RSS

Arquivo da tag: monitorar

Pesquisadores usam drone para monitorar vulcão na Indonésia

Pesquisador solta drone distrito de Karo Sibintun nesta terça-feira (4) para monitorar a atividade do vulcão Monte Sinabung, que entrou em erupção no sábado (1º) e matou 11 pessoas. (Foto: Beawiharta/Reuters)Pesquisador solta drone no distrito de Karo Sibintun, nesta terça-feira (4), para monitorar atividade do vulcão Monte Sinabung, que entrou em erupção no sábado (1º) e matou pelo menos 14 (Foto: Beawiharta/Reuters)

O Centro de Desenvolvimento de Pesquisa e Tecnologia em Vulcões (BPPTK) da Indonésia está usando drones (aviões não tripulados) para monitorar a atividade do Monte Sinabung, vulcão que entrou em erupção no sábado (1°), na ilha de Sumatra.

 Peloo menos 14 pessoas morreram, segundo autoridades locais.

O Sinabung é um dos cerca de 130 vulcões ativos no país, que fica ao longo do chamado Círculo de Fogo, cinturão vulcânico nas margens do Oceano Pacífico.

A erupção mais mortal registrada na Indonésia nos últimos anos ocorreu no Monte Merapi, perto de Yogyakarta, cidade densamente povoada no centro da ilha de Java. O vulcão entrou em erupção no fim de 2010, matando mais de 350 pessoas.

Fonte G1

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Coreia do Sul usa sensor Kinect, do Xbox 360, para monitorar fronteira

Kinect (Foto: Divulgação)Kinect é sensor de movimentos do Xbox
(Foto: Divulgação/Microsoft)

O sensor de movimentos Kinect, dos videogames Xbox 360 e Xbox One, da Microsoft, está sendo utilizado para monitorar a fronteira entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte. Ao identificar que uma pessoa se aproxima da fronteira, ela é identificada pelas câmeras do acessório e envia um alerta aos militares.

Um software criado pelo sul-coreano Jae Kwan Ko utiliza o Kinect para realizar o monitoramento da fronteira desde agosto de 2013, quando o sistema foi lançado, de acordo com reportagem do jornal “Hankooki”.

Com as lentes viradas para a fronteira, o sistema detecta qualquer movimento fora do comum e consegue diferenciar se a movimentação que ele enxerga é de um ser humano ou de um animal. No caso de identificar um ser humano, o sistema envia um alerta para os militares para que tomem as providências necessárias.

“Nunca imaginei que um acessório de um videogame poderia seria utilizado como um sistema de defesa de um país”, disse Ko em entrevista ao jornal.

Mais detalhes sobre o sistema não foram revelados por envolver assuntos de segurança nacional da Coreia do Sul.

O jornal não informou qual versão do Kinect foi usada, a do Xbox 360 ou a do Xbox One, videogame de nova geração da Microsoft lançado em novembro de 2013 – na Coreia do Sul o console ainda não chegou às lojas. A nova versão do sensor consegue detectar até os batimentos cardíacos do usuário, além de ter uma captura de movimentos mais precisa.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de fevereiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Empresa japonesa cria robôs para monitorar pólen de flores

A empresa japonesa de previsão do tempo Weathernews vai distribuir cerca de 1 mil robôs em formato de bolas para monitorar o nível de pólen das flores em plantações do país.

Os robôs, em formato de uma bola, têm dois “olhos” de LED e podem brilhar em cinco cores diferentes para indicar o nível de pólen no local onde estão. Com o monitoramento, será possível lidar de maneira melhor com a “febre do feno”, uma reação alérgica ao pólen que atinge algumas plantas.

Eles serão instalados do lado de fora de casas. Além do pólen, os robôs também irão monitorar temperaturas, humidade e pressão atmosférica.

Funcionárias da empresa de previsão do tempo Weathernews posam com os robôs que irão monitorar o nível de pólen em plantações do Japão (Foto: Yoshikazu Tsuno/AFP)Funcionárias da empresa de previsão do tempo Weathernews posam com os robôs que irão monitorar o nível de pólen em plantações do Japão (Foto: Yoshikazu Tsuno/AFP)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de janeiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , ,

Empresa japonesa cria robôs para monitorar pólen de flores

A empresa japonesa de previsão do tempo Weathernews vai distribuir cerca de 1 mil robôs em formato de bolas para monitorar o nível de pólen das flores em plantações do país.

Os robôs, em formato de uma bola, têm dois “olhos” de LED e podem brilhar em cinco cores diferentes para indicar o nível de pólen no local onde estão. Com o monitoramento, será possível lidar de maneira melhor com a “febre do feno”, uma reação alérgica ao pólen que atinge algumas plantas.

Eles serão instalados do lado de fora de casas. Além do pólen, os robôs também irão monitorar temperaturas, humidade e pressão atmosférica.

Funcionárias da empresa de previsão do tempo Weathernews posam com os robôs que irão monitorar o nível de pólen em plantações do Japão (Foto: Yoshikazu Tsuno/AFP)Funcionárias da empresa de previsão do tempo Weathernews posam com os robôs que irão monitorar o nível de pólen em plantações do Japão (Foto: Yoshikazu Tsuno/AFP)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de janeiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , ,

Startup testa drone para monitorar rinocerontes e evitar caça no Quênia

Engenheiros da startup Airware mostram imagens captadas por drones que vigiam rinocerontes e outros animais selvagens a patrulheiros de reserva ambiental no Quênia. (Foto: Divulgação/OI Pejeta Conservancy)Engenheiros da startup Airware mostram imagens
captadas por drones que vigiam rinocerontes
e outros animais selvagens a patrulheiros de
reserva ambiental no Quênia. (Foto: Divulgação/
OI Pejeta Conservancy)

Chegar próximo de um rinoceronte não é das tarefas mais fáceis. Monitorá-los para evitar o avanço de caçadores também não.

Por isso a startup norte-americana Airware, que desenvolve drone (veículos aéreos não tripulados), testou o uso das máquinas aéreas na vigilância de áreas selvagens na África, para evitar o extermínio de algumas espécies, como o rinoceronte negro.

Um vídeo do procedimento foi divulgado pela companhia nesta terça-feira (14) (Veja aqui).

Chamado de Patrulheiro Aéreo, o drone foi testado no OI Pejeta, o maior santuário de rinocerontes negros do Leste da África. Localizado no Quênia, a área de preservação é a única no país onde se podem ver chipanzés, além de reunir a maior densidade de predadores selvagens.

Devido à caça predatória, o número de rinocerontes vem caindo drasticamente. Em 1960, 2 mil rinocerontes habitavam a reserva. Somente em 2013, 50 foram mortos e apenas sete ainda vivem no parque.

A área é administrada por uma organização sem fins lucrativos, chamada OI Pejeta Conservancy, que, junto do Serviço do Quênia de Vida Selvagem, trabalharam nos testes com a Airware.

Monitores mostram imagens captadas por drone da Airware, que vigia rinocerontes e outros animais selvagens em reserva ambiental no Quênia. (Foto: Divulgação/OI Pejeta Conservancy)Monitores mostram imagens captadas por drone
da Airware, que vigia rinocerontes e outros animais
selvagens em reserva ambiental no Quênia.
(Foto: Divulgação/OI Pejeta Conservancy)

O teste foi realizado no Natal de 2013. O drone usado estava equipado com a plataforma de piloto automático e o software de controle da Airware, que, em conjunto, funcionam como uma ferramenta de monitoramento que transmite vídeos e imagens térmicas em tempo real à base dos patrulheiros.

Com o veículo, é possível sobrevoar áreas habitadas por animais selvagens e fazer a contagem de populações com mais frequência. Tanto a rota do drone quanto as câmeras presentes nele podem controladas por patrulheiros.

Enquanto esteve na área de preservação, a Airware também testou planadores convencionais e vários tipos de aterrisagem.

Até março de 2013, a startup participava do programa da aceleradora Y Combinator, pioneira no mundo nesse ramo de acolher empresas iniciantes de tecnologia para ajuda-las a construir um plano de negócio que sustente financeiramente as inovações tecnológicas que criaram. Passaram por ela Reddit, Dropbox, Airbnb, Pebble, Rap Genius, iCracked e Coinbase.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 16 de janeiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,

Nasa constrói satélite para monitorar oferta de água e degelo no planeta

Administrador da Nasa, Charles Bolden, percorreu as instalações do JPL nesta terça-feira (13) (Foto: Frederic J. Brown/AFP)Administrador da Nasa, Charles Bolden (esq.), visitou instalações na terça (Foto: Frederic J. Brown/AFP)

O Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da agência espacial americana (Nasa) em Pasadena, na Califórnia, está construindo o satélite Soil Moisture Active Passive (Smap), que será lançado em outubro do ano que vem.

O equipamento vai produzir mapas globais de umidade do solo, para monitorar a disponibilidade de água em todo o planeta, e também detectar o congelamento ocorrido no inverno e o degelo na primavera, para acompanhar as mudanças nos padrões de crescimento da vegetação entre as estações.

Isso deve permitir que os cientistas determinem quanto de carbono as plantas usam da atmosfera a cada ano.

Na terça-feira (13), o administrador da Nasa, Charles Bolden, percorreu as instalações do JPL para acompanhar o processo de produção e montagem do Smap.

Cabos destinados ao novo satélite são manipulados por funcionários do JPL (Foto: Frederic J. Brown/AFP)Cabos destinados ao novo satélite são manipulados por funcionários do JPL (Foto: Frederic J. Brown/AFP)Satélite Smap está sendo desenvolvido nos EUA e deve ser lançado em 2014 (Foto: Frederic J. Brown/AFP)Satélite Smap está sendo desenvolvido nos EUA e deve ser lançado em 2014 (Foto: Frederic J. Brown/AFP)Engenheiros da Nasa observam processo de construção e montagem de satélite (Foto: Frederic J. Brown/AFP)Engenheiros observam processo de construção e montagem de satélite (Foto: Frederic J. Brown/AFP)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de agosto de 2013 em Música, Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Descubra as vantagens de monitorar sua carreira em TI

Mary K. Pratt, Computerworld/USA

“Qual é o meu próximo passo?” Em algum momento da carreira, a maioria dos profissionais de TI vai fazer essa pergunta aos gestores. Infelizmente, muitos dos líderes da área não estão preparados para responder a essa pergunta com profundidade. Em geral, eles não têm uma boa compreensão dos talentos do empregado, interesses e objetivos, ou então desconhecem os planos de carreira em potencial da empresa.

Linda Tedlie é uma líder de TI que não enfrenta esse problema. Quando um funcionário a abordou e perguntou “o que vem agora?” Linda, uma gerente sênior de desenvolvimento de carreira na Kimberly-Clark, verificou um mapa de carreira para o profissional.

Ela foi capaz de discutir o papel atual do empregado, suas capacidades e identificar outras posições na fabricante de produtos de papel que combinassem com suas habilidades e aspirações. Então, ela pôde planejar de forma adequada os passos que o profissional deve seguir para chegar a posição desejada: uma função mais sênior no departamento de fusões e aquisições da Kimberly-Clark.

O mapeamento de carreira teve origem na área de recursos humanos e é particularmente útil para grandes organizações que buscam institucionalizar seus programas de gestão de carreira, promover o desenvolvimento pessoal e aplicar estratégias de sucessão. De acordo com Gina Clarke, presidente e CEO da Talent Optimization Partners, a movimentação contribui ainda para manter talentos em casa.

As empresas menores, observa Gina, são menos propensas a ter programas formais de mapeamento de carreira porque têm menos oportunidades internas para controlar. Um mapa de carreira reúne diferentes conjuntos de informações para dar aos funcionários e seus gestores uma visão de onde eles estão, para onde podem ir e como chegar aos postos de trabalho desejados.

Gina diz que as companhias geralmente listam os postos de trabalho e as competências necessárias para cada um, além de currículos para trabalhadores individuais. Mas, até agora, poucos empregadores reúnem todas essas informações para criar uma visão holística da progressão da carreira com base em capacidades, competências e metas.

Um mapa da carreira inclui elementos como histórico de trabalho e competências, lista de aspirações, análise de déficit de competências, plano para adicionar competências, posições-alvo na empresa e acompanhamento de metas.

Alinhando expectativas

Na Kimberly-Clark, que soma 56 mil empregados, cada departamento tem um processo para ajudar as pessoas a avançarem em suas carreiras, mas a TI decidiu há três anos melhorar o sistema para seus 900 empregados.

Usando uma ferramenta chamada Skills Framework for the Information Age (SFIAplus), a TI criou uma plataforma que permite que funcionários de TI construam detalhados planos de desenvolvimento, explica Gene Bernier, diretor do Program Management Office, uma equipe de 80 funcionários dentro da TI.

“A plataforma oferece aos indivíduos uma perspectiva diferente. Ela abre linhas de comunicação, e dá às pessoas mais controle sobre o desenvolvimento da carreira”, explica Bernier, que liderou o mapeamento de carreira no departamento de TI.

Assim como a Kimberly-Clark, a Mueller Water Products traçou uma série de estratégias para crescimento profissional dos funcionários, mas adotou recentemente uma abordagem mais disciplinada e detalhada para o levantamento das oportunidades possíveis – e expectativas – para os funcionários, segundo o vice-presidente sênior, CTO e CIO Robert Keefe.

A empresa de infraestrutura de água com sede em Atlanta (EUA) lançou sua versão do mapeamento de carreira há vários anos por meio do UAchieve, programa apoiado pela liderança sênior e executado pelo departamento de RH. 

Como muitas organizações, diz Keefe, a Mueller Water Products separa o processo de revisão anual e aumentos salariais por mérito para ajudar a manter o foco em visões de longo prazo e não a partir de metas anuais.

O programa coleta informações sobre cada funcionário, suas posições atuais e habilidades. Como parte do processo, diz Keefe, os profissionais são convidados a considerar determinados cenários. A empresa pergunta se eles estão dispostos a mudar de cidade ou migrar para outra divisão de negócios para ganhar habilidades necessárias para futuras posições.

Com base nas informações coletadas, Keefe diz que a organização trabalha com indivíduos em todos os níveis, incluindo a gestão, para determinar quais as oportunidades estão disponíveis e quee é preciso fazer para estar pronto.

Benefícios para a empresa incluem um melhor planejamento do plano de sucessão e um ambiente de trabalho vibrante e repleto de desafios, além de funcionários engajados, lista Keefe.

Mas não pode haver desvantagens no mapeamento de carreira para os empregadores, alerta o executivo. Na Mueller Water Products, um gerente de TI concluiu no processo de mapeamento que a empresa não tinha a posição que ele aspirava. 

Assim, o veterano de dez anos, que Keefe acreditava ser um futuro líder de TI, conseguiu um emprego em outra empresa onde ele poderia ganhar as habilidades de que precisava.

Ao centralizar as informações sobre o futuro profissional de cada empregado, a organização consegue identificar melhor se há talentos dentro de casa que podem ocupar posições de destaque ou se é preciso buscar no mercado. 

Checklist

6 principais componentes para mapear adequadamente a carreira

O mapeamento de carreira contribui para a definição de metas de longo prazo e objetivos profissionais que vão além das metas estabelecidas durante as revisões anuais, diz Gina, da Talent Optimization Partners.

Embora muitos trabalhadores desenvolvam mapas de carreira em conjunto com os seus empregadores, Gina recomenda que os profissionais executem essa tarefa de forma separada. Esses mapas devem ser atualizados pelo menos uma vez por ano, acrescenta.

Veja abaixo seis componentes-chave de um mapa de carreira, de acordo com Gina:

1. Histórico profissional. Trata-se de uma lista das funções de trabalho que você realizou, com competências (e não apenas as responsabilidades) identificados para cada um.

2. Um olhar completo. “Aqui é onde você começa a incorporar o que você quer”, afirma Gina. Ela aconselha que as pessoas comecem com as indústrias que estão interessadas em, em seguida, os papéis que pretendem desempenhar.

3. Análise de gaps de competências. É uma comparação das competências que você tem atualmente e aquelas que precisa adquirir para fazer o que deseja.

4. Plano para adicionar competências. Aqui, você deve identificar projetos, cursos ou experiências que podem ajudá-lo a fechar a lacuna entre as habilidades que tem hoje e as que precisa.

5. Para onde quero ir? Liste empresas que gostaria de trabalhar, ou pelo menos quer saber mais sobre. Se você pretende ficar em seu empregador atual, ainda é útil pensar sobre os concorrentes para compreender melhor o que o seu empregador terá de seus empregados.

6. Metas de networking. Identifique as pessoas que você quer conhecer ou conhecer melhor. Comprometa-se a chegar até eles a cada trimestre com um objetivo específico em mente. Você está procurando um mentor? Esperando por mais informações sobre a empresa em geral? Interessado em um trabalho específico dentro de uma divisão especial? “Considere o que você quer com essas pessoas”, finaliza Gina.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de janeiro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , ,