias.

As conclusões iniciais devem intensificar a pressão sobre o presidente norte-americano, Barack Obama, por uma ação mais incisiva por parte dos Estados Unidos, embora ele já tenha sinalizado que pretende manter uma posição cautelosa.

Sob anonimato, fontes ouvidas pela Reuters ressaltaram que a avaliação é preliminar e que, nesta etapa, a busca por provas conclusivas ainda pode levar dias, semanas ou mais.

Em suas primeiras declarações sobre o caso, Obama disse à emissora CNN que o suposto ataque da madrugada de quarta-feira nos subúrbios de Damasco foi “claramente um fato grande, de grave preocupação”, mas salientou a importância de respeitar o direito internacional na resposta ao incidente, e alertou para os custos humanos e financeiros de um eventual envolvimento norte-americano em disputas externas.

Membros do Conselho de Segurança Nacional, do Pentágono, do Departamento de Estado e das agências de inteligência se reuniram na noite de quinta-feira na Casa Branca, mas não prepararam nenhuma recomendação ao presidente, segundo funcionários. Outras discussões estão programadas.

Uma fonte oficial admitiu que os participantes expressaram “pontos de vista diferentes”, mas negou que haja uma grave divisão no governo dos Estados Unidos sobre a Síria, tema que já provocou divergências internas anteriormente.

“Não é que as pessoas estejam gritando umas com as outras”, disse a fonte.

Potências internacionais, inclusive a Rússia, pedem que o governo sírio coopere com uma investigação da ONU sobre o incidente. Inspetores internacionais já estavam em Damasco desde domingo para apurar suspeitas anteriores de uso de armas químicas, em incidentes considerados menos graves do que o desta semana.

A oposição síria diz que pelo menos 1.300 pessoas morreram enquanto dormiam por causa do ataque com armas químicas em subúrbios de Damasco dominados pelos rebeldes. O governo sírio nega ter cometido o ataque, e não respondeu aos apelos internacionais sobre uma investigação independente.

Embora a avaliação preliminar dos EUA seja de que a cúpula do regime sírio autorizou o ataque, uma fonte oficial disse que não se descarta que um comandante local tenha decidido por conta própria disparar foguetes que emanam gás, preparando uma possível ofensiva terrestre.

arte síria versão 21.08 (Foto: Arte/G1)

View the original article here

 
1 comentário

Publicado por em 24 de agosto de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , , , , ,