RSS

Arquivo da tag: populao

População denuncia vazamento de minério em igarapé do Pará

Empresa reconhece vazamento, mas diz que incidente teve pequena proporção (Foto: Divulgação / MPF)Empresa reconhece vazamento, mas diz que incidente teve pequena proporção (Foto: Divulgação / MPF)

Moradores de Barcarena, Nordeste do Pará, denunciam vazamento de caulim, um minério utilizado na produção de materiais como papel e cerâmica, no igarapé Curuperé. Segundo a população, o vazamento foi descoberto na noite de terça-feira (6), e começou na empresa Imerys, que beneficia caulim perto do Igarapé. Em nota, a empresa reconhece que houve vazamento, mas diz que o incidente foi de pequena proporção, e alega que o material não é tóxico.

Igarapé ficou tingido de branco por causa do caulim (Foto: Divulgação / MPF)Igarapé ficou tingido de branco por causa do caulim
(Foto: Divulgação / MPF)

O caso está sendo investigado pelos ministérios públicos do Estado (MPE) e Federal (MPF), que visitaram o local nesta quarta-feira (7). Segundo o MP, as famílias ribeirinhas que dependem do igarapé estão desde ontem sem acesso a água própria para o consumo.

A Delegacia de Meio Ambiente (DEMA) abriu inquérito para apurar se houve crime ambiental. Equipes das Secretarias de Meio Ambiente do Estado e do Município de Barcarena também estiveram no local.  Equipes do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves foram enviadas para Barcarena, e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente também foi acionado.

A Promotoria de Justiça de Barcarena instaurou um procedimento para investigar a extensão do vazamento, que pode ter atingido o igarapé Dendê, onde também moram famílias ribeirinhas. Esta não é a primeira vez que a população denuncia este tipo de ocorrência em Barcarena: o MPF já tem um procedimento que apura a poluição causada pelo pólo industrial de Barcarena.

Veja, na íntegra, a nota da Imerys
A Imerys informa que registrou o vazamento de um pequeno volume de caulim na planta industrial de Barcarena na noite desta terça-feira (06). O mesmo durou de 20h54 às 21h03 (9 minutos), quando foi totalmente contido. A causa do incidente está sendo investigada pela empresa.

“A ação da equipe da Imerys foi ágil reestabelecendo rapidamente a normalidade. Reiteramos o comprometimento com a segurança das nossas atividades e com o esclarecimento dos fatos às autoridades, que visitaram hoje a planta de Barcarena”, afirmou Isabela Malpighi, Diretora de Meio Ambiente, Saúde, Segurança e Sustentabilidade da empresa.

Não é verdadeira a informação de que houve risco de rompimento das bacias da empresa. Também não possui fundamento afirmações de danos provocados à pele pelo caulim. O caulim é inerte e não tóxico.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

No AP, população vai opinar sobre concessão de florestas a empresas

Apenas 3,7% das terras do Amapá estão registradas em nome do estado (Foto: Abinoan Santiago/G1)Serão concedidos no Amapá 146 mil hectares de terras em floresta estadual (Foto: Abinoan Santiago/G1)

População de três municípios amapaenses poderão opinar sobre o processo de licitação que vai conceder a empresas privadas 16% do território do estado para exploração de madeira na Floresta Estadual do Amapá (Flota). A participação acontecerá em audiências públicas marcadas para 22, 26 e 29 de março, em Porto Grande, Pedra Branca do Amapari e Mazagão, respectivamente. Os municípios serão os afetados pela concessão da floresta.

Ana Euler, diretora-presidente do Instituto Estadual de Florestas do Amapá (Foto: Marcelle Nunes/IEF)Ana Euler, diretora-presidente do Instituto Estadual
de Florestas do Amapá (Foto: Marcelle Nunes/IEF)

As reuniões vão debater o pré-edital de licitação, publicado em novembro de 2013. O documento servirá como base ao edital definitivo, com previsão de ser lançado no fim de abril, segundo o governo do Amapá. A licitação vai abranger três Unidades de Manejo Florestal (UMF) da Flota, com cerca de 146 mil hectares.

“As audiências servirão para o processo licitatório se tornar público e também como forma de contribuição com o edital”, resumiu a diretora-presidente do Instituto Estadual de Florestas (IEF) do Amapá Ana Euler.

Ao reunir as propostas nas audiências, o governo tem em torno de 15 dias para analisá-las e se necessário alterar o texto do edital definitivo. Após fazer o lançamento da licitação prevista para abril, as empresas vencedoras do certame terão o tempo de concessão de 40 anos.

Elas terão em média dois anos para montar todo o parque industrial no Amapá. Nesse período, as empresas já serão obrigadas a pagar ao estado, o valor dos royalties previstos com a exploração da madeira, mesmo que a atividade não tenha começado.

Deputados tentaram revogar lei que criou a Flota no Amapá (Foto: Jaciguara Cruz/Decom/Alap)Deputados tentaram revogar lei que criou a Flota no
Amapá (Foto: Jaciguara Cruz/Decom/Alap)

Briga
No entanto, apesar de haver previsão de lançamento do edital, o governo do estado enfrenta uma forte oposição de parlamentares da Assembleia Legislativa, que questionam sobre a legalidade da Floresta Estadual do Amapá, assunto que virou polêmica desde o anúncio das concessões florestais em 2013.

Em 17 de fevereiro de 2014, a lei que criou a Flota esteve perto de ser revogada pelos deputados. No entanto, a votação foi adiada sob recomendação do Ministério Público do Amapá (MP/AP).

O pedido de revogação é encabeçado pelo deputado Eider Pena (PSD), que no dia da apreciação da anulação da lei, avaliou ser inconstitucional a criação da floresta. Ele acrescentou a possibilidade de seis mil pessoas, que dizem viver dentro da área da Flota, serem expulsas após o início do manejo madeireiro. Em 2013, associações de agricultores fizeram por duas vezes manifestações na Assembleia a fim de pressionar a revogação da lei.

Deputado Eider Pena alega que não houve audiências públicas para consulta da população (Foto: Abinoan Santiago/G1)Deputado Eider Pena alega que não houve
audiências públicas para consulta da população
(Foto: Abinoan Santiago/G1)

A votação dos deputados iria ignorar uma decisão judicial expedida quatro dias antes da sessão que apreciaria a revogação. Em de 13 de fevereiro, o juiz federal da 6ª Vara da Seção Judiciária do Amapá Rodrigo Bentemuller anulou outra liminar, do juiz João Bosco, que havia entendido pela inconstitucionalidade da Flota, em novembro de 2013.

“As pessoas que moram há muitos anos dentro dessa área nunca foram consultadas e a partir da criação de uma unidade de conservação, elas deixam de ser proprietárias da terra, ficando impossibilitadas de fazer financiamento, entre outros benefícios”, argumentou o parlamentar.

Agricultores protocolaram documento pedindo mais terras na manhã desta terça-feira (Foto: Dyepeson Martins/G1)Agricultores protocolaram documento pedindo
revogação da Flota (Foto: Dyepeson Martins/G1)

Para a diretora-presidente do Instituto Estadual de Florestas, a alegação dos deputados não condiz com o previsto na própria lei, que garante a posse das terras a famílias tradicionais. “Vamos fazer um censo discriminatório para identificar quantas pessoas estão dentro da Flota. Se elas moram desde antes da criação, vão ter o direito de continuar, conforme a lei. Pelos estudos declaratórios já realizados, temos 400 famílias, número bem abaixo do contabilizado pela Assembleia. E todas elas se enquadram nos critérios de permanência na floresta. Temos números que comprovam isso. Eles [deputados] dizem que têm seis mil pessoas, mas não apresentam dados”, rebateu Ana Euler.

Eider Pena é dono de propriedades de terras no Amapá. Ele nega que esteja legislando em causa própria e que não possui posse dentro da Flota. “Eu tenho uma propriedade de 15 módulos fiscais. Ela é minha, inclusive com decisão da Justiça, e existe no cerrado, e não na floresta. Planto milho e soja, diferente de plano de manejo. Se alguém quiser, pode investigar minha vida para saber se tenho algum palmo de terra dentro da Floresta Estadual do Amapá”, afirmou.

Concessão de florestas tem três fases a serem seguidas (Foto: Divulgação/IEF Amapá)Concessão de florestas tem três fases a serem seguidas (Foto: Divulgação/IEF Amapá)

‘Saída econômica’
A concessão florestal busca, segundo o governo do estado, desenvolver o Amapá economicamente a fim de ‘fugir’ da influência da administração pública na economia local. Em 2011, por exemplo, o segmento teve a participação de 48,7% no Produto Interno Brito (PIB), conforme apontou a Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan).

IEF diz que 400 famílias moram dentra da área da Flota do Amapá (Foto: Divulgação/IEF Amapá)IEF diz que 400 famílias moram dentra da área da Flota do Amapá (Foto: Divulgação/IEF Amapá)

Cada uma das Unidades de Manejo Florestal tem um preço mínimo para o metro cúbico de madeira na comercialização. O valor varia entre R$ 31,50 a R$ 40 de toras de madeiras por metro cúbico.

“Considerando o preço mínimo do produto, temos uma expectativa anual de arrecadar R$ 3 milhões de forma direta, e mais R$ 5 milhões de maneira indireta através de impostos. Além disso, as comunidades do entorno do lote serão beneficiadas com empregos diretos e indiretos a serem proporcionados nos municípios”, explicou Ana Euler.

O desenvolvimento também vai funcionar com a instalação de parques industriais nos municípios afetados pela Flota, um dos requisitos do edital. As empresas ficarão proibidas de extrair a matéria-prima madeireira sem beneficiá-la no próprio local onde ocorreu a exploração.

Doutor da Ueap Breno Silva diz que não vai haver consequências se manejo seguir legislação (Foto: Abinoan Santiago/G1)Doutor da Ueap Breno Silva diz que não vai haver
consequências se manejo seguir legislação
(Foto: Abinoan Santiago/G1)

Consequências
A Floresta Estadual do Amapá é classificada como unidade de conversação. O professor doutor do curso de engenharia florestal da Universidade Estadual do Amapá (Ueap) Breno Silva avalia que se explorada de maneira adequada, conforme a legislação ambiental exige, a Floresta Estadual do Amapá não terá impactos preocupantes.

“Objetivo da unidade de conservação é compatibilizar a natureza com o uso sustentável dos recursos naturais. Então pode-se explorar e manter as matérias-primas sem ser agressivo ao meio ambiente”, explicou Silva.

Material recolhido em limpeza da Prefeitura de Macapá foi reaproveitado (Foto: John Pacheco/G1)Artesanatos poderão ser feitos com madeira
legalizada em manejo (Foto: John Pacheco/G1)

O especialista ainda informou que o desenvolvimento a ser proporcionado pela extração legal de madeira ocorre com o beneficiamento econômico em cadeia. “Além das toras, ainda pode-se usar o resto do beneficiamento para fomentar a produção de telhas em olarias, carvão vegetal, móveis e artesanato, que são produtos com a maioria da matéria-prima ilegal. Então, se a origem da madeira for legalizada, o restante da cadeia produtiva também será regularizada”, afirmou.

Flota
A Flota abrange uma área de 2,3 milhões de hectares. Desse total, 1,5 milhão de hectares será destinado às concessões florestais.

A Floresta Estadual do Amapá abrange parte de dez municípios do Amapá: Mazagão, Porto Grande, Pedra Branca do Amapari, Serra do Navio, Ferreira Gomes, Tartarugalzinho, Pracuúba, Amapá, Calçoene e Oiapoque.

Apesar de ocorrer licitação, o governo garante não privatizar a floresta porque haverá apenas a delegação do uso dos recursos naturais, e não o termo de posse.

Flota no Amapá abrange parte de área de dez municípios (Foto: Abinoan Santiago/G1)Flota no Amapá abrange parte de área de dez municípios (Foto: Reprodução)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Brasil possui a 4ª maior população de ‘nativos digitais’ do mundo, diz ONU

O Brasil é o país que possui a quarta maior população do mundo de “nativos digitais”, jovens que cresceram acompanhando de perto a expansão da internet e estão acostumados às muitas mudanças trazidas pela web. Os dados foram compilados pela União Internacional das Telecomunicações (UIT), órgão da ONU, e divulgados nesta segunda-feira (7).

É a primeira vez que a entidade faz esse tipo de mensuração, que consta na pesquisa “Medindo a Sociedade da Informação”.

A UIT admite não haver consenso entre os critérios usados para caracterizar alguém como “nativo digital”, assim como os efeitos de ter nascido na era da informação. Segundo a metodologia criada pela entidade para mensurar esse grupo, são nativos os jovens entre 15 e 24 anos que já possuem experiência de conexão à internet de pelo menos cinco anos.

Brasil tem a 4ª maior população de jovens entre 15 e 24 anos com mais de cinco anos de uso da web, o ‘nativos digitais’PaísPopulação, em milhõesFatia de ‘nativos digitais’ na população, em %Fatia de ‘nativos digitais entre os jovens, em %

O Brasil possui pouco mais de 20 milhões de “nativos digitais”, que formam um grupo apenas menor aos da China (75,2 milhões), Estados Unidos (41,3 milhões) e Índia (22,6 milhões).

“Enquanto não existe consenso na literatura do impacto exato que as tecnologias da informação e comunicação têm sobre os jovens, há consenso geral que as mídias digitais estão mudando o jeito que eles aprendem, brincam, socializam e participam da vida civil”, escreve a UIT a respeito das transformações enfrentadas por esses jovens.

Eles já são 5,2% da população mundial e chegam a 30% do total dos jovens. De acordo com o órgão da ONU, ainda são minoria mesmo entre os jovens devido ao baixo uso da internet em muitos países em desenvolvimento.

No entanto, pondera a pesquisa, a própria expansão da internet é um fenômeno recente, visto que, até 2007, apenas 21% da população global estava on-line.

Jovem e plugado
Não é surpresa, ressalta o documento, que países populosos como Brasil, China e Índia estejam no topo das nações com mais “nativos digitais”. No entanto, esses países podem ver esse contingente crescer ainda mais. Enquanto os jovens conectados são 95,6% da juventude norte-americana, chega a 34,7% dos jovens da China e a 9,5% dos da Índia. No Brasil, 60,2% dos jovens são “nativos” –10% do total dos brasileiros.

Apesar da grande população, que colabora para formar um grande exército de nativos, o mesmo estudo da UIT mostra que o custo de estar conectado no Brasil é um dos mais altos do mundo.

O minuto das ligações por celular, o principal serviço de telefonia do país e motor da expansão da banda larga móvel, chega a US$ 0,74. A quantia é mais de setenta vezes o valor de US$ 0,01, cobrado na Coreia do Sul, país mais barato.

A despeito da quantidade de jovens conectados, a banda larga fixa é apenas a 55ª mais barata do mundo, custando, em média, US$ 17,20, cerca de R$ 40. Até no envio do SMS, o país esta entre os maiores: cobrando US$ 0,23 o torpedo, é o segundo mais caro.

Já na lista dos países com maior proporção dos “nativos digitais” entre os jovens estão os mais desenvolvidos. Encabeçado pela Coreia do Sul, com 99,6% de sua juventude conectada e com experiência no acesso à internet, o ranking posiciona o Brasil na 50ª posição.

Em comum, os países que encabeçam essa lista possuem alto índice de desenvolvimento em tecnologia da informação e comunicação (IDI), criado pela própria UIT. Isso quer dizer que essas nações equilibram bem o nível acesso à web, o uso da rede e as habilidades desenvolvidas on-line. Com IDI de 5, o país está no 62º posto.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 9 de outubro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,

População mundial se aproximará dos 10 bilhões em 2050, diz estudo

A população mundial alcançará 9,731 bilhões de habitantes em 2050 contra 7,141 bilhões em 2013, segundo um estudo bienal do Instituto francês de Estudos Demográficos (INED), publicado nesta terça-feira (1°).

Ao final do século XXI, o planeta terá de 10 a 11 bilhões de habitantes, segundo projeções do INED, que faz seus próprios estudos em paralelo com os feitos pelas Nações Unidas, o Banco Mundial e outros grandes institutos nacionais.

O índice de fertilidade mundial é de 2,5 filhos por mulher em 2013 – cinco em 1950 – com fortes disparidades regionais segundo o estudo, sobretudo entre os dois extremos que são o Níger (7,6 filhos por mulher) e a Bósnia-Herzegovina (1,2 filho por mulher).

A África concentrará um quarto da população mundial em 2050 segundo o estudo, que prevê que 2,435 bilhões de pessoas viverão no continente em 2050, mais que o dobro do 1,1 bilhão registrado em 2013.

Com um índice de fertilidade de 1,6 filho por mulher, a Europa continental será a única a registrar uma queda da população, que passará de 740 milhões de habitantes em 2013 para 726 milhões em 2050, segundo o INED.

A América vai superar 1 bilhão de habitantes, passando de 958 milhões de habitantes em 2013 para 1,228 bilhão em 2050; a Ásia dará um salto de 4,305 bilhões de habitantes em 2013 para 5,284 bilhões em 2050; e a Oceania vai progredir de 38 para 58 milhões, prevê o Instituto.

Atualmente, o “G7”, grupo dos países populosos do planeta, é composto por China (1,360 bilhão de pessoas), Índia (1,276 bilhão), Estados Unidos (316,2 milhões), Indonésia (248,5 milhões), Brasil (201 milhões), Paquistão (190,7 milhões) e Nigéria (174,9 milhões).

Em 2050, a classificação dos países mais populosos deverá ser bastante diferente, com a Índia à frente (1,650 bilhão) seguida de China (1,314 bilhão) e Nigéria que, com 444 milhões de habitantes, vai superar os Estados Unidos (400 milhões).

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 1 de outubro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Metade da população urbana brasileira tem internet em casa, diz Ibope

O Distrito Federal ocupa o primeiro lugar na lista das regiões metropolitanas que mais acessam a internet das resdências

Metade da população brasileira que vive em regiões metropolitanas tem internet em casa. É o que aponta a 24º Internet Pop, do IBOPE Media, estudo que apresenta um mapeamento completo dos hábitos de consumo da internet no país.

O Distrito Federal ocupa o primeiro lugar na lista das regiões metropolitanas que mais acessam a internet de casa. Em seguida aparecem Campinas (60%), Curitiba (58%), Florianópolis (55%), São Paulo (54%) e Belo Horizonte (50%), todas acima ou igual a média nacional, que é de 50%. Abaixo desta classificação aparecem Porto Alegre e Rio de Janeiro, ambas com 49%, Salvador (47%) e Recife (44%). As duas últimas colocadas são Goiânia (36%) e Fortaleza (30%).

O estudo mostra também que, em poucos anos, o Brasil migrou da navegação em lan houses para o acesso à internet domiciliar. Se, em 2010, 26% dos internautas frequentavam lan houses, hoje são apenas 13%.

A edição do estudo foi realizada entre os dias 24 de setembro e 07 de outubro de 2012. Ao todo foarm entrevistados mais de 18 mil pessoas com 10 anos de idade e mais.

A 24ª Internet Pop reúne informações de 13 regiões: Grande São Paulo, Grande Rio de Janeiro, Grande Belo Horizonte, Grande Porto Alegre, Grande Curitiba, Grande Recife, Grande Fortaleza, Grande Salvador, Distrito Federal, Campinas, Grande Florianópolis, Grande Goiânia e Grande Vitória.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 18 de junho de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Quase 25% da população mundial pretende ver as Olimpíadas via web

Estudo da Ipso diz que as mídias preferidas serão a televisão (65%), Internet (23%), smartphones (6%) e tablets (4%)

Pesquisa divulgada pela consultoria Ipsos nesta sexta (27) revela que 72% da população de 24 países pretende assistir pelo menos alguma parte das Olimpíadas 2012, em Londres. O estudo diz que as mídias preferidas serão a televisão (65%), Internet (23%), smartphones (6%) e tablets (4%). 

Entre os esportes mais citados, aparecem o atletismo (20%) e futebol (20%). As modalidades são seguidas de perto por natação (16%), ginástica olímpica (14%), vôlei (5%), basquete (4%), boxe (3%) e ciclismo (2%).

“Como sempre, as atenções estão voltadas para as Olimpíadas. O que está mudando é a forma como ela será vista, devido à evolução na distribuição digital de conteúdo”, diz Odmar Almeida Filho, CEO da Ipsos no Brasil. A enquete foi feita com 18,6 habitantes de diversos países. 

Mais de seis em cada dez pessoas (62%) afirmaram ter interesse (22% fortemente, 40% algum interesse) nos Jogos – apenas 37% declaram que não pretendem assistir nada (24% não muito interessados e 13% nenhum interesse). 

As Olimpíadas serão assistidas em plataformas variadas. A TV (65%) lidera, mas as novas tecnologias já aparecem com vigor. Quase um quarto dsa pessoas usará a Internet (23%) e um em cada dez, celulares (6%) ou tablets (4%). A TV tem presença fortíssima no México, com 82% de preferência, seguido pela Coréia do Sul (80%), Brasil (79%) e índia (75%). Já na Bélgica (48%), Arábia Saudita (49%), Alemanha (50%) e França (52%) o uso da TV é menos provável.

Os chineses são os mais propensos a utilizar tecnologias menos tradicionais. Na verdade, quase toda a base respondente (94%) da China indicou: 67% vai assistir pela Internet, 16% em telefones celulares e 15% em tablets. 

Na Índia, uma maioria similar irá utilizar as novas tecnologias: 50% online, 24% via celulares e 15% em tablets. Os próximos países da lista a utilizar novas tecnologias ainda mantêm alguma distância em relação à China e à Índia: Coréia do Sul (58% online, celular e tablets combinados), Arábia Saudita (54%) e Turquia (43%). 

Menos de um em cada cinco dos entrevistados da Bélgica (14%), Itália (14%), Alemanha (15%), Austrália (16%) e França (16%) vão utilizar as tecnologias não convencionais. Um dado interessante é que um em cada vinte fortemente concorda em baixar algum aplicativo de smartphone para assistir os jogos ao vivo (5%) e receber as atualizações sobre as competições (5%). Um em cada sete pode fazer: 15% “concorda um pouco” em baixar algum aplicativo para assistir aos jogos enquanto 16% “concorda um pouco” em buscar aplicativo para receber as atualizações.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de outubro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Quase 25% da população mundial pretende ver as Olimpíadas via web

Estudo da Ipso diz que as mídias preferidas serão a televisão (65%), Internet (23%), smartphones (6%) e tablets (4%)

Pesquisa divulgada pela consultoria Ipsos nesta sexta (27) revela que 72% da população de 24 países pretende assistir pelo menos alguma parte das Olimpíadas 2012, em Londres. O estudo diz que as mídias preferidas serão a televisão (65%), Internet (23%), smartphones (6%) e tablets (4%). 

Entre os esportes mais citados, aparecem o atletismo (20%) e futebol (20%). As modalidades são seguidas de perto por natação (16%), ginástica olímpica (14%), vôlei (5%), basquete (4%), boxe (3%) e ciclismo (2%).

“Como sempre, as atenções estão voltadas para as Olimpíadas. O que está mudando é a forma como ela será vista, devido à evolução na distribuição digital de conteúdo”, diz Odmar Almeida Filho, CEO da Ipsos no Brasil. A enquete foi feita com 18,6 habitantes de diversos países. 

Mais de seis em cada dez pessoas (62%) afirmaram ter interesse (22% fortemente, 40% algum interesse) nos Jogos – apenas 37% declaram que não pretendem assistir nada (24% não muito interessados e 13% nenhum interesse). 

As Olimpíadas serão assistidas em plataformas variadas. A TV (65%) lidera, mas as novas tecnologias já aparecem com vigor. Quase um quarto dsa pessoas usará a Internet (23%) e um em cada dez, celulares (6%) ou tablets (4%). A TV tem presença fortíssima no México, com 82% de preferência, seguido pela Coréia do Sul (80%), Brasil (79%) e índia (75%). Já na Bélgica (48%), Arábia Saudita (49%), Alemanha (50%) e França (52%) o uso da TV é menos provável.

Os chineses são os mais propensos a utilizar tecnologias menos tradicionais. Na verdade, quase toda a base respondente (94%) da China indicou: 67% vai assistir pela Internet, 16% em telefones celulares e 15% em tablets. 

Na Índia, uma maioria similar irá utilizar as novas tecnologias: 50% online, 24% via celulares e 15% em tablets. Os próximos países da lista a utilizar novas tecnologias ainda mantêm alguma distância em relação à China e à Índia: Coréia do Sul (58% online, celular e tablets combinados), Arábia Saudita (54%) e Turquia (43%). 

Menos de um em cada cinco dos entrevistados da Bélgica (14%), Itália (14%), Alemanha (15%), Austrália (16%) e França (16%) vão utilizar as tecnologias não convencionais. Um dado interessante é que um em cada vinte fortemente concorda em baixar algum aplicativo de smartphone para assistir os jogos ao vivo (5%) e receber as atualizações sobre as competições (5%). Um em cada sete pode fazer: 15% “concorda um pouco” em baixar algum aplicativo para assistir aos jogos enquanto 16% “concorda um pouco” em buscar aplicativo para receber as atualizações.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de outubro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,