RSS

Arquivo da tag: perdem

Quase 80% dos usuários perdem informações por armazenamento inadequado

Neste domingo (31) é comemorado o Dia Mundial do Backup para incentivar os usuários a adotar melhores práticas para evitar a perda de dados

Neste domingo (31/3) é comemorado o Dia Mundial do Backup. E atire a primeira pedra quem nunca perdeu um arquivo porque realizou o procedimento de forma errada – ou nunca o realizou. Um levantamento recente realizado pela ESET, fornecedora de soluções de segurança da informação, mostrou que 77% dos usuários da América Latina já perderam dados por não realizarem uma cópia de segurança adequada.

Com o aumento no uso de dispositivos móveis – como smartphones, tablets e notebooks, o risco de perder informações é grande e, segundo a empresa de segurança, a maneira mais adequada de evitar esse tipo de dor de cabeça é realizar o backup periódico e adotar práticas adequadas para evitar a perda de dados.

“A informação é um dos ativos mais importantes para empresas e pessoas na atualidade. Assim, é essencial que os usuários incorporem a cópia de segurança dos diversos dispositivos utilizados no trabalho e em casa”, alerta o gerente da ESET Brasil, Camillo Di Jorge.

De acordo com Di Jorge, as pessoas precisam estar preparadas para garantir o acesso a documentos, imagens e dados, mesmo em caso de contratempos, como furto, roubo ou dano nos dispositivos, falha no fornecimento de energia e infecção dos equipamentos por códigos maliciosos.

Os especialistas do Laboratório de Pesquisas da ESET América Latina indicam aos usuários adotarem as seguintes práticas para backup:

Avalie as informações que precisam de backup
Cada usuário deve analisar as informações armazenadas nos diversos dispositivos (computadores, tablets ou smartphones) e identificar quais delas necessitam de cópia. Quando boa parte das informações contidas no equipamento precisa de uma cópia de segurança, o ideal é utilizar um software que faça esse backup de forma periódica. Enquanto que nas demais situações, o usuário pode realizar o processo de forma manual.

Adote meios de armazenamento adequados
O espaço físico em que se armazena a mídia de backup também deve ser protegido. Por exemplo, não é aconselhável transportar o meio de armazenamento usado para o backup – um HD externo ou um pen drive, por exemplo – na mesma bolsa usada para o notebook, já que em caso de perda ou roubo, ambos serão perdidos. Os meios de armazenamento podem ser: um disco rígido (HD externo), dispositivo de armazenamento USB, mídias ópticas (CD, DVD, Blu-Ray) ou nuvem (internet).

No Canal do IDGNow! no Youtube damos algumas dicas sobre armazenamento na nuvem. Acesse o vídeo clicando aqui.

Realize os backups com frequência
Essa decisão deve ser analisada de acordo com a frequência em que os arquivos são criados, modificados e apagados. Se um projeto é atualizado diariamente, será necessário realizar uma cópia de segurança todos os dias.

Vale lembrar que um programa para backup de informações não substitui uma solução de segurança, que protege contra malwares e outras ameaças online. Para atender objetivos diferentes e complementares e atingir o nível ideal de proteção das informações, a recomendação é implementar ambos softwares.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de junho de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Quase 80% dos usuários perdem informações por armazenamento inadequado

Neste domingo (31) é comemorado o Dia Mundial do Backup para incentivar os usuários a adotar melhores práticas para evitar a perda de dados

Neste domingo (31/3) é comemorado o Dia Mundial do Backup. E atire a primeira pedra quem nunca perdeu um arquivo porque realizou o procedimento de forma errada – ou nunca o realizou. Um levantamento recente realizado pela ESET, fornecedora de soluções de segurança da informação, mostrou que 77% dos usuários da América Latina já perderam dados por não realizarem uma cópia de segurança adequada.

Com o aumento no uso de dispositivos móveis – como smartphones, tablets e notebooks, o risco de perder informações é grande e, segundo a empresa de segurança, a maneira mais adequada de evitar esse tipo de dor de cabeça é realizar o backup periódico e adotar práticas adequadas para evitar a perda de dados.

“A informação é um dos ativos mais importantes para empresas e pessoas na atualidade. Assim, é essencial que os usuários incorporem a cópia de segurança dos diversos dispositivos utilizados no trabalho e em casa”, alerta o gerente da ESET Brasil, Camillo Di Jorge.

De acordo com Di Jorge, as pessoas precisam estar preparadas para garantir o acesso a documentos, imagens e dados, mesmo em caso de contratempos, como furto, roubo ou dano nos dispositivos, falha no fornecimento de energia e infecção dos equipamentos por códigos maliciosos.

Os especialistas do Laboratório de Pesquisas da ESET América Latina indicam aos usuários adotarem as seguintes práticas para backup:

Avalie as informações que precisam de backup
Cada usuário deve analisar as informações armazenadas nos diversos dispositivos (computadores, tablets ou smartphones) e identificar quais delas necessitam de cópia. Quando boa parte das informações contidas no equipamento precisa de uma cópia de segurança, o ideal é utilizar um software que faça esse backup de forma periódica. Enquanto que nas demais situações, o usuário pode realizar o processo de forma manual.

Adote meios de armazenamento adequados
O espaço físico em que se armazena a mídia de backup também deve ser protegido. Por exemplo, não é aconselhável transportar o meio de armazenamento usado para o backup – um HD externo ou um pen drive, por exemplo – na mesma bolsa usada para o notebook, já que em caso de perda ou roubo, ambos serão perdidos. Os meios de armazenamento podem ser: um disco rígido (HD externo), dispositivo de armazenamento USB, mídias ópticas (CD, DVD, Blu-Ray) ou nuvem (internet).

No Canal do IDGNow! no Youtube damos algumas dicas sobre armazenamento na nuvem. Acesse o vídeo clicando aqui.

Realize os backups com frequência
Essa decisão deve ser analisada de acordo com a frequência em que os arquivos são criados, modificados e apagados. Se um projeto é atualizado diariamente, será necessário realizar uma cópia de segurança todos os dias.

Vale lembrar que um programa para backup de informações não substitui uma solução de segurança, que protege contra malwares e outras ameaças online. Para atender objetivos diferentes e complementares e atingir o nível ideal de proteção das informações, a recomendação é implementar ambos softwares.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 18 de junho de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Brasileiros só perdem para Índia em perda e roubo de dispositivos móveis

Estudo global da F-Secure aponta índice de 25% para o Brasil, considerado alto, comparado à média mundial de 11%, superado apenas pela Índia com 35%.

A pesquisa realizada com usuários de banda larga em 14 países pela empresa de segurança da informação F-Secure revela a falta de segurança no Brasil. No total de 25% dos participantes brasileiros, a resposta foi que já tiveram o dispositivo móvel roubado ou perdido, índice considerado alto se comparado à média mundial de 11%. O Brasil só foi superado pela Índia nesse quesito, onde 35% das pessoas disseram já ter tido o celular ou outro dispositivo digital roubado ou perdido. O Japão é o país com o menor índice de perda e furto de aparelhos (2%), seguido por Alemanha (3%) e Finlândia (4%).  

Outro dado apurado no estudo da F-Secure foi a frequência com que as pessoas adquirem um novo telefone celular. No Brasil, que possui atualmente 256 milhões de linhas ativas segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), 32% afirmaram trocar de aparelho uma vez a cada dois anos e 35% uma vez por ano, hábito pouco comum entre os japoneses (4%), alemães (5%) e belgas (7%).  

“O grande problema de ter o dispositivo roubado ou perdido é quando não existe o backup do conteúdo nele embarcado, sejam fotos, vídeos, mensagens ou outros documentos. A proteção ideal deve combinar ambos, o antivírus e também o backup. O hardware pode ser substituído, mas o conteúdo não”, afirma Ascold Szymanskyj, vice-presidente de Vendas e Operações da F-Secure para a América Latina. 

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 12 de novembro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Jornais e rádio perdem para consumo de notícias online nos EUA

Consumo online bateu a marca de 39%, ficando atrás apenas da televisão, com 55%. Em terceiro lugar encontra-se o rádio, com 33%, seguido pelos jornais, com 29%

As mídias sociais transformaram o modo como as pessoas se informam diariamente. Segundo uma pesquisa ‘Trends in News Consumption: 1991-2012’,  realizada pela Pew Research Center for the People & the Press, o consumo online alcançou a marca de 39%, ficando atrás apenas da televisão, com 55% – sendo que, em 1991, eram 68%. Em terceiro lugar encontra-se o rádio, com 33%, seguido pelos jornais, com 29%.

Apesar de ainda se manter na liderança, a TV também está perdendo influência e se mostra cada vez mais vulnerável. Segundo o estudo, a audiência das notícias por esse meio de comunicação manteve-se relativamente estável. Mas há sinais de que pode mudar. Apenas cerca de um terço (34%) dos jovens de 30 assistem a telejornais. Isso é um pouco mais da metade do número registrado em 2006 (49%).

Já o número de entrevistados entre 18 e 29 anos que assistem regularmente o noticiário local caiu de 42% em 2006 para 28% nesse ano. Entre os grupos etários mais velhos, o percentual não se alterou significativamente. Para a faixa etária de 30 a 49 anos, a taxa de telespectadores diminuiu apenas um ponto percentual nos últimos 6 anos, indo de 53 para 52%. Já idades entre 50 e 64 anos, a porcentagem teve um leve aumento de 2%, indo de 63% para 65%.

Redes sociais
O consumo de notícias por meio online e digital – incluindo smartphones, tablets ou outras plataformas móveis – continua crescendo e, a chegada das redes sociais contribuiu, e muito, para essa alavancada. A porcentagem de americanos que dizem ver notícias ou manchetes em um site social pulou de 9% para 19%, desde 2010.

O crescente uso desses sites de notícias não ocorreu apenas entre os jovens. Na verdade, a porcentagem de pessoas com 30 anos (30%) e das entre 18 e 24 (34%) chega a ser quase a mesma, em se tratando de ver notícias via Facebook ou outro site de rede social. Ainda segundo a pesquisa, cerca de um quarto dos entrevistados na faixa dos 40 anos verificam notícias em redes sociais (23%), contra apenas 8% registrado em 2010.

Segundo a pesquisa, apenas 23% lê jornal impresso, número ligeiramente abaixo do de 2010 (26%), mas quase metade do registrado desde 2000 (47%). 

Diferente do que muitos imaginam, não são apenas mídia impressa pode sofrer os efeitos dos novos hábitos de consumo de notícias. O declínio da mídia impressa vai além dos jornais, sendo a proporção de leituras de revistas menor hoje (18%) que em 2000 (26%).

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 11 de novembro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Operadoras perdem US$ 13,9 bi em 2011 para redes sociais

AppId is over the quota
Com o aumento do uso de aplicativos de redes sociais nos telefones móveis, a troca de mensagens de texto (SMS) entre usuários de celulares está caindo e com ela caem também as receitas das empresas de telefonia ligadas ao serviço

22 de fevereiro de 2012 – 16h49

Estudo divulgado pela empresa Ovum indica que as operadoras de telefonia móvel estão assistindo a queda das receitas em suas áreas de SMS (Short Message Service) por conta da adoção cada vez maior de apps para serviços de mensagens alternativos e redes sociais, como Facebook, WhatsApp e Twitter. A Ovun estima que as operadoras do mundo todo tenham perdido pelo menos 13,9 bilhões de dólares em receita no ano passado por causa do uso de serviços de mensagens baseados em IP e redes sociais.

O valor representa uma fatia de 9% das receitas nessa categoria. Em 2010, segundo a Ovum, a perda teria sido de 8,7 bilhões de dólares.Os serviços de SMS and MMS (Multimedia Messaging Service) são as fontes de receita não ligadas a serviços de voz mais importantes para as operadoras no momento, diz Neha Dharia, analista de consumo da Ovum.

Os consumidores, particularmente aqueles que entendem mais de tecnologia (os chamados early adopters), preferem por exemplo usar um serviço como o Blackberry Messenger que mandar um SMS, diz Dharia. “Mensagens de texto são uma receita muito importante e as pessoas começaram a reduzir seu uso”, afirma a analista. Serviços como o Blackberry Messenger e o WhatsApp usam a conexão de dados do celular ou mesmo uma conexão Wi-Fi para enviar mensagens. Usuários de smartphones optam regularmente por comprar pacotes com as operadoras que já incluam planos de dados por internet e seus aparelhos têm conexão Wi-Fi, portanto dois jeitos simples de contornar o SMS para mandar mensagens.

As operadoras já viam o problema se aproximando há um bom tempo, diz a analista. Uma solução para as empresas é oferecer seus próprios serviços de mensagem usando um conjunto de especificações chamado Rich Communication Suite (RCS), que permite habilitar via IP recursos de mensagem instantânea, vídeo, transferência de arquivos e outros recursos para equipamentos móveis.Segundo o estudo da Ovum, os esforços em torno do RCS estão começando a aparecer no mercado, mas as operadoras precisam se apressar, diz Dharia, bem como começar a repor a perda da receita do SMS com outras fontes, como por exemplo serviço de banda larga móvel.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 6 de março de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , ,