RSS

Arquivo da tag: mortes

Fortes chuvas causam mortes no sul das Filipinas

Bebê descansa em rede improvisada em cesta de basquete em ginásio usado como abrigo para vítimas de enchente em Jabonga, no sul das Filipinas (Foto: Erik de Castro/Reuters)Bebê descansa em berço improvisado com cesta de basquete em ginásio usado como abrigo para vítimas de enchente em Jabonga, no sul das Filipinas (Foto: Erik de Castro/Reuters)

Conselho Nacional de Gestão e Redução dos Riscos de Desastres elevou nesta sexta-feira (17) para 34 o número de mortos na última semana por causa das inundações e deslizamentos de terra provocados pelas intensas chuvas no sul das Filipinas.

Segundo o último relatório da agência, outras 65 pessoas ficaram feridas e mais sete permanecem desaparecidas por consequência de 13 avalanches de terra e seis enchentes registradas na região de Mindanao, que desde o último sábado vem sofrendo com a chuva.

No total, 460 mil pessoas em 14 províncias filipinas foram atingidas pelas fortes chuvas, das quais mais de 212 mil tiveram que deixar suas casas e estão sendo atendidas em 358 centros de evacuação.

Além disso, 57 estradas e 21 pontes foram interditadas para o trânsito e mais de 1.300 casas ficaram total ou parcialmente destruídas.

As chuvas obrigaram o cancelamento de dezenas de voos domésticos na última semana, e mais de 7 mil passageiros de embarcações tiveram que cancelar suas viagens para causa das condições do mar.

O desmatamento, a proliferação da mineração ilegal, a escassez de infraestrutura e a favelização aumentam os efeitos devastadores das fortes chuvas e dos frequentes tufões que afetam o arquipélago.

Cão ilhado em frente a loja de conveniências em rua inundada em Butun, na ilha filipina de Mindanao, nesta sexta-feira (17) (Foto: Silvia Izquierdo/AP)Cão ilhado em frente a loja de conveniências em rua inundada em Butun, na ilha filipina de Mindanao, nesta sexta-feira (17) (Foto: Silvia Izquierdo/AP)

Fonte G1

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 17 de janeiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Brasileiro é preso após acidente de trânsito com três mortes na Austrália

Um brasileiro de 29 anos foi preso em Melbourne, na Austrália, após um acidente de trânsito no qual três pessoas morreram, segundo a polícia do estado de Victória. O acidente aconteceu no domingo (12). Nesta terça-feira (15), uma corte australiana negou o pagamento de fiança para o acusado.

De acordo coma polícia local, o brasileiro responde por três acusações de condução culposa, três acusações de negligência causando ferimentos graves e uma acusação de conduta imprudente colocando vidas em risco.

O acidente aconteceu na noite de domingo na Dandenong Road em Oakleigh, subúrbio de Melbourne. Um pedestre e um casal morreram e outras três pessoas ficaram feridas.

De acordo com o jornal “Herald Sun”, o acidente aconteceu quando o brasileiro ultrapassou um sinal vermelho e atingiu um pedestre, Anthony Parsons, de 45 anos, que morreu na hora.

Em seguida, ele atingiu um carro onde estavam Savvas e Ismini Menelaou, que também morreram.

Durante a audiência desta terça, o detetive Mark Amos disse ao juiz responsável que o brasileiro admitiu ter consumido metaanfetamina antes do acidente, e traços da droga foram encontrados em seu corpo.

A polícia também informou que ele estava a 120 km/h quando atingiu Parsons.

Ainda de acordo com as investigações, o brasileiro já era investigado por conduta perigosa, e teve que comparecer à Justiça por ter dirigido a quase 50 km/h acima do limite permitido em uma via de Melbourne em abril do ano passado.

Segundo o jornal “The Australian”, Lisa Mendicino, advogada do brasileiro, disse que seu cliente tem consciência de que terá que passar um tempo na prisão, e que o pedido de fiança foi feito para que ele pudesse colocar seus assuntos pessoais em ordem.

Entretanto, o juiz Charlie Rozencwajg negou o pedido de fiança, alegando que o desrespeito às regras de trânsito apresentado pelo brasileiro mostra quem ele é um risco inaceitável para as outras pessoas.

A decisão foi comemorada por parentes das vítimas do acidente.
Segundo o jornal “The Australian”, o brasileiro é casado, tem uma filha de 2 meses e sua mulher está grávida.

Uma nova audiência sobre o caso será realizada em março.

A Embaixada do Brasil em Camberra informou que ainda não foi notificada formalmente sobre o caso por familiares do brasileiro – por isso nenhuma providência oficial foi tomada. A embaixada já informou o Itamaraty sobre o caso.

Fonte G1

 
1 comentário

Publicado por em 16 de janeiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Kalashnikov se disse arrependido por mortes em carta à Igreja

Mikhail Kalashnikov, criador do lendário fuzil de assalto, escreveu uma carta ao chefe da Igreja ortodoxa russa antes de sua morte manifestando o temor de ser culpado pessoalmente pela perda de tantas vidas.

Em abril passado, Mikhail Kalashnikov, que faleceu em dezembro aos 94 anos, escreveu uma longa e emotiva carta ao patriarca da Igreja Ortodoxa russa Kirill, indicou nesta segunda-feira (13) o Izvestia, um jornal partidário do Kremlin.

“Minha dor espiritual é insuportável. De vez em quando me faço a mesma pergunta que não posso responder: ‘Se meu rifle terminou com a vida de tantas pessoas, pode ser que eu… seja culpado por estas mortes, ainda que fossem inimigos?'”.

Mikhail Kalashnikov posa com rifle que ele criou em foto de 2006 (Foto: Sergei Karpukhin/Reuters)Mikhail Kalashnikov posa com rifle que ele criou em foto de 2006 (Foto: Sergei Karpukhin/Reuters)

A carta datilografada no papel pessoal de Kalashnikov e reproduzida pelo Izvestia foi assinada pelas mãos trêmulas do homem que se descreveu como “um servo de Deus, o designer Mikhail Kalashnikov”.

Kalashnikov, cujo funeral contou com a presença do presidente Vladimir Putin, criou este fuzil de desenho simples após a grave carência de armas do Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial.

Atualmente, o fuzil de assalto AK-47 é fabricado massivamente sem licença em todo o mundo e se converteu na arma preferida dos movimentos insurgentes. Também é utilizado pelas crianças-soldados.

O secretário de imprensa do Patriarca, Alexander Volkov, declarou ao Izvestia que o chefe da Igreja ortodoxa russa recebeu esta carta e escreveu uma resposta pessoal.

“A Igreja tem uma posição muito clara: quando as armas servem para proteger a pátria, a Igreja apoia tanto seus criadores quanto os soldados que as utilizam”, disse Volkov.

“Ele desenhou este fuzil para defender seu país, não para que os terroristas pudessem utilizá-lo na Arábia Saudita”, acrescentou.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de janeiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Tempestade e frio já provocam mortes nos EUA

A primeira grande tempestade do ano nos Estados Unidos, “Hércules”, causou a morte de mais de 10 pessoas nesta sexta-feira (3), seu segundo dia sobre o nordeste do país, onde a neve e os fortes ventos devem ser seguidos, nos próximos dias, por uma onda de frio que deve fazer com que as temperaturas despenquem para mínimos históricos, abaixo dos 20 graus negativos.

O número de mortos ainda é incerto. O jornal “The New York Times” estima, com base em informação da Associated Press (AP), que a tormenta matou 13 pessoas pelo país. A Efe, porém, contalibilizou aos menos 15 mortos.

As mortes ligadas à nevasca ocorreram em acidentes de trânsito, por conta das estradas escorregadias por causa da neve, e hospitalizações por hipotermia. Milhares de americanos ficaram sem luz em seus lares e locais de trabalho.

Na Filadélfia, um funcionário municipal morreu esmagado depois que um monte de sal grosso, utilizado para impedir a formação de gelo nas ruas, deslizou sobre ele.

