RSS

Arquivo da tag: obstculos

Mais de 6 mil encaram lama e outros obstáculos em corrida na Letônia

AppId is over the quota
AppId is over the quota

The page you requested has been blocked because it contains some inappropriate contents.

Sorry, I could not read the content fromt this page.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 7 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Britânicos disputam corrida de obstáculos na lama

Britânicos participaram neste sábado (26) de uma corrida de obstáculos na lama em Henley-on-Thames, a oeste de Londres.

A corrida é disputada em um circuito com entre 18 km e 20 km e com 20 obstáculos.

Britânicos disputam corrida de obstáculos na lama (Foto: Justin Tallis/AFP)Britânicos disputam corrida de obstáculos na lama (Foto: Justin Tallis/AFP)Britânicos disputam corrida de obstáculos na lama (Foto: Justin Tallis/AFP)Britânicos disputam corrida de obstáculos na lama (Foto: Justin Tallis/AFP)Britânicos disputam corrida de obstáculos na lama (Foto: Justin Tallis/AFP)Britânicos disputam corrida de obstáculos na lama (Foto: Justin Tallis/AFP)Britânicos disputam corrida de obstáculos na lama (Foto: Justin Tallis/AFP)Britânicos disputam corrida de obstáculos na lama (Foto: Justin Tallis/AFP)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , ,

G1 jogou: ‘Trials Fusion’ é corrida de obstáculos ‘hipertrofiada’

'Trials Fusion' tem cenários muito maiores e com aspirações futuristas (Foto: Divulgação/Ubisoft)‘Trials Fusion’ tem cenários muito maiores e com inspirações futurísticas (Foto: Divulgação/Ubisoft)

Guiar as motocicletas de “Trials HD” era uma dádiva e uma maldição. Sua física hiperrealista tornava a festa de rampas e loopings uma diversão, mas exigia que o jogador engolisse seco nos níveis avançados e se entregasse à lógica viciante, porém cruel, de dirigir, cair e levantar – só mais uma vez – até escalar uma vertiginosa parede em 90º.

Essa sensação é ampliada em “Trials Fusion”, estreia da série nos games de nova geração. Durante o rápido teste do G1 na sede da Ubisoft, em São Paulo, “Fusion” se mostrou uma experiência potencializada dos games anteriores: uma corrida de obstáculos hipertrofiada com cenários maiores, inspirações futurísticas e novas formas de te derrubar da moto. Assista trechos do game ao lado.

Depois dos controles capciosos – característica que se mantém irretocada no novo game – a diversidade de pistas é o principal elemento da série “Trials”. Pois “Fusion” dá sequência às mudanças de “Trials Evolution” e substitui de vez os ambientes fechados do primeiro jogo por cenários ao ar livre ainda maiores.

‘Trials Fusion’ se mostrou uma experiência potencializada dos games anteriores: uma corrida de obstáculos hipertrofiada com cenários maiores, inspirações futurísticas e novas formas de te derrubar da moto.

Essa expansão em comprimento e altura torna os saltos e quedas de “Trials Fusion” mais agudos e velozes, criando alguns dos percursos mais grandiosos que a série já viu. Somados à tecnologia gráfica do game, que sustenta o rastro dos pneus na terra e reflete a luz do Sol mais naturalmente, os novos cenários são uma evolução visual incrível.

“Fusion” também tem mundos variados, que vão de desertos a montanhas cobertas de neve. As pistas têm em comum a presença de tubos, alumínio e neon, um toque extraterreno que torna a experiência mais excêntrica e refinada.

Algumas das novas rampas e quedas de 'Trials Fusion' são de tirar o fôlego (Foto: Divulgação/Ubisoft)Algumas das novas rampas e quedas de ‘Trials Fusion’ são de tirar o fôlego (Foto: Divulgação/Ubisoft)

Mas talvez a principal novidade de “Trials Fusion” seja a inclusão de um sistema de manobras, o FMX, uma nova camada de dificuldade que pode colar entre os veteranos. O jogador usa o direcional analógico direito para executar as mais variadas peripécias sobre duas rodas. Quanto mais movimentos, mais pontos para a conta. Mas basta cair para tudo ir por água abaixo.

Infelizmente (e contraditoriamente), o FMX só é habilitado no terceiro conjunto de missões, e o tempo de teste com o game não foi suficiente para visualizá-lo em ação. Outra novidade que deve agradar e punir, no bom sentido, os aficionados por “Trials” é uma mecânica de desafios. São três por pista, cada um com seu requisito peculiar, o que incentiva os jogadores a tentar finalizar os cenários de maneiras diferentes e criativas.

Criador de pistas de 'Trials Fusion' é complexo e oferece várias opções de personalização (Foto: Divulgação/Ubisoft)Criador de pistas de ‘Trials Fusion’ é complexo e
oferece várias opções de personalização (Foto:
Divulgação/Ubisoft)

E por falar em criatividade, se tudo que você quer é gastar seus preciosos minutos pensando em percursos mirabolantes, “Trials Fusion” continua sendo uma boa pedida. Incrivelmente complexo, o modo de criação oferece várias opções de personalização e pode assustar os novatos.

De acordo com a RedLynx, o criador tem mais de 1 mil peças e obstáculos que podem ser usados das maneiras mais loucas possíveis. O jogador pode navegar livremente pelo mundo do game e começar a criar onde bem entender, alimentando uma comunidade de conteúdo gerado por fãs que não para de crescer desde o primeiro jogo.

“Trials Fusion” tem lançamento marcado para 16 de abril no Xbox 360, Xbox One, PC e pela primeira vez em uma plataforma da Sony, o PlayStation 4.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 18 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Doodle ‘Olímpico’ do Google é desafio de corrida com obstáculos

Primeiro logotipo especial em homenagem aos Jogos de Londres é um divertido minigame; jogo de amanhã também pode ser acessado

Após uma série de logotipos comemorativos (doodles) dos Jogos de Londres, o Google inovou nesta terça (7) com um especial. O logo da página de busca é um divertido minigame que permite fazer uma corrida de obstáculos – basta usar as setas direita e esquerda para correr e a barra de espaços para saltar.

doodleolympi

Ao final, é possível postar o tempo no Google+, a rede social do Google, jogar novamente ou pesquisar o termo “Corrida de obstáculos” – que leva para uma página com resultados.

O doodle de amanhã (8) é outro minigame, desta vez em homenagem ao basquete. Neste, o objetivo é fazer o máximo de cestas o possível dentro do tempo determinado, usando leves toques na barra de espaço.

A coleção completa de logotipos comemorativos de Londres pode ser acessada aqui.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 18 de outubro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Doodle ‘Olímpico’ do Google é desafio de corrida com obstáculos

Primeiro logotipo especial em homenagem aos Jogos de Londres é um divertido minigame; jogo de amanhã também pode ser acessado

Após uma série de logotipos comemorativos (doodles) dos Jogos de Londres, o Google inovou nesta terça (7) com um especial. O logo da página de busca é um divertido minigame que permite fazer uma corrida de obstáculos – basta usar as setas direita e esquerda para correr e a barra de espaços para saltar.

doodleolympi

Ao final, é possível postar o tempo no Google+, a rede social do Google, jogar novamente ou pesquisar o termo “Corrida de obstáculos” – que leva para uma página com resultados.

O doodle de amanhã (8) é outro minigame, desta vez em homenagem ao basquete. Neste, o objetivo é fazer o máximo de cestas o possível dentro do tempo determinado, usando leves toques na barra de espaço.

A coleção completa de logotipos comemorativos de Londres pode ser acessada aqui.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 13 de outubro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Cloud enfrenta obstáculos globais, diz IEEE

AppId is over the quota
Associação mundial técnico-profissional afirma que grandes empresas esbarram em novos entraves na transição para a nuvem, mas mudará as “regras do jogo”.

Membros do IEEE, associação técnico-profissional mundial, estão trabalhando em torno do planeta para cumprir a promessa de que a computação em nuvem deve auxiliar empresas de portes diversos a lidarem com os eventuais obstáculos que possam reduzir as taxas de adoção desse conceito que irá mudar as regras do jogo.

Os benefícios potenciais de sistemas baseados em nuvem são amplamente discutidos e difíceis de ignorar: significativa redução de custo em operações e manutenção da infraestrutura de TI; alta escalabilidade e acessibilidade; menos preocupações em relação à sobrecarga de servidores e à falta de espaço para armazenamento; além de rápida implementação.

Por outro lado, os desafios e riscos percebidos prevalecem, com preocupações remanescentes acerca da segurança e privacidade proporcionadas pela computação em nuvem, da imprevisibilidade de seu desempenho e em relação à viabilidade do investimento feito por uma determinada empresa na conversão para o sistema, tendo em vista os resultados finais gerados.

Segundo a associação, muitos acreditam que o ano de 2012 possa significar um ponto de inflexão na adoção da computação em nuvem, especialmente se grandes corporações atuarem como pioneiros nesse processo. De acordo com Alexander Pasik, membro sênior e CIO do IEEE, assim que grandes empresas testemunharem o sucesso de seus concorrentes e contemporâneos, mais companhias irão fazer a transição para a nuvem.

 “A adoção da computação em nuvem pode ser percebida como uma ameaça, e discussões sobre mudanças geralmente encontram resistências”, afirma Pasik. “É por isso que é necessária uma equipe de TI bem informada para comunicar o impacto significativo que a computação em nuvem pode ter nos negócios”. “Se você é uma empresa de porte considerável e não está trabalhando com o sistema, está cometendo um erro”, prossegue.

 “As empresas logo irão perceber que a questão não é se deveriam ou não se mudar para a nuvem, e sim quando fazê-lo”. Pasik prevê que, de oito a dez anos, a maioria das grandes empresas mundiais irá operar com computação em nuvem.

No entanto, preocupações e pressões crescentes sobre os CIOs para que atendam a regras e a regulações cada vez mais rígidas em um ambiente de negócios globalizado apresentam um risco em evolução que deve ser mitigado.

Siani Pearson, membro sênior do IEEE e pesquisador sênior do Laboratório de Nuvem e Segurança, dos Laboratórios Hewlett-Packard, as regras de conformidade ficam mais complexas, conforme se consolida a padronização.  “Prover serviços de computação em nuvem envolve explicar a necessidade de conformidade com regulações locais e globais e obter a aprovação necessária quando os dados são acessados de outra jurisdição. É difícil cumprir os requisitos de conformidade”, diz.

Ele acrescenta que “a legislação global é complexa e inclui restrições de exportação, de setores específicos e legislação em patamar estadual e nacional. O aconselhamento jurídico é necessário, e as restrições ao fluxo de dados entre as fronteiras devem ser levadas em conta”.

Pearson afirma que a colaboração é imprescindível à busca por soluções a essas questões complexas. “Trabalhando com um conselho interno, executivos atentos ao consumidor e parcerias externas com os segmentos acadêmico e industrial, as empresas podem encontrar uma ampla gama de soluções interdisciplinares para os problemas de conformidade.”

“Os membros do IEEE ao redor do mundo estão pavimentando o caminho para a adoção global da nuvem”, disse Gordon Day, presidente e CEO do IEEE. “O trabalho deles, tanto em seu campo de atuação como enquanto membros do IEEE, tornou a computação em nuvem mais acessível a grandes e pequenas empresas, criando benefícios ao consumidor e ao provedor. A nuvem irá mudar as regras do jogo, e o IEEE está alavancando seus recursos e conhecimentos de ponta por meio da iniciativa Computação em Nuvem, a primeira de amplo escopo e voltada para o futuro a ser posta em prática por uma organização de padrões globais de desenvolvimento”.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de junho de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , ,

Cloud enfrenta obstáculos globais, diz IEEE

AppId is over the quota
Associação mundial técnico-profissional afirma que grandes empresas esbarram em novos entraves na transição para a nuvem, mas mudará as “regras do jogo”.

Membros do IEEE, associação técnico-profissional mundial, estão trabalhando em torno do planeta para cumprir a promessa de que a computação em nuvem deve auxiliar empresas de portes diversos a lidarem com os eventuais obstáculos que possam reduzir as taxas de adoção desse conceito que irá mudar as regras do jogo.

Os benefícios potenciais de sistemas baseados em nuvem são amplamente discutidos e difíceis de ignorar: significativa redução de custo em operações e manutenção da infraestrutura de TI; alta escalabilidade e acessibilidade; menos preocupações em relação à sobrecarga de servidores e à falta de espaço para armazenamento; além de rápida implementação.

Por outro lado, os desafios e riscos percebidos prevalecem, com preocupações remanescentes acerca da segurança e privacidade proporcionadas pela computação em nuvem, da imprevisibilidade de seu desempenho e em relação à viabilidade do investimento feito por uma determinada empresa na conversão para o sistema, tendo em vista os resultados finais gerados.

Segundo a associação, muitos acreditam que o ano de 2012 possa significar um ponto de inflexão na adoção da computação em nuvem, especialmente se grandes corporações atuarem como pioneiros nesse processo. De acordo com Alexander Pasik, membro sênior e CIO do IEEE, assim que grandes empresas testemunharem o sucesso de seus concorrentes e contemporâneos, mais companhias irão fazer a transição para a nuvem.

 “A adoção da computação em nuvem pode ser percebida como uma ameaça, e discussões sobre mudanças geralmente encontram resistências”, afirma Pasik. “É por isso que é necessária uma equipe de TI bem informada para comunicar o impacto significativo que a computação em nuvem pode ter nos negócios”. “Se você é uma empresa de porte considerável e não está trabalhando com o sistema, está cometendo um erro”, prossegue.

 “As empresas logo irão perceber que a questão não é se deveriam ou não se mudar para a nuvem, e sim quando fazê-lo”. Pasik prevê que, de oito a dez anos, a maioria das grandes empresas mundiais irá operar com computação em nuvem.

No entanto, preocupações e pressões crescentes sobre os CIOs para que atendam a regras e a regulações cada vez mais rígidas em um ambiente de negócios globalizado apresentam um risco em evolução que deve ser mitigado.

Siani Pearson, membro sênior do IEEE e pesquisador sênior do Laboratório de Nuvem e Segurança, dos Laboratórios Hewlett-Packard, as regras de conformidade ficam mais complexas, conforme se consolida a padronização.  “Prover serviços de computação em nuvem envolve explicar a necessidade de conformidade com regulações locais e globais e obter a aprovação necessária quando os dados são acessados de outra jurisdição. É difícil cumprir os requisitos de conformidade”, diz.

Ele acrescenta que “a legislação global é complexa e inclui restrições de exportação, de setores específicos e legislação em patamar estadual e nacional. O aconselhamento jurídico é necessário, e as restrições ao fluxo de dados entre as fronteiras devem ser levadas em conta”.

Pearson afirma que a colaboração é imprescindível à busca por soluções a essas questões complexas. “Trabalhando com um conselho interno, executivos atentos ao consumidor e parcerias externas com os segmentos acadêmico e industrial, as empresas podem encontrar uma ampla gama de soluções interdisciplinares para os problemas de conformidade.”

“Os membros do IEEE ao redor do mundo estão pavimentando o caminho para a adoção global da nuvem”, disse Gordon Day, presidente e CEO do IEEE. “O trabalho deles, tanto em seu campo de atuação como enquanto membros do IEEE, tornou a computação em nuvem mais acessível a grandes e pequenas empresas, criando benefícios ao consumidor e ao provedor. A nuvem irá mudar as regras do jogo, e o IEEE está alavancando seus recursos e conhecimentos de ponta por meio da iniciativa Computação em Nuvem, a primeira de amplo escopo e voltada para o futuro a ser posta em prática por uma organização de padrões globais de desenvolvimento”.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de março de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , ,