RSS

Arquivo da tag: queria

Elefanta que fugiu só queria brincar, diz diretor de parque de João Pessoa

Visitantes da Bica, em João Pessoa, tiveram que ser evacuados enquanto a elefanta Lady ficou solta por quatro horas (Foto: Kleide Teixeira/G1)Visitantes da Bica, em João Pessoa, tiveram que ser evacuados enquanto a elefanta Lady ficou solta por quatro horas (Foto: Kleide Teixeira/G1)

A elefanta Lady, que fugiu da área provisória onde estava abrigada no Parque Zoobotânico Arruda Câmara, a Bica, em João Pessoa, só queria brincar. A informação é do diretor do parque, Jair Azevedo. “Ela teve um comportamento muito previsível. Estava tranquila e só queria brincar, não foi violenta em momento nenhum”, explicou Jair.

Na tarde desta quarta-feira (23), por volta das 16h30, a elefanta puxou uma tenda que caiu por cima da cerca que a protegia, deixando que ela escapasse. Quando ela fugiu, a Bica foi evacuada, conforme orienta o protocolo de segurança.

Enquanto a cerca era consertada, os funcionários da Bica ficaram entretendo a elefanta, dando frutas e campim. Lady só voltou para o ambiente por volta das 20h.

“Deu trabalho. Apesar de ela estar tranquila, a situação de ter um animal daquele tamanho solto causa muito estresse na gente. Está todo mundo exausto”, comentou Jair. De acordo com informações da Prefeitura de João Pessoa, Lady chegou com 4 toneladas na Bica e já engordou pelo menos 500kg com a nova dieta, desde agosto de 2013. Jair informou que ela chega a comer 40kg de alimento por dia.

Visitantes da Bica, em João Pessoa, tiveram que ser evacuados enquanto a elefanta Lady ficou solta por quatro horas (Foto: Kleide Teixeira/G1)Funcionários da Bica distraíram a elefanta enquanto a cerca era consertada (Foto: Kleide Teixeira/G1)

A cerca que protege Lady foi aumentada em dois metros de altura para reforçar a segurança. O ambiente onde ela ficará permanentemente abrigada terá 1.200m² e está 90% concluído, segundo o diretor da Bica. Porém, ainda não há previsão de inauguração. Nesse novo espaço, não haverá perigo da elefanta escapar novamente, garantiu Jair.

Lady foi doada à Prefeitura de João Pessoa pelo Circo Europeu. Enquanto a área definitiva não fica pronta, a elefanta recebe todo acompanhamento das equipes de biólogos e médicos veterinários.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,

‘Queria um pouco de paz’, diz Adriel do Pollo após ‘desaparecimento’

O cantor Adriel, da banda Pollo, ao lado da fã Jessica Silva, de Cambuí (MG) (Foto: Jéssica Silva/Arquivo Pessoal)Adriel ao lado da fã Jessica Silva, de Cambuí
(Foto: Jéssica Silva/Arquivo Pessoal)
Autógrafos Gabriela Rippi (à esq.) e Ariel, cantor do Pollo, dado à fã Jéssica Silva, de Cambuí (Foto: Jéssica Silva/Arquivo Pessoal)Autógrafos Gabriela Rippi e Ariel dados a Jéssica
(Foto: Jéssica Silva/Arquivo Pessoal)
Gabriela Rippi, namorada do cantor Ariel, do Pollo, dá autógrafo à estudante Jéssica Silva, de Cambuí (MG) (Foto: Jéssica Silva/Arquivo Pessoal)Gabriela dá autógrafo à estudante Jéssica Silva
(Foto: Jéssica Silva/Arquivo Pessoal)

O cantor Adriel, da banda Pollo, afirmou em entrevista ao “Encontro com Fátima Bernardes” que “queria um pouco de paz” e que “está tudo bem”, após ter sido dado como desaparecido pela assessoria de sua produtora. Ele falou por telefone ao programa no final da manhã desta quinta-feira (12).

“Tem muita coisa acontecendo na minha vida”, declarou o vocalista do grupo, que é conhecido pelo sucesso “Vagalumes”, da trilha da novela “Sangue bom”, e tem na formação o também vocalista Tomim e o DJ Kalfani, filho de 16 anos de KL Jay, dos Racionais MCs.

Adriel contou que, durante a viagem, o pneu de seu carro furou e que teve problemas com seu telefone celular. Ao fim da conversa com Fátima Bernardes, comentou que estava na casa de um tio, em Pirituba, na Zona Norte de São Paulo (SP).

Na tarde desta quarta-feira (11), Adriel foi visto em Cambuí (MG). De acordo com a Polícia Militar, o veículo de Ariel quebrou e precisou ser guinchado quando ele estava na cidade. Ele estaria acompanhado da namorada, Gabriela Rippi.

Já nesta quinta, a assessoria da produtora Máximo enviou comunicado informando que o cantor “deixou de cumprir agenda programada pela gravadora”, incluindo a gravação de um novo álbum e de programas de TV.

Teria sido cancelado, ainda, um show previsto para esta quinta. Não foi registrado nenhum boletim de ocorrência do desaparecimento.”Estamos averiguando os fatos sobre a informação do paradeiro de Adriel”, diz o texto (leia, abaixo, a íntegra da nota). E continua: “Segundo a própria família do cantor e da namorada do cantor, eles não se comunicaram até o presente momento. Só nos resta saber o que levou o Adriel a não comparecer aos compromissos.”

A PM de Cambuí diz ter recebido várias ligações de pessoas dizendo que o músico e Gabriela Rippi estavam na cidade. Os contatos teriam sido motivados por notícias sobre o suposto desaparecimento do casal.  Eles teriam sido vistos pelos fãs por volta das 19h desta quarta. O cantor teria feito fotos e dado autógrafos a fãs.

A estudante Jéssica Silva afirmou ao G1 que se encontrou com Adriel no final da tarde. “Ele estava normal, estava bem, sim. Não sabia que ele estava desaparecido, só soube depois que postei as fotos no Instagram”, disse. Ela conta ter feito uma foto com Adriel no momento em que ele lavava a mão em um comércio próximo à praça onde o pneu do carro do cantor furou.

O Pane Guincho Cambuí 24 horas confirmou ter recebido um chamado do artista para retirar o veículo dele da Praça da Cultura na tarde desta quarta. O carro foi guinchado para São Paulo (SP). A Pane Guincho, no entanto, não soube informar para onde o casal seguiu depois.

Leia abaixo a íntegra da nota enviada nesta quinta pela assessoria da banda Pollo:

“A Máximo vem através desta,

Informar que, através da Repercussão das notícias veiculadas em toda a mídia,
Obtivemos varias informações sobre o paradeiro do Adriel, integrante da Banda Pollo.
Desaparecido nesta segunda-feira dia 09 de Setembro.

Adriel deixou de cumprir agenda programada pela gravadora, como a gravação do novo Cd da banda, programas de Tv, realizados na quarta feira(11) ao Vivo e programas gravados e cancelamento de show nesta quinta(12)

Estamos averiguando os fatos sobre a informação do paradeiro de Adriel.
Segundo a própria família do cantor e da Namorada do Cantor, eles não se comunicaram até o presente momento.
Mas segundo fotos e informações os dois estão bem!

Só nos resta saber o que levou o Cantor Adriel a nao comparecer aos compromissos e
Não avisar sobre sua ausência, mesmo após toda repercussão que o caso esta tendo em toda Mídia.

Manteremos todos Informados.

Obrigado.

São Paulo 12 de Setembro de 2013″.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 13 de setembro de 2013 em Música

 

Tags: , , , ,

Miley Cyrus diz que ‘queria fazer história’ com performance no VMA

Robin Thicke e Miley Cyrus se apresentam no VMA 2013 (Foto: Rick Diamond/Getty Images for MTV/AFP )Robin Thicke e Miley Cyrus se apresentam no VMA 2013 (Foto: Rick Diamond/Getty Images for MTV/AFP )

Miley Cyrus comentou sua polêmica apresentação no Video Music Awards 2013. “Eu e Robin ficamos falando o tempo todo: ‘Você sabe que vamos fazer história hoje'”, disse a cantora, em entrevista para o site da MTV americana. “Vocês estão pensando mais sobre isso do que eu pensei quando estava fazendo. Eu pensei em nada, porque estava só sendo eu mesma”.

Na premiação da MTV dos EUA, realizada no fim de agosto, ela cantou uma música (“We can’t stop”) e dançou acompanhada do cantor Robin Thicke em outra canção, o hit “Blurred lines”. A ex-estrela teen americana fez uma coreografia bastante comentada, mostrando a língua, e fez o “twerk”, tipo de dança sensual da música pop, no qual o artista se abaixa e rebola.

Miley disse que não pensa nos comentários negativos. “Quantas vezes já vimos isso acontecer na música pop? Madonna fez isso. Britney fez. Em toda apresentação de VMA, existe uma busca que você faz; você está querendo fazer história”, explicou.

Miley Cyrus canta no Video Music Award, neste domingo (25), em Nova York (Foto: Reuters/Lucas Jackson)Miley Cyrus canta no Video Music Award, neste domingo (25), em Nova York (Foto: Reuters/Lucas Jackson)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de setembro de 2013 em Música

 

Tags: , , , , ,

Miley Cyrus diz que ‘queria fazer história’ com performance no VMA

AppId is over the quota
AppId is over the quota
Robin Thicke e Miley Cyrus se apresentam no VMA 2013 (Foto: Rick Diamond/Getty Images for MTV/AFP )Robin Thicke e Miley Cyrus se apresentam no VMA 2013 (Foto: Rick Diamond/Getty Images for MTV/AFP )

Miley Cyrus comentou sua polêmica apresentação no Video Music Awards 2013. “Eu e Robin ficamos falando o tempo todo: ‘Você sabe que vamos fazer história hoje'”, disse a cantora, em entrevista para o site da MTV americana. “Vocês estão pensando mais sobre isso do que eu pensei quando estava fazendo. Eu pensei em nada, porque estava só sendo eu mesma”.

Na premiação da MTV dos EUA, realizada no fim de agosto, ela cantou uma música (“We can’t stop”) e dançou acompanhada do cantor Robin Thicke em outra canção, o hit “Blurred lines”. A ex-estrela teen americana fez uma coreografia bastante comentada, mostrando a língua, e fez o “twerk”, tipo de dança sensual da música pop, no qual o artista se abaixa e rebola.

Miley disse que não pensa nos comentários negativos. “Quantas vezes já vimos isso acontecer na música pop? Madonna fez isso. Britney fez. Em toda apresentação de VMA, existe uma busca que você faz; você está querendo fazer história”, explicou.

Miley Cyrus canta no Video Music Award, neste domingo (25), em Nova York (Foto: Reuters/Lucas Jackson)Miley Cyrus canta no Video Music Award, neste domingo (25), em Nova York (Foto: Reuters/Lucas Jackson)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de setembro de 2013 em Música

 

Tags: , , , , ,

Tudo o que você queria saber sobre gestão de mobilidade corporativa

Uma das maiores tendências de tecnologia é o uso crescente de dispositivos orientados para o consumidor no local de trabalho. Já não é mais uma questão de saber se os departamentos de TI devem apoiar e abraçar o movimento do traga seu próprio dispositivo (BYOD). Agora, a questão é mais sobre quando e como.

Os departamentos de TI têm muito a manter em mente: a identificação dos dispositivos de propriedade dos empregados na rede; a seleção de plataformas mais recomendadas para os usuários; o provisionamento de dispositivos para acesso seguro e o monitoramento centralizado (sejam eles da empresa ou de propriedade dos empregados); a criação de regras para lidar com dispositivos perdidos ou roubados; a adoção de ferramentas que facilitem a limpeza de dados corporativos nos dispositivos dos empregados; a coordenação compras em volume em lojas de aplicativos públicos (particularmente da Apple), e a publicação em apps desenvolvidas internamente.

A maioria dessas necessidades pode ser tratada com qualquer uma das muitas suites de gerenciamento de dispositivos móveis (MDM, na sigla em inglês). Cada uma delas oferece um conjunto específico de plataformas suportadas, recursos e ferramentas de integração de sistemas corporativos.

Mas saber que você pode satisfazer as necessidades básicas de gestão e segurança da vasta lista de plataformas móveis em uso na empresa é um ótimo começo: o grande número e a qualidade das opções já disponíveis devem ajudar os gestores a respirar um pouco mais tranquilos. É apenas o primeiro passo de uma jornada que pode parecer ter quilômetros de comprimento.

Os próximos passos são todos sobre descobrir que tipo de gestão você realmente precisa, e quando. Os detalhes podem variar drasticamente de um tipo de negócio para outro e até mesmo de uma função de trabalho para outra na mesma empresa.

Identificar as especificidades pode ajudá-lo a fazer a seleção e a implementação de uma estratégia mais fácil para que o MDM dê melhores resultados.

O mínimo

No nível mais básico, há três principais necessidades que devem ser padrão em qualquer estratégia móvel:

– Instalação e provisionamento: Você precisa configurar e instalar os dispositivos, os aplicativos necessários, os certificados de segurança, as contas de usuário para e-mail ou de acesso a outros recursos internos, e o acesso à rede.

– Limpeza remota: A capacidade de apagar os dados é fundamental. Para os dispositivos de propriedade dos usuários, isso pode incluir a necessidade de deixar dados pessoais intactos, algo que não é tão comum quando os dispositivos são de propriedade da empresa.

– Políticas de segurança: As primeiras políticas devem lidar com dispositivo de bloqueio: a requisição de uma senha, designando tempo de validade desta senha e sua complexidade, auto travamento de um dispositivo quando estiver inativo, e limpeza de dados após um determinado número de tentativas falhas de desbloqueio. Políticas de segurança, muitas vezes deve ir mais longe: exigem criptografar o dispositivo inteiro, se possível – ou, pelo menos, proteger dados específicos; configurar os serviços de VPN; limitar o acesso ao dispositivo e à plataforma padrão para a instalação de app, ou definir opções de configuração específicas, impedindo os usuários de alterá-las.

Andar na corda bamba

Em muito poucos casos o gerenciamento dos dispositivos móveis será o mínimo suficiente. Mas o outro extremo – tudo que você pode gerenciar – também pode não funcionar muito bem. Pode simplesmente irritar os usuários, adicionar complexidade aos processos de configuração e gerenciamento, e drenar recursos de TI.

Gestão demais é uma grande preocupação quando se trata de mobilidade, especialmente quando você está gerenciando os dispositivos pessoais de propriedade de empregados.

Há uma linha além da qual a gestão vai parecer intrusiva, e se você atravessá-la, é provável que você acabe com uma cultura onde os trabalhadores usam ativamente seus dispositivos, mas evitam deixar os gerentes ou profissionais de TI saberem que eles o fazem. Demasiada interferência percebida pode inibir os funcionários de dar, de forma voluntária, detalhes sobre seus dispositivos, os usos que fazem e se tiveram problemas que poderiam comprometer a segurança da empresa.

Em suma, a TI tem de caminhar em uma linha tênue, e é uma linha que pode variar muito de uma organização para outra e mesmo entre diferentes papéis na mesma empresa.

Identificação de usuários diferentes

Uma vantagem que todos os vendedores de suites MDM abraçam é a ideia de que você vai querer gerenciar dispositivos diferentes de forma diferente. Isto não é um conceito novo – afinal, permissões de arquivos e recursos de gerenciamento de cliente são comuns no desktop.

Com isso em mente, a sua melhor opção é criar uma série de perfis de gerenciamento ou configurações (detalhes que podem variar dependendo do fornecedor ou plataforma, mas com conceito universal). Você pode então gerenciar múltiplas camadas de perfis, conforme necessário, e aplicá-las variando os critérios. Este modelo é, de fato, o recomendado pela Apple para a gestão de dispositivos iOS como o iPhone e o iPad nas organizações.

Você pode, por exemplo, ter um conjunto de perfis com base na plataforma móvel e liberar o OS. Dado que cada nova versão dos sistemas iOS e Android ampliou os recursos de gerenciamento e segurança disponíveis para a empresa, você poderia ter acesso a alguns recursos suportados pela versão instalada do sistema operacional, como se um dispositivo pode ou não armazenar dados usando a criptografia disponível no dispositivo ou permitir a criação de perfis para os usuários que viajam e precisam de acesso a dados de roaming aplicados aos dispositivos de propriedade da empresa.

A maioria dos fornecedores de suites MDM pode ligar para soluções de diretório e de gestão já existentes, como o Active Directory. Isto permite adaptar os perfis de usuário existentes em torno do seu grupo com características comuns.

Embora cada organização tenha as suas próprias necessidades, é possível oferecer algumas diretrizes para o nível e o tipo de manejo apropriados para determinados tipos de usuários. Considere os seguintes exemplos como base de partida para desenvolver uma estratégia de gerenciamento móvel. Nota: Você pode facilmente misturar e combinar vários dos exemplos em sua estratégia de mobilidade.

– Completamente bloqueado: O usuário não tem capacidade de adicionar ou alterar apps, mexer com as definições de configuração, ou modificar contas de e-mail. O acesso a redes corporativas sem fio não é proibido.

– Restrição de compra: O objetivo principal é evitar a adição de aplicativos móveis, particularmente aqueles que podem levar a problemas de segurança. Dependendo de propriedades da plataforma e do dispositivo, isso pode ser aplicado também para a compra e instalação de conteúdo, como na loja iTunes da Apple. (Bom para dispositivos de propriedade da empresa.)

– Restrição de conteúdo: Limita o conteúdo que pode ser acessado a partir de um dispositivo, incluindo áudio/vídeo, websites e, potencialmente, meios de comunicação social. (Bom para dispositivos de propriedade da empresa, especialmente se eles estão voltados para o cliente. Por exemplo, se forem usadas como uma ferramenta de vendas ou de informações ou em uma sala de aula.)

– Definições pré-configuradas: Útil, com ou sem gestão, permite configurar automaticamente serviços corporativos e contas do usuário com recursos comuns, como acesso a redes Wi-Fi, VPNs, e-mail de usuário ou contas Exchange. O objetivo é fazer com que o usuário seja identificado rapidamente, para não limitar o acesso. (Bom para qualquer implantação, particularmente quando um dispositivo irá alternar entre o uso pessoal e profissional.)

– Restrições para chamadas/mensagens/roaming: Indicada principalmente para dispositivos de propriedade da empresa,. A ideia é evitar sobrecarga no plano de chamadas. Idealmente, esta é determinada pelas necessidades do empregado e deve ser parte do pacote de uma empresa de serviços mais amplo.

– Apps pré-instaladas: Similar às definições de pré-configuração, isso garante que os aplicativos necessários – inclusive personalizados em aplicações internas ou aplicativos de uma loja pública – são pré-instalados em um dispositivo. Isto é particularmente útil se os aplicativos são comprados em volume. A abordagem requer normalmente o uso de uma solução de MDM que ofereça uma loja de aplicativos para usuários privados.

Restrição de sincronização: Limitar que computadores e serviços de um dispositivo móvel possam sincronizar dados. Isto se aplica geralmente a backups no iTunes usando a iCloud, mas poderia se aplicar a outras plataformas e serviços. O objetivo é impedir a criação de um backup externo de dados da empresa. (Deve ser usado para todos os dispositivos de propriedade da empresa, mas pode ser problemática para dispositovos de propriedade ddos usuários.)

