RSS

Arquivo da tag: ponto

Moradores de Salto encontram jiboia em ponto de ônibus

Cobra (Foto: TEM Você/Marcos Vinícius Brandão)Cobra foi encontrada no bairro São Judas (Foto: TEM Você/Marcos Vinícius Brandão)

Os moradores do bairro São Judas, em Salto (SP), levaram um susto ao encontrar uma jiboia solta em um ponto de ônibus ao lado de um terreno baldio, no início da tarde desta sexta-feira (2). Assustado, Marcos Vinícius Brandão, morador próximo ao ponto, conta que o grupo acionou o Corpo de Bombeiros da cidade, por volta das 14h, para capturar a cobra.

Como a ajuda demorou a chegar, os próprios moradores colocaram o animal dentro de um balde e, de carro, levaram-no para um canavial próximo. “Os bombeiros disseram que viriam buscar quando estivessem mais sossegados, mas não vieram”, explica Marcos, que enviou uma foto da cobra pelo aplicativo TEM Você.

Segundo o Corpo de Bombeiros, como o animal era considerado pequeno e inofensivo, ninguém ficou ferido.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Motorista ‘se exibe’ com derrapagem e bate carro em ponto de ônibus

Um vídeo gravado em uma rua coberta de neve flagrou a tentativa desastrada de um motorista de um carro de luxo de fazer uma derrapagem (conhecida como “drift”), que terminou com a colisão em um ponto de ônibus (assista ao vídeo).

Vindo em alta velocidade, o condutor tenta completar a derrapagem, mas perde o controle e acaba colidindo com um ponto de ônibus. Apesar do susto, ninguém se feriu, e os danos foram apenas materiais.

A gravação foi bastante compartilhada e assistida mais de 160 mil vezes.

Motorista tentou derrapagem e acabou batendo carro em ponto de ônibus (Foto: Reprodução/YouTube/TheBalkanGameplay)Motorista tentou derrapagem e acabou batendo carro em ponto de ônibus (Foto: Reprodução/YouTube/TheBalkanGameplay)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 8 de fevereiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Vídeo com voo de águia sob o ponto de vista da ave faz sucesso na web

Imagem do vídeo que mostra o voo da águia (Foto: Reprodução/YouTube/Srachi)Imagem do vídeo que mostra o voo da águia (Foto: Reprodução/YouTube/Srachi)

Um vídeo que mostra o “ponto de vista” de uma águia durante um voo na região do Mar de Gelo, próximo a Chamonix, nos Alpes franceses, tem feito sucesso no Youtube – já são mais de 340 mil visualizações em dois dias.

As imagens mostram a águia sobrevoando a área montanhosa próxima das fronteiras com a Suíça e a Itália. É possível ainda escutar o barulho do vento e observar pessoas (na parte final da gravação) que aguardavam no solo o momento do pouso da ave de rapina (assista ao vídeo).

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 22 de setembro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , ,

Órgão regulador não vai permitir endereços web ‘sem ponto’

A Corporação de Atribuição de Nomes e Números na Internet (Icann) publicou um comunicado anunciando a não permissão de endereços web “sem ponto”, como “http://search”.

A Icann é a organização responsável pelo gerenciamento dos “nomes” da internet, endereços como “http://g1.com.br”. A Icann delega a administração de cada terminação a outras organizações, mas mantém a autoridade para determinar as regras gerais de uso dos endereços.

Os endereços sem ponto se tornaram teoricamente possíveis após a liberação de novas terminações globais atribuídas a empresas específicas, diferentes das já existentes (como “.com “ou “.net”) que foram criadas apenas para ter endereços de segundo nível.

O início do processo para pedir a liberação das novas terminações ocorreu em agosto de 2011. Empresas interessadas pagaram US$ 185 mil (R$ 430 mil) pelos domínios desejados.

Se fossem permitidos, os endereços “sem ponto” viabilizariam acessos como “http://search” ou “http://google”, bem como endereços de e-mail como “nome@google”. Em uma carta à Icann, o Google manifestou oficialmente o interesse em disponibilizar esses endereços.

Citando três relatórios técnicos contrários ao uso desse tipo de endereço, a Icann anunciou uma decisão final pela proibição.

Entre os motivos citados está o de que os endereços poderiam gerar conflitos com nomes de sistemas internos de empresas, o que faria com que dados “vazassem” para a internet. Outro motivo dado pela Icann é o recurso de alguns softwares de adicionar automaticamente outra terminação, como “.com”, quando um endereço sem ponto é digitado.

A organização disse ainda que não pretende “realizar novos estudos” sobre o tema, o que, na prática, encerra os projetos do Google de administrar o domínio.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 6 de setembro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , ,

Fabricantes questionam portaria que regulamenta ponto eletrônico

Audiência pública realizada em Brasília dividiu representantes da indústria, patrões e empregados

10 de dezembro de 2012 – 19h07

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado debateu hoje (10/12) a portaria do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) que regulamenta o uso do ponto eletrônico e que impõe, entre outras exigências, a impressão do registro feito pelo trabalhador. Durante a audiência pública, o tema dividiu representantes do governo, fabricantes do equipamento, associações de empregadores e de trabalhadores, juízes e procuradores do Trabalho.

Na comissão, discutiu-se a possibilidade de aprovação do Projeto de Decreto Legislativo (PDS) 593, de 2010, que susta os efeitos da Portaria 1.510/2009 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). A justificativa para a criação do decreto é que a portaria é um “excesso regulatório”, sobre tema já contemplado na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Segundo o representante do MTE, o auditor fiscal do Trabalho Edgar Moreira Brandão, que representou o ministro do Trabalho e Emprego, Brizola Neto, a portaria tem o objetivo de dar segurança a trabalhadores e a empregadores, por meio do acesso á informação e da transparência. A norma também disciplina o uso obrigatório do Registro Eletrônico de Ponto (REP) e determina os requisitos básicos dos aparelhos usados para esse fim.

Brandão não descartou a possibilidade de aperfeiçoamento do sistema e explicou que o tema é regulamentado não só pela Portaria 1.510, mas também por outras normas aprovadas posteriormente, para corrigir itens não contemplados – como questões técnicas, avaliadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

O assessor técnico da Comissão de Trabalho da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Bernardo Rocha, informou que o sistema de ponto eletrônico não atende as necessidades ou peculiaridades do trabalho no campo – como a mobilidade do trabalhador, que nem sempre comparece á sede da propriedade para bater ponto.

Segundo ele, entre janeiro e outubro deste ano, foram criados mais de 118 mil postos de trabalho, o que resultaria em aproximadamente 67 milhões de comprovantes de ponto nesse período, volume que dificultaria o controle por parte do setor patronal.

A representante dos comerciantes das máquinas de ponto, Luciane Fontes, informou que a categoria apoia a invalidação da Portaria 1.510 com o argumento de que a regulamentação permite falhas que prejudicam o empregador.

O presidente da Associação Brasileira das Empresas Fabricantes de Equipamentos de Registro Eletrônico de Ponto (Abrep), Raul Gottlieb, representando 29 empresas (80% do total), explicou que o fato de a portaria do MTE determinar que o sistema de ponto não pode ser inviolável, não significa que os aparelhos não podem ter falhas.

“Ser inviolável significa deixar rastro, caso haja violação. O que não é o mesmo de dizer que não pode ser violado de forma alguma. A experiência de mercado mostra que nenhum aparelho eletrônico é á prova de falhas”, informou Gottlieb, ao defender o atual sistema de ponto.

A representante da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), a juíza do Trabalho Valdete Severo, informou que a associação é contrária á anulação da portaria do MTE. Segundo ela, o argumento do patronato de que o sistema de registro de ponto leva ao ônus do empregador é “uma falácia” e que o método traz mais transparência e segurança aos trabalhadores.

O auditor fiscal do Trabalho, Luiz Antônio Medeiros de Araújo, em nome do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), informou que o sistema permite o acesso à informação e garante a segurança jurídica em casos de questões trabalhistas. Segundo ele, em 2012, já foram viabilizadas mais de 12 mil autuações pelo sistema de ponto eletrônico, o que, para ele, é reflexo do uso do instrumento para regular a jornada de trabalho.

Esse posicionamento foi apoiado pelo representante da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Joaquim Rodrigues, para quem o sistema serve como prova documental tanto para fins de cálculo de jornada de trabalho, como o pagamento de hora extra.
O representante da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Francisco Canindé, disse que o sistema de ponto eletrônico deve contemplar o direito de informação por parte do trabalhador por meio de ferramentas mais modernas, como, por exemplo, telefones celulares.

Canindé informou que, para isso, não é necessária a invalidação da portaria do MTE, mas uma alteração. Segundo o representante da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Francisco Calasans, o setor patronal se mobilizou no sentido de não permitir a plena eficácia da portaria do MTE. Calasans pediu que o empresariado tivesse mais responsabilidade social.

*Com informações da Agência Brasil

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de janeiro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Ponto eletrônico: Senado aprova projeto que suspende portaria

AppId is over the quota
Proposta ainda será avaliada pela Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa da Casa.

15 de fevereiro de 2012 – 12h48

A Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou hoje (15/2) um projeto que derruba os efeitos da portaria do Ministério do Trabalho que regulamenta o sistema de ponto eletrônico. A proposta ainda será avaliada pela Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa da Casa.

O parecer do relator, o senador Armando Monteiro (PTB-PE), afirma que o ponto eletrônico implica em custos para as companhias e ainda no “sucateamento de todos os equipamentos e práticas adotadas há mais de 20 anos”. Outro desafio citado por ele foi o custo dos aparelhos, que giram em torno de 6 mil reais.

A portaria que obriga o uso do ponto eletrônico de número 1.510 foi publicada no Diário Oficial da União em 2009 e teve a data de vigor adiada diversas vezes em função de divergências entre empregadores, sindicatos e governos. O sistema será obrigatório para empresas com mais de dez empregados que já utilizam equipamentos de ponto eletrônico. Elas deverão oferecer ao funcionário a possibilidade de imprimir o comprovante de entrada e de saída do trabalho.

As nova regras do ponto eletrônico deverão ser seguidas a partir do dia 2 de abril em empresas das seguintes áreas: indústria, comércio em geral, serviços, incluindo, entre outros, financeira, transporte, construção, comunicações, energia, saúde e educação. Em 1º de junho será a vez das companhias do ramo agroeconômico e a partir de 3 de setembro deste ano vale para as microempresas e empresas de pequeno porte.

* Com informações da Agência Brasil

Especial - IT Leaders 2011

O ITBOARD materializa a nova plataforma de conversas do Século XXI. Concentra o diálogo sobre tecnologia e inovação movido a tweets de quem está imerso nesses assuntos. ENTRE NA CONVERSA

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 8 de março de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,

MP quer obrigar Microsoft a ter ponto de suporte técnico no RJ

AppId is over the quota
Ação de promotor, baseada em reclamações de produtos com defeito, alega que empresa tem colocar unidade local para atender consumidores. Empresa diz que ainda não foi notificada pelo Ministério Público.

08 de fevereiro de 2012 – 12h54

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) ajuizou Ação Civil Pública (ACP), com pedido de liminar obrigando a Microsoft a instalar pelo menos um ponto de assistência técnica para atender aos consumidores no estado do Rio, que comprar seus produtos pelo varejo tradicional ou internet. 

A liminar foi impetrada pelo promotor de Justiça Pedro Rubim Borges Fortes, em exercício na 4ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Capital. Ele argumentou na ação que a Microsoft está sediada em São Paulo e fornece software, videogame e demais produtos eletrônicos para os consumidores do Rio e que deveria ter uma unidade de suporte técnico local.

“O procedimento adotado quando o produto apresenta algum defeito é oneroso aos consumidores, pois eles são forçados a enviar o produto pelos correios a São Paulo, ficando privados da utilização dos respectivos por período indeterminado”, justifica o Borges Fortes. Ele acrescenta que as despesas e riscos do transporte do produto ficam sob responsabilidade do consumidor.

Reclamações de consumidores

Segundo o Borges Fortes, a Microsoft alega que o sistema de atendimento, assistência e “imediata” troca dos produtos em garantia traz comodidade, facilidade e baixo custo ao consumidor. “Se isso fosse verdade, não haveria centenas de reclamações extraídas do site Reclame Aqui, constatando que o sistema atual é ineficiente, inseguro e demorado”, afirma.

Ao longo dos últimos 12 meses, de acordo com o texto da ACP, “foi registrado no site Reclame Aqui 754 queixas de consumidores, sendo que a empresa Microsoft não se dignou a atender a 471 delas, ignorando-as completamente. Todas estas reclamações demonstram claramente que o sistema formulado pela Microsoft é extremamente demorado, inseguro e insatisfatório”.

A ação requer liminarmente que a Microsoft estabeleça, no mínino, um ponto de assistência técnica na capital do Rio para atendimento de todos os seus modelos de produtos comercializados, sob pena de multa diária de 5 mil reais. O MPRJ também requereu que a empresa seja condenada a indenizar, da forma mais ampla e completa possível, os danos materiais e morais causados aos consumidores individualmente. A ação exige uma indenização de no mínimo 100 mil reais, referente a prejuízos provocados coletivamente, corrigidos e acrescidos de juros, que se reverterá ao Fundo de Reconstituição de Bens Lesados.

Em comunicado oficial enviado à COMPUTERWORLD, a Microsoft Brasil informou que ainda não foi comunicada da existência da ação civil pública nem teve acesso ao seu conteúdo. Por essa razão não se pronunciará sobre o assunto nesse momento.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de março de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,