Em Michigan, um caminhão que transportava petróleo caiu de uma ponte, o que provocou um incêndio e obrigou o esvaziamento de residências e locais de trabalho da região.

Entre os mortos também estão uma mulher de 71 anos com Alzheimer, que morreu congelada fora de sua casa na zona rural do estado de Nova York, e um homem de 66 anos que sofreu um ataque cardíaco enquanto retirava a neve de sua casa no sul de Illinois.

As baixas temperaturas provocaram também a ruptura de tubulações, causando inundações, e o esvaziamento de lojas, teatros e hospitais em algumas áreas de Boston.

A neve – que atingiu 60 centímetros em alguns pontos – e os intensos ventos obrigaram o cancelamento, pelo segundo dia consecutivo, de milhares de voos – mais de 3 mil -, e atrasos em outros 7 mil. Além disso, restringiu os transportes terrestres e causou o fechamento de escolas e edifícios governamentais em 22 estados.

Com o fim das tempestades de neve, o frio polar deve representar o maior perigo nos próximos dias, de modo que as autoridades advertiram à população para que se proteja contra as baixas temperaturas, que podem atingir o mínimo histórico de 20 graus negativos.

A primeira grande tempestade de neve de 2014 afeta um terço do país, ou seja, a mais de 100 milhões de pessoas, e mantém em situação de emergência os estados de Nova York e Nova Jersey, além de causar graves complicações em Massachusetts, Illinois, e Pensilvânia.

A capital do país, Washington, amanheceu coberta por uma fina camada de neve, mas não sofreu transtornos tão graves como em outros lugares do nordeste do país, por isso o Governo Federal e as autoridades do Distrito de Columbia não interromperam suas atividades, mas permitiram que seus funcionários trabalhassem de casa.

Fonte G1

 
1 comentário

Publicado por em 4 de janeiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , ,

Conflitos no sul da Tailândia provocaram 6 mil mortes em 10 anos

Cerca de 6 mil pessoas morreram devido à violência na conflituosa região sul da Tailândia, quando se completam dez anos da intensificação da insurgência muçulmana, informaram nesta sexta-feira (3) fontes militares do país asiático.

No total, 5.926 pessoas morreram em atentados e ataques nas províncias de Pattani, Yala e Narathiwat, assim como em quatro distritos da província de Songkhla entre 4 de janeiro de 2004 e 31 de dezembro de 2013.

Agentes de segurança inspecionam caminhão militar após uma bomba explodir em junho de 2013 matar ao menos 8 militares a província de Yala (Foto: Surapan Boonthanom/Reuters)Agentes de segurança inspecionam caminhão militar após uma bomba explodir em junho de 2013 e matar ao menos 8 militares na província de Yala (Foto: Surapan Boonthanom/Reuters)

Destes, 3.461 eram muçulmanos, e 2.431 budistas, segundo dados do Comando de Operações de Segurança Interna reproduzidos pelo jornal “Bangcoc Post”.

Outras 10.593 pessoas ficaram feridas desde que a violência se agravou por causa do ataque de militantes muçulmanos a um arsenal militar em Narathiwat que amanhã completa o décimo aniversário.

Os atentados com armas leves, assassinatos e atentados com explosivos se repetem quase diariamente nesta região de maioria muçulmana e etnia malaia, apesar da atuação de 40 mil soldados das forças de segurança e da vigência do estado de exceção.

Também não conseguiu cessar a violência o diálogo iniciado em fevereiro entre o governo tailandês e o Barisan Revolusi Nasional (Frente Nacional Revolucionária, em malaio), um dos grupos que liderou a rebelião muçulmana no final dos anos 60.

As negociações foram suspensas em agosto devido à falta de acordo sobre as exigências da organização muçulmana que pedia a mediação da Malásia e a libertação de todos os presos.

Os insurgentes denunciam a discriminação sofrida por parte da maioria budista do país e exigem a criação de um Estado islâmico que integre as três províncias, que configuraram o antigo sultanato de Pattani, anexado pela Tailândia há um século.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de janeiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , ,

Inundações causam quase 100 mortes e afetam milhões na Ásia

Ao menos 96 pessoas morreram e cerca de 3 milhões foram afetadas pelas inundações que atingem vários países do Sudeste Asiático, informou nesta quinta-feira (3) a Cruz Vermelha Internacional.

As enchentes, causadas pelas fortes chuvas do período das monções e pelas tempestades tropicais que passaram pela região, fizeram com que mais de 10 mil pessoas deixassem seus lares para permanecerem em abrigos.

No Camboja, 30 pessoas morreram e 374 mil foram atingidas pelas inundações que causaram danos em mais de 65 mil casas e 500 escolas, além de afetar a infraestrutura do país.

Famílias tentam deixar área alagada na região do Rio Mekong, em Phnom Penh, no Camboja, nesta terça-feira (1) (Foto: Samrang Pring/Reuters)Famílias tentam deixar área alagada na região do Rio Mekong, em Phnom Penh, no Camboja, nesta terça-feira (1) (Foto: Samrang Pring/Reuters)

No Laos, as piores inundações dos últimos 35 anos causaram 20 mortes e atingiram 350 mil pessoas. Além disso, a população sofre com a escassez de recursos de primeira necessidade como alimentos, água e remédios, apontou a instituição.

No Vietnã, mais de 100 mil pessoas de quatro províncias sofreram com a chegada do tufão Wutip na última segunda-feira e 24 pessoas já morreram no país.

Na Tailândia, a abertura das comportas de várias represas, para evitar riscos maiores, alagou 8 mil localidades de 29 províncias distintas, afetando 2,1 milhões de pessoas e deixando 22 mortos.

“Existe uma grande preocupação em toda a região. A chegada consecutiva de várias tempestades coincidindo com a temporada de chuvas pode fazer com que este ano seja excepcional pelas inundações”, disse Anne Leclerc, presidente das delegações da Cruz Vermelha no Sudeste Asiático.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de outubro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Forte terremoto causa mortes no Paquistão e cria ilha na costa do país

mapa terremoto paquistão 24/9 (Foto: 1)

Um forte terremoto matou pelo menos 45 pessoas nesta terça-feira (24) no oeste do Paquistão, além de destruir uma série de casas em uma área montanhosa remota e causar a formação de uma nova pequena ilha perto da costa sul do país.

Os tremores foram sentidos até na capital da vizinha, Nova Déli, a centenas de quilômetros a leste, onde edifícios tremeram.

O erviço Geológico dos Estados Unidos informou que o terremoto de magnitude 7,7 ocorreu 235 quilômetros a sudeste de Dalbandin, na província paquistanesa propensa a terremoto do Baluquistão, que faz fronteira com o Irã.

O terremoto foi tão forte que causou uma elevação do fundo do mar e criou uma pequena ilha a cerca de 600 metros da costa paquistanesa de Gwadar, no Mar Arábico.

As emissoras de televisão mostraram imagens de um trecho de terreno rochoso elevando-se acima do nível do mar, com um grupo de pessoas perplexo reunido na praia para testemunhar o fenômeno raro.

Autoridades disseram que dezenas de casas de taipa foram destruídas por tremores secundários na região montanhosa pouco povoada perto do epicentro do terremoto no Baluquistão, uma província árida marcada por desertos e montanhas.

Abdul Qadoos, vice-presidente da Assembleia do Baluchistão, disse à Reuters que pelo menos 30 por cento das casas no distrito pobre de Awaran ficaram destruídas.

O subcomissário local em Awaran, Abdul Rasheed Gogazai, e o porta-voz do corpo militar de fronteira do Paquistão, envolvido no esforço de resgate, disseram que pelo menos 45 pessoas foram mortas.

A televisão local informou que helicópteros que transportam suprimentos foram enviados para a área afetada. O Exército disse que tinha deslocado 200 soldados para ajudar a lidar com a catástrofe.

Pessoas correram de seus apartamentos para a rua após sentirem um tremor de terra na região do Baluquistão. (Foto: AP/Shakil Adil)Pessoas correram de seus apartamentos para a rua após sentirem um tremor de terra na região do Baluquistão. (Foto: AP/Shakil Adil)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de setembro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,