– Acesso seguro habilitado: Envolve a configuração de serviços de segurança disponíveis para garantir que os dados são transmitidos de/para um dispositivo de forma segura. Isto poderia significar a configuração de uma VPN, bem como acesso SSL para serviços como e-mail ou servidores Web, com provisionamento de certificados de segurança necessários.

– Serviço de nuvem habilitado: O dispositivo é pré-configurado para acesso privado ou a serviços da empresa na nuvem pública.

Restrição de acesso à nuvem pessoal: Limitar ou impedir o acesso aos serviços de nuvem pessoal, incluindo a iCloud. (Pode ser desafiador quando aplicada aos dispositivos de propriedade do empregado.)

– Restrições de localização de dados: Impedir o dispositivo de utilizar os serviços de localização inteiramente ou limitar o acesso a aplicativos que trabalham com dados de localização. Este é um desafio particular, dada a onipresença de recursos baseados em localização em dispositivos móveis, hoje. Uma solução: criar uma lista branca de aplicativos autorizados a usar dados de localização.

Trabalhando com usuários

A gestão da mobilidade e as abordagens BYOD podem trazer novas capacidades para os trabalhadores e desafios para a TI . É importante perceber que a equipe de já não pode, sozinha, decidir sobre soluções ou a correção de problemas. A relação entre TI e usuários precisa ser colaborativa.

Parte dessa colaboração é uma operação de TI que escuta e responde às necessidades do usuário, suas ideias e até mesmo críticas. O fato de que os dispositivos de propriedade pessoal permite aos usuários usar o dispositivo sem o conhecimento da equipe de TI é um desafio que anima a trabalhar com os usuários e não contra eles.

Isto significa proporcionar educação ao usuário em áreas como segurança, gestão de custos e questões legais ou regulamentares – uma abordagem que muitas vezes ajuda a desenvolver interações mais amigáveis e ajuda os trabalhadores a entenderem e aceitarem os limites que a TI precisa impor.

Um trabalho em progresso

Em última análise, a gestão de dispositivos móveis e o apoio dos funcionários na aquisição de tecnologia são conceitos muito novos. Não há regras rígidas e rápidas, e, em muitas situações, há uma orientação limitada – interna ou externa – para trabalhar. Isso pode fazer o trabalho envolvido parecer assustador, mas também pode oferecer oportunidades para novas ideias e trabalhar de forma mais colaborativa – os benefícios podem se estender para além destas áreas limitadas para outros projetos ou upgrades, e como eles são planejados ou considerados.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 23 de junho de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

“Steve Jobs queria iPod que ‘imitasse’ o vinil”, diz Neil Young

AppId is over the quota

O cantor canadense de rock/folk Neil Young revelou esta semana que trabalhava junto com o ex-CEO da Apple, Steve Jobs, no projeto de um substituto do iPod que tocaria áudio com alta qualidade , informa o jornal inglês The Guardian.

A razão para o novo projeto da dupla seria que eles estavam preocupados com a baixa qualidade dos formatos digitais de músicas. “Steve Jobs era um pioneiro da música digital, mas quando ele ia para casa ouvia vinil”, afirmou o cantor.

Além disso, o sucessor do iPod faria o download do conteúdo em alta resolução enquanto o usuário estivesse dormindo, disse Young durante o evento D: Dive Into Media.

No entanto, Young reclamou que desde a morte de Jobs, em outubro, “não tem acontecido muita coisa no projeto”. Atualmente, o cantor de 66 anos prepara um novo disco com a sua banda Crazy Horse e publicou nesta semana, em seu site oficial, um vídeo de 37 minutos mostrando uma jam do grupo durante as gravações no estúdio.

neilyoung01.jpg

Cantor canadense tocou no Brasil em 2001 com sua banda Crazy Horse

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 1 de março de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,