RSS

Arquivo da tag: paulista

Guarda Ambiental resgata filhotes de maritaca em Várzea Paulista

Aves estavam em uma casa, na Vila Rica em Várzea Paulista (SP) (Foto: Divulgação / Guarda Ambiental de Várzea Paulista (SP))Aves estavam em uma casa, na Vila Rica (Foto: Divulgação / Guarda Ambiental de Várzea Paulista)

A Guarda Ambiental de Várzea Paulista resgatou nesta quarta-feira (22) filhotes de maritaca, da espécie Maracanã. As aves estavam no telhado de uma casa, na Vila Rica. Sem saber o que fazer, os moradores acionaram os guardas.

De acordo com a Guarda Ambiental, por serem filhotes, as aves foram levadas para a ONG Mata Ciliar em Jundiaí (SP), onde devem receber cuidados necessários até serem soltas à Natureza.

De acordo com o coordenador da Guarda Ambiental, Paulo Afonso, é comum a ocorrência de animais silvestres em Várzea Paulista.

Segundo o veterinário do Zoológico de Sorocaba (SP), Rodrigo Teixeira, as maritacas são comuns em áreas urbanas. Elas são parentes das Araras e popularmente chamadas de ‘bico torto’, informou Rodrigo. “São aves bem comuns e sempre estão nas cidades. É importante que a população avise especialistas para que elas sejam realojadas no habitat natural”, explica o veterinário.

A orientação da Guarda Ambiental de Várzea Paulista é para que os moradores que encontrarem esses tipos de animais avisem a corporação para fazer o resgate.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 28 de janeiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,

Mallu se diz ‘segura’ para Rock in Rio, após ‘chororô’ em festival paulista

AppId is over the quota
AppId is over the quota
O terceiro disco de Mallu, 'Pitanga', foi produzido por Marcelo Camelo (Foto: Marcelo Camelo/Divulgação)Mallu Magalhães se apresenta no dia 20 de setembro no Rock in Rio (Foto: Marcelo Camelo/Divulgação)

“Sinto-me capaz de conduzir esse turbilhão de impulsos com imenso desejo de tudo dar certo”, afirma Mallu ao G1. Ela canta no dia 20 de setembro no Palco Sunset, ao lado da Banda Ouro Negro, no Rock in Rio 2013. Com 21 anos, ela é a cantora mais nova a fazer show nesta edição do festival. “Acho que minha pouca idade pode trazer essa coragem quase inconsequente para realizar desafios como esse”, comenta sobre o encontro com os músicos Mário Adnet e Zé Nogueira. No repertório, estão canções de Moacir Santos, como “Nanã”, “April Child” e “What’s my name”. “Passei a fazer aulas de canto três vezes na semana, especificamente para cantar tão lindas melodias”, afirma.

No Festival Planeta Terra 2012, Mallu chorou no palco ao enfrentar falhas com o som durante sua apresentação. Sobre a ocasião, diz: “o chororô foi meu franco chilique”. Agora, a cantora se diz mais segura e quer dar ao público “o melhor show possível”. “Acho que terei calma para driblar situações com gogó já calejado”.

G1 – Cantar em um festival grande ou tocar em uma casa de shows mais intimista influencia em sua performance?
Mallu Magalhães –
Performance é coisa viva; o ambiente, o público e imprevistos acabam desenhando os contornos do show. Mas, no fundo, sinto-me capaz de conduzir esse turbilhão de impulsos com imenso desejo de tudo dar certo. Sempre fui mais apegada a lugares intimistas. Mas, com o passar do tempo, surgiu em mim essa contradição: o caráter pessoal e atencioso da minha música e o natural anseio por comunicar para mais gente possível.

G1 – Como será o show no Rock in Rio com a Banda Ouro Negro?
Mallu Magalhães –
Comecei a me preparar em maio, encontrando com o Mário Adnet, Zé Nogueira e Zé Ricardo [curador do Palco Sunset] em deliciosos jantares ora da Mariza (Adnet) e ora do próprio Zé Nogueira. Logo ficamos amigos e começamos a trocar e-mails e nos encontrar mais. Quando vim para Portugal, já estávamos num bom ponto do projeto; já havíamos concordado em produzirmos uma fusão da Banda com meu trabalho, procurando trazer a identidade do Moacir Santos em todos os arranjos, com músicas de sua autoria e de seu universo. Passei, então, a fazer aulas de canto três vezes na semana, especificamente para cantar tão lindas melodias como “Nanã”, “April Child” e “What’s my name”. Por internet, tenho muito contato com Mário e discutimos detalhes de cada música da apresentação.

Mallu Magalhães chorou durante sua apresentação no Festival Planeta Terra (Foto: Orlando Oliveira /AgNews)Mallu Magalhães chorou durante seu show no
Festival Planeta Terra
(Foto: Orlando Oliveira /AgNews)

G1 – O Palco Sunset é conhecido por apostar em parcerias, com surpresas e algo novo. Há a chance de o Marcelo Camelo fazer uma participação em seu show ou outros amigos seus?
Mallu Magalhães –
Procurei me concentrar nesse encontro com a Banda Ouro Negro, o que já é desafiador e surpreendente à beça! Pode parecer loucura levar uma orquestra de 15 músicos (sem contar minha banda) a tocar canções tidas como alternativas ou distantes do público. Mas acredito na imensa força do Moacir Santos, e acredito também nas pessoas que vão ao festival.

G1 – Você sabia que é a cantora mais nova que se apresenta nessa edição do Rock in Rio? Você se sente diferente das pessoas mais velhas que estão no festival?
Mallu Magalhães –
Acho um tanto engraçado isso ainda acontecer! Achei que com o passar do tempo eu deixaria de ser “a mais nova” da turma! Tenho me dedicado muito para garantir um verdadeiro espetáculo, acho que minha pouca idade pode trazer essa coragem quase inconsequente para realizar desafios como esse.

G1 – Qual show você está ansiosa para ver nesta edição do Rock in Rio? Você vai conseguir curtir outros dias do festival, já que agora está morando em Portugal?
Mallu Magalhães –
Certamente irei curtir muito o Rock in Rio, não só o meu dia mas também os outros. Tenho ensaios gerais mas pretendo conciliar tudo com visitas à Cidade do Rock.

Acho que minha pouca idade
pode trazer essa coragem quase inconsequente para realizar desafios como esse”

G1 – A mudança para outro país poderá ser percebida em sua música? O quanto a música portuguesa te influencia? Você admira bandas como The Gift e a cantora Aurea, por exemplo, que vão se apresentar no Sunset?
Mallu Magalhães –
Me parece um pouco cedo para perceber mudanças na música. Tendo crescido viajando, a tocar, me mudando o tempo todo, pude reforçar minha personalidade e aprendi a identificar em qualquer lugar do mundo semelhanças comigo. Admiro muito a Aurea e também The Gift. Já os conhecia das minhas pesquisas na música portuguesa. Além deles, receberemos o Orelha Negra, banda que uso de trilha sonora para minhas corridas à beira do Tejo. Farão parceria com o Renegado, no dia 13.

G1 – No Festival Planeta Terra 2012, você teve um problema com o som, que te fez chorar no palco. O choro teve mesmo a ver com essas falhas técnicas? Caso algo parecido ocorra [esperamos que não], como você acha que vai lidar com a situação?
Mallu Magalhães –
Sim, sim, o chororô foi meu franco chilique. Eu havia me preparado tanto, havia cavado em mim enormes buracos em busca de coragem e auto-estima e aqueles problemas técnicos foram apenas a cereja do bolo de um dia surfando numa maré esquisita de acidentes e desafios. As fortes chuvas sempre atrapalham… Mas já cantei no Rock in Rio Lisboa e visitei o backstage do Rio de Janeiro no ano passado, quando o Marcelo tocou. Constatei que os riscos de problemas são pequenos. Quero dar ao público o melhor show possível. Quero poder poupá-los de interrupções e engasgos da onda. Me sinto mais segura agora e acho que terei calma para driblar situações com gogó já calejado.

A cantora Mallu Magalhães (Foto: Marcelo Camelo/Divulgação)Mallu tocou no Rock in Rio Lisboa e agora se apresenta no Sunset (Foto: Marcelo Camelo/Divulgação)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 31 de agosto de 2013 em Música

 

Tags: , , , ,

Nono dígito começa a valer para telefones celulares do interior paulista

Ligações de celular vão ganhar mais um número (Foto: Maiara Pires/G1)Ligações de celular vão ganhar mais um número
neste domingo em SP (Foto: Maiara Pires/G1)

A partir deste domingo (25), números de celulares do interior paulista que operam nos códigos DDD 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18 e 19 precisam acrescentar o 9 antes do número para realizar ligações. A mudança atinge oito regiões de São Paulo.

Até o dia 3 de setembro, porém, as chamadas feitas com 8 dígitos continuarão a ser completadas. A partir do dia 4 de setembro, as operadoras não são mais obrigadas a completar ligações sem o nono dígito, mas uma mensagem vai informar aos clientes sobre a necessidade dele. A partir de 3 de dezembro, essa mensagem também deixa de ser obrigatória.

A implementação vai aumentar em quase duas vezes e meia a capacidade de habilitação de linhas de telefonia celular na região, segundo informações da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

De acordo com a agência, os oito dígitos permitem hoje o registro de um total de 296 milhões de linhas de celular (37 milhões para cada um dos 8 DDDs). Com o nono dígito, essa capacidade sobe para 720 milhões (90 milhões por DDD). Atualmente, estão ativos cerca de 30 milhões de celulares entre os códigos 12 e 19.

O custo para a implantação do nono dígito no interior de São Paulo, incluindo campanha para informar a população, é de R$ 98 milhões e vai ser pago pelas operadoras de telefonia.

Cronograma do nono dígito
A Anatel começou a implementar o nono dígito para celulares em julho de 2012, na área de código DDD 11, que inclui a cidade de São Paulo. Essa medida foi motivada pelo crescimento da base de assinantes do serviço.

Para efeito de padronização, porém, a agência decidiu por implantar o nono dígito no restante do país. O cronograma prevê a exigência no interior de São Paulo a partir deste domingo. No Rio de Janeiro e Espírito Santo, a obrigação vale a partir de 27 de outubro.

Até 31 de dezembro de 2014, o nono dígito começa a valer para nos estados do Amazonas, Roraima, Pará, Amapá e Maranhão. Até 31 de dezembro de 2015, a regra atinge também Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e Minas Gerais.

Por fim, até 31 de dezembro de 2016, o nono dígito começa a ser obrigatório no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia, Acre, Goiás, Tocantins e no Distrito Federal.

Tecnologia
Aplicativos móveis criados para atualizar a agenda de contatos do smartphone com o nono dígito em São Paulo ganharam novas versões para também acrescentar o 9 aos telefones celulares do interior de São Paulo. Confira as opções:

9d+ (Foto: Reprodução)

9d+ (Nono Dígito SP)

O aplicativo 9 d+ (Nono Dígito SP) foi atualizado no dia 22 de agosto para contemplar a inclusão do dígito 9 aos celulares de São Paulo e interior. 

Ao abrir o programa, basta clicar em um botão para que todos os números de São Paulo da sua agenda sejam atualizados com o dígito 9. É possível reverter o processo clicando em outro botão.

O 9d+ não edita ou remove nenhum dos telefones dos seus contatos. Ao invés disso, ele cria um novo número com o identificador “9d+”. Vale lembrar que o app, a princípio, só acrescentará o dígito 9 aos números registrados com os prefixos 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18 e 19. Para adicioná-lo a números sem a descrição do DDD, selecione essa opção no menu principal.

Aplicativo 9 Dígitos (Foto: Reprodução/App Store)

9 Dígitos

Além de incluir o número 9 nos celulares com DDDs da capital e do interior de São Paulo, o ‘9 Dígitos’ o aproveita a análise da agenda pra ver se há números com código de operadora diferente da operadora do usuário. “Acontece muito com pessoas que mudaram de operadora mas não atualizaram todos os números da agenda”, comenta o desenvolvedor Alexandre Fugita. “Se houver diferenças, o app avisa e pergunta se a pessoa quer atualizar isso também”, explica ele sobre a versão do app atualizada em 15 de agosto.

A aplicativo pago também ganhou uma versão gratuita, o ‘9 Dígitos Free’ que não atualiza a agenda, mas permite visualizar e ligar para os números já com o nono dígito. “Esse app redireciona para o pago caso o usuário tenha interesse em atualizar a agenda”, detalha o desenvolvedor.

Aplicativo nonoDígito (Foto: Divulgação/nonoDígito)


nonoDígito

Por enquanto, somente a versão do ‘nonoDígito’ para o sistema iOS, da Apple, está atualizada desde 28 de julho para incluir o dígito 9 aos novos DDDs do interior de São Paulo. O app inclui uma versão gratuita, o ‘nonoDígito Free’.

O diferencial da versão paga, de acordo com o desenvolvedor Caio Lopes, é criar um backup automático da agenda, que o usuário pode restaurar a qualquer momento.

Lopes informa que a nova versão para o sistema Android, do Google, será liberada nesta sexta-feira (23).

O usuário pode ainda optar por colocar o nono dígito em todos os contatos, independentemente do DDD. É possível voltar atrás da decisão tocando na opção “desfazer”.

O aplicativo também identifica prefixos de celular iniciados pelo número 5 e preserva as marcações de código de operadora e código do país na agenda do celular. 

Aplicativo 'Novo número Brasil' (Foto: Reprodução/GooglePlay)

Novo número Brasil

O aplicativo antes conhecido como ‘Novo número SP’ foi atualizado em 23 de julho e mudou de nome. “Atualizei o nome do aplicativo para mostrar que o foco mudou para cobrir todos os DDD que terão o dígito 9 adicionado”, explica o desenvolvedor Guilherme Brighenti, ao G1.

Para usar o app basta selecionar a opção “Iniciar busca de contatos a modificar”, e então o aplicativo ira mostrar todos os contatos que devem ser atualizados. Basta clicar em “Alterar contatos” e a sua agenda já estará inteira atualizada.

“Um dos diferenciais do aplicativo é que ele permite a visualização dos contatos que serão modificados antes de efetivamente atualizar a agenda. Assim o usuário tem a opção de rever quais alterações serão feitas em sua agenda”, explica Brighenti.

O aplicativo também da a opção de reverter as mudanças feitas.

Dígito SP+9 (Foto: Reprodução)

Dígito +9

O aplicativo para celulares BlackBerry, antes conhecido como ‘Dígito SP+9’, foi atualizado em 16 de agosto e passou a se chamar apenas ‘Dígito +9’ passando a atualizar a agenda de contatos atualiza a agenda de contatos do usuário para o novo formato de nove dígitos dos celulares do interior de São Paulo.

“O primeiro passo é informar qual o DDD do seu celular – 011 ou outro. Depois, o aplicativo verifica quais números precisam de atualização e é só clicar no botão ‘+9 Iniciar’, e aguardar alguns segundos”, explica a desenvolvedora Navita. É possível voltar a agenda antiga ao clicar em “desfazer”.

A desenvolvedora informa que as praças do Rio de Janeiro e Espirito Santo serão contempladas com a atualização a partir de outubro de 2013.

Aplicativo Dígito9 para iOS (Foto: Reprodução/AppStore)

Dígito 9

Atualizado em 15 de agosto o aplicativo é uma versão aprimorada do ‘Dígito 9 SP’, que agora inclui os DDDs do interior de São Paulo na migração da agenda de contatos para iPhone ou iPad.

“O aplicativo atualiza corretamente apenas os números necessários, sem duplicá-los ou salvá-los em uma nova categoria”, destaca o engenheiro Fernando Ghedin, desenvolvedor do app.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 28 de agosto de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,

Finep e Desenvolve SP criam fundo de inovação paulista

Fundo foi criado para financiar projetos de diversos segmentos, incluindo das áreas de TIC e nanotecnologia.

A Financiadora de Projetos Especiais (Finep) e a Desenvolve SP, antiga Nossa Caixa, assinam nesta sexta-feira (24/08), em São Paulo um protocolo de intenções que visa à construção de uma chamada pública voltada a gestores de fundos de capital semente.

Denominado Fundo de Inovação Paulista, ele terá por foco empresas nascentes inovadoras, de qualquer setor da economia, preferencialmente dos segmentos de Biotecnologia, Novos Materiais, Fotônica, Nanotecnologia, Tecnologia de Informação e Comunicação e Agronegócios, instaladas ou com previsão de instalação no estado de São Paulo.

O fundo deverá ter um patrimônio mínimo de 60 milhões de reais, com alvo de 100 milhões de reais. No mínimo 80% do capital serão destinado a empresas inovadoras com faturamento bruto de até 3,6 milhões de reais no ano anterior ao investimento.

Já as empresas inovadoras com faturamento bruto de até 18 milhões de reais/ano receberão, no máximo, 20% do capital a ser investido.
A composição do patrimônio do fundo será a seguinte: investidores privados (no mínimo 20%) Desenvolve SP (até 25%, limitado a 25 milhões de reais); Finep (até 20%, limitado a 20 milhões de reais)

A Desenvolve SP, antiga Nossa Caixa, é parceira do Inovar desde 2011, tendo realizado, no ano passado, seu primeiro aporte em um Fundo de Investimento, o Burrill Brasil I, que tem a Finep também entre seus cotistas

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 11 de outubro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

TI Maior: instituto paulista vai certificar software brasileiro

Esse trabalho será realizado pelo Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer de Campinas, anuncia ministro Raupp.

O software brasileiro ganhará uma certificação que promete colocá-lo em vantagem nas licitações governamentais. A medida faz parte do Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia, ou o TI Maior, que será lançado na próxima semana, pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

O TI Maior será apresentado aos empresários do setor na segunda-feira, (20/08), em São Paulo, pelo ministro Marco Antonio Raupp.

“Vamos criar um órgão de certificação de produtos, que é um dos institutos do MCTI”, informou Raupp durante o congresso “Tecnologia para um Brasil inovador e competitivo”, que encerra hoje em Brasília, promovido pela Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (ABIPTI).

Segundo Raupp, a instituição que ficará responsável pelo processo de certificação do software brasileiro é o Centro de Tecnologia da Informação (CTI) Renato Archer, localizado em Campinas (SP). A entidade já está credenciada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para cumprir esse papel, de acordo com o ministro. A iniciativa tem o objetivo de diferenciar o software nacional do importado nos processos de compra.

Ao comentar sobre o IT Maior, o ministro adiantou que o programa traz uma série de medidas para estimular o setor de software a inovar e criar novas empresas de base tecnológica.

“Os empresários podem esperar linhas de incentivo e apoio para essa atividade. O programa vai desenvolver a inovação e a formação de pessoal qualificado”, antecipa.

*A jornalista viajou para Brasília a convite da ABIPTI

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 9 de outubro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,