RSS

Arquivo da tag: milhes

Manuscritos e desenhos de Lennon são leiloados por US$ 2,9 milhões

AppId is over the quota
Desenho de John Lennon que vai a leilão em Nova York no dia 4 de junho (Foto: Divulgação/Sotheby's)Um dos desenhos de John Lennon leiloados em Nova York (Foto: Divulgação/Sotheby’s)

Manuscritos e desenhos originais do ex-Beatle John Lennon, produzidos para dois aclamados livros que ele escreveu em meados dos anos 1960, foram leiloados por US$ 2,9 milhões nesta quarta-feira (4), mais do que o dobro do estimado, informou a casa de leilões Sotheby’s.

Todos os 89 lotes à venda, do livro “In his own write”, de 1964, a “A spaniard in the works”, de 1965, foram arrematados.

O destaque do leilão foi “The singularge experience of Miss Anne Duffield”, o manuscrito de uma paródia de Lennon de Sherlock Holmes presente em “A spaniard in the works”, vendido por US$ 209 mil.

“O resultado extraordinário, a primeira venda de um lote total em 2014 na Sotheby’s de Nova York, mostra que os versos nonsense, os trocadilhos, o humor maldoso e os desenhos cômicos de Lennon continuam a ter impacto 50 anos após a publicação de ‘In his own write’ e ‘A spaniard in the works'”, disse Gabriel Heaton, vice-diretor do departamento de livros e manuscritos da Sotheby’s, em um comunicado.

Entre outros itens de destaque no leilão, pouco mais de meio século depois da primeira aparição dos Beatles nos Estados Unidos no programa Ed Sullivan Show, estavam o manuscrito de “The fat budgie”, vendido por US$ 143 mil, e um desenho a tinta de um guitarrista, arrematado por US$ 137 mil.

Heaton, que descreveu os itens como a coleção mais substancial de trabalhos artísticos e manuscritos originais de Lennon, disse que todos os lotes à venda foram produzidos no auge da Beatlemania.

Lennon foi morto a tiros em Nova York em dezembro de 1980, aos 40 anos de idade. A coleção foi vendida pelo editor britânico de Lennon, Tom Maschler, que o convenceu a escrever os livros.

View the original article here

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 9 de junho de 2014 em Música

 

Tags: , , , ,

Autora de falsas memórias do Holocausto deve pagar R$ 50 milhões

AppId is over the quota
AppId is over the quota
Capa de 'Misha: A mémoire of the Holocaust years' (Foto: Divulgação)Capa de ‘Misha: A mémoire of the Holocaust
years’ (Foto: Divulgação)

A escritora de um best-seller baseado em falsas memórias sobre o Holocausto foi condenada por um tribunal dos Estados Unidos a devolver US$ 22,5 milhões, o equivalente a quase R$ 50 milhões, a sua editora.

A autora em questão é a belga Misha Defonseca, autora do livro “Misha: A mémoire of the Holocaust years” (Misha: memórias dos anos do Holocausto, na tradução literal), publicado em 1997.

O livro conta a história – supostamente verdadeira – de uma menina judia que, entre outras coisas, foi criada por lobos e matou um soldado nazista durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A decisão do tribunal de apelação de Massachusetts foi emitida no último 29 de abril e leva a assinatura do juiz Marc Kantrowicz, segundo uma cópia do documento publicada no Courthouse News Service.

A autobiografia de Misha Defonseca, que na verdade se chama Monique de Wael, tornou-se um sucesso instantâneo na Europa e foi traduzida em mais de vinte línguas. Em 2007, a obra ganhou uma adaptação para o cinema, “Sobrevivendo com lobos”.

Em fevereiro de 2008, Defonseca admitiu que muitas das coisas escritas eram falsas, começando pelo fato de que não era judia e de que nunca havia deixado sua casa na Bélgica durante a guerra. Ela se justificou garantindo que esta foi sua forma de sobreviver à tragédia vivida à época.

“Este livro, esta história, é minha. Não é a realidade real, mas foi a minha realidade, minha maneira de sobreviver”, afirmou a escritora em 2008.

A saga judicial nos Estados Unidos começou com um processo aberto pela própria Defonseca e por uma pessoa que deveria ajudá-la a escrever a versão em inglês, Vera Lee, que denunciaram a editora Mt. Ivy Press L.P por quebra de contrato.

Um primeiro parecer favorável à Defonseca e Lee deu US$ 22,5 milhões à belga (R$ 49,93 milhões) e US$ 9,9 milhões (R$ 27,97 milhões) a Lee.

Mas a derrota judicial levou Jane Daniel, presidente da editora, a buscar evidências de fraude na história, da qual muitos já tinham duvidado.

Após a apelação da editora, o caso passou à segunda instância, onde a sentença em favor de Defonseca foi revertida e anulada.

A escritora recorreu ao tribunal de apelação, que resolveu manter a decisão de anular a primeira sentença.

“Este caso é único. A falsidade da história é indiscutível”, avaliou o juiz Kantrowitz em sua sentença de 29 de abril.

“Não opinamos sobre se é ‘razoável’ a crença de Defonseca na veracidade de sua história”, informou o juiz, alegando que “a introdução da evidência dos fatos atuais de sua história no processo poderia ter feito uma diferença significativa nas deliberações do júri”.

“Esperamos que agora a saga tenha chegado ao fim”, conclui a sentença de nove páginas.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de maio de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Google dá R$ 7 milhões a ONGs que usam tecnologia para mudar o Brasil

O Google apresentou nesta terça-feira (8) as quatro organizações não governamentais brasileiras que venceram o Desafio de Impacto Social, prêmio para aquelas que apresentassem as melhores ideias de como utilizar a tecnologia para melhorar a realidade do Brasil. Ao todo, o Google distribuiu R$ 7 milhões às entidades.

As quatro receberam R$ 1 milhão. A Meu Rio foi premiada pelo projeto “Rede Minha Cidade”, em que usa aplicativos de celular para incentivar moradores de comunidades a se engajarem.

A Conservation Internation do Brasil se destacou pela proposta de transformar mais sustentável a pesca em comunidades extrativistas ao lançar um aplicativo que identifica a origem dos peixes e os métodos da pescaria.

Já o Instituto Zero a Seis foi escolhida pela ideia de apoiar o desenvolvimento das crianças na primeira infância e de suas mães com o envio de SMS às gestantes e às mães de bebês com até três anos de idade.

A quarta premiada foi selecionada em uma votação aberta na internet, que recebeu 475 mil votos. O Geledés Instituto da Mulher Negra criará um aplicativo para apoiar mulheres em situação de vulnerabilidade e que são vítimas de violência doméstica.

Além disso, o Google recompensou com R$ 500 mil as outras seis ONGs finalistas. As dez entidades apresentaram suas propostas aos jurados Jacquelline Fuller, diretora do Google.org, Luciano Huck, apresentador da TV Globo, Viviane Senna, empreendedora social, e o rapper MV Bill. Também participou o empresário Josué Gomes, presidente da Coteminas.

Além do dinheiro, os vencedores receberão suporte técnico do Google para que os projetos possam ganhar vida. O Brasil é o terceiro país a receber essa competição, depois de Inglaterra e Índia.

Nas outras edições do desafio, alguns dos ganhadores foram um aplicativo para conectar cidadãos ao governo, um programa de iluminação de comunidades na África a partir da captação de energia solar e um programa que acompanha o desenrolar de projetos sociais e de reconstrução em países devastados pela guerra.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Anatel licita direitos de exploração de satélite por R$153 milhões

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) licitou nesta terça-feira quatro direitos de exploração de satélites por R$ 153,15 milhões.

A Hispamar Satélites ofereceu R$ 65 milhões pelo primeiro direito de exploração de satélite licitado, para operar a banda Ku, o que representou um ágio de 431,8% sobre o valor mínimo para um lance, de R$ 12 milhões.

A SES DTH do Brasil apresentou as melhores ofertas para o segundo e terceiro direitos de exploração de satélite. Com a proposta de R$ 33 milhões de reais, ágio de 170%, a empresa obteve o segundo direito para operar nas bandas C, Ku e Ka. Pelo terceiro direito, a empresa ofertou R$ 26,8 milhões, ágio de 119,3%, para operar na banda Ku.

Pela banda Ka, as empresas podem fornecer banda larga. Já pelas banda C e Ku, as operadoras poderão oferecer diversas aplicações em telecomunicações.

A Hispamar, que levou o primeiro lote, e a SES DTH, compradora do terceiro, escolheram as faixas destinadas no país para proverem DTH (TV por assinatura via satélite).

A Eutelsat do Brasil apresentou a melhor oferta pelo quarto direito de exploração, de R$ 28,35 milhões, um ágio de 131,9%. O futuro satélite deverá operar nas frequências que podem atender a todos os serviços fixos de telecomunicações.

Todos os direitos de exploração terão prazo de 15 anos, prorrogáveis por igual período. O objetivo da licitação é reforçar a infraestrutura de telecomunicações do país, afirmou a Anatel.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Activision gastou US$ 500 milhões no desenvolvimento de ‘Destiny’

'Destiny' é game de fantasia e ficção científica da Bungie, criadora de 'Halo' (Foto: Divulgação/Bungie)‘Destiny’ é game de fantasia e ficção científica da Bungie, criadora de ‘Halo’ (Foto: Divulgação/Bungie)

O game de tiro futurista “Destiny”, da Activision, custou mais de US$ 500 milhões para a produtora. O montante é referente aos custos de desenvolvimento e de marketing do game, área que a companhia quer investir para tentar fazer do título um novo “Halo”.

O valor foi revelado pelo presidente da Activision, Bobby Kotick, em audiência com acionistas. “Se você está fazendo uma aposta de US$ 500 milhões você não pode fazer essa aposta com a franquia de outra pessoa. Nossas metas estão aumentando. O orçamento de ‘Destiny’ parece ser um dos mais altos da história dos videogames”.

O estúdio Bungie, que trabalha em “Destiny” é o mesmo que criou a série dos videogames da Microsoft, o que torna o novo game muito similar aos jogos da franquia “Halo”. Em 2010, a Activision fechou um contrato de dez anos com a Bungie para criar uma nova franquia.

“Destiny” segue os passos de “Halo” e é um game de tiro em primeira pessoa (quando a câmera do jogo acompanha a perspectiva do personagem). Mas ao contrário da saga de Master Chief, o novo título da Bungie mistura elementos de ficção científica e fantasia e é ambientado em um mundo on-line interativo, que funde as campanhas para um jogador às áreas competitivas multiplayer. Algo como um MMO, como Chris Alderson, designer de personagens da Bungie, afirmou em entrevista ao G1 durante a feira Brasil Game Show (BGS) 2013.

Entre os jogos que tiveram custos altos de desenvolvimento estão “Grand Theft Auto V”, lançado em 2013, que custou US$ 280 milhões ao estúdio Rockstar. Em três dias nas lojas o jogo alcançou US$ 1 bilhão em vendas. Outro jogo com custo alto foi “Call of Duty: Modern Warfare 2”, de 2009, que custou US$ 200 milhões.

A Activision acredita que o valor é um investimento a longo prazo, com “Destiny” sendo uma franquia que irá ter outros jogos similares. Parte do valor gasto no desenvolvimento irá fazer com que os próximos jogos da série tenham custos menores.

“Destiny” será lançado em 9 de setembro para Xbox One, Xbox 360, PlayStation 4 e PlayStation 3.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 7 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Nokia lança fundo para investir US$ 100 milhões em carros conectados

A empresas de sistemas de telecomunicações Nokia lançou nesta segunda-feira (5) um fundo de investimento com US$ 100 milhões em caixa para financiar empresas que desenvolvam sistemas para carros conectados.

A companhia finlandesa vendeu sua área de aparelhos móveis para a Microsoft, que anunciou a conclusão da aquisição na semana passada. Ainda assim, a Nokia continua a ser uma das maiores fornecedoras de telecomunicações e tecnologia do mundo.

Segundo a companhia, o fundo irá identificar “companhias cujas inovações serão importantes para um mundo de veículos inteligentes e conectados”. A aproximação da empresa com o setor automotivo não é recente. A Nokia já é dona do serviço de mapas e de geolocalizçaão HERE, que funciona tanto em computadores quanto em smartphones e tablets.

Gerenciado pela Nokia Growth Partners (NGP), o fundo trabalhará em sintonia com as necessidades do HERE.

“Nos últimos anos, houve uma onda de inovação que trouxe avanços tecnológicos que levaram a veículos mais acessíveis, seguros, limpos, aumentando a conectividade e a inteligência deles. Os veículos se tornaram uma nova plataforma para adoção de tecnologia muito similar aos celulares e tablets”, afirmou Paul Asel, da NGP, em comunicado.

“Nós acreditamos que carros conectados equipados com reconhecedores de local precisos e sensores de dados podem se tornar um poderoso dispositivo capaz de ajudar aos motoristas a ter consciência do mundo em torno dele”, afirmou Michael Halbherr, presidente-executivo do HERE. O fundo atuará nos Estados Unidos, Índia, China e Europa.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 7 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Anatel aplica R$ 390 milhões em multas por descaso com orelhões

Orelhão sem manutenção (Foto: Thiago Reis/G1)Orelhão sem manutenção no bairro da Vila Mariana, em São Paulo (Foto: Thiago Reis/G1)

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) diz ter aplicado R$ 390 milhões em multas nos últimos dez anos para punir a falta de manutenção e reparo de orelhões no Brasil.

No período, foram instaurados 335 procedimentos administrativos contra as concessionárias de telefonia fixa por descumprimento de obrigações em relação aos telefones de uso público, segundo a agência.

“As concessionárias têm a obrigação, por força regulamentar e contratual, de realizarem a manutenção preventiva e corretiva de tais terminais. A manutenção preventiva deve atender ao disposto na cláusula 4.5 do contrato de concessão”, informa a Anatel.

Segundo a cláusula 4.5, “a concessionária se compromete a manter e conservar todos os bens, equipamentos e instalações empregados no serviço em perfeitas condições de funcionamento, conservando e reparando suas unidades e promovendo, nos momentos oportunos, as substituições demandadas em função do desgaste ou superação tecnológica, ou ainda promovendo os reparos ou modernizações necessárias à boa execução do serviço e à preservação do serviço adequado”.

O contrato determina que os reparos nos aparelhos precisam ser feitos em até oito horas, contadas a partir da detecção da falha, em 98% dos casos, e que em nenhuma hipótese os consertos devem ser feitos mais de 24 horas depois. Entidades de direitos do consumidor dizem que a regra não é seguida.

é o número de procedimentos administrativos contra as empresasé o total de multas aplicadas nos últimos dez anos

Dados do serviço de acompanhamento do número de orelhões da Anatel, o Fique Ligado, apontam que atualmente aproximadamente 15% dos orelhões do Brasil não funcionam, pois estão em manutenção.

As empresas, entretanto, dizem que acompanham de perto os aparelhos para comprovar se estão funcionando.

Em nota, a Telefônica Vivo informa que “faz a manutenção presencial e remota dos 198,7 mil orelhões mantidos no 622 municípios que compõem sua área de concessão no Estado de São Paulo”. “Todos meses, um volume expressivo de cúpulas, postes e aparelhos sofrem atos de vandalismo, exigindo medidas adicionais para que os orelhões estejam à disposição do público”, diz a empresa.

A Oi informa que realiza todos os meses 300 mil visitas para fazer manutenção e reparos nos terminais, “danificados por interpéries ou atos de vandalismo”. A operadora possui 655 mil orelhões instalados em todo o Brasil, excetuando-se o estado de São Paulo, o que representa 75% do total.

“As informações recebidas sobre orelhões danificados contribuem para que a empresa repare os danos provocados pelo vandalismo. O serviço é de grande relevância social, e entendemos que a Oi e a comunidade são vítimas dos constantes atos de vandalismo contra os telefones públicos, cabos telefônicos e linhas”, afirma, em nota, a companhia

A Oi diz ainda que atende, com a instalação de orelhões, “instituições de ensino, segurança, saúde, bibliotecas e museus públicos, órgãos de defesa do consumidor, Ministério Público e do Poder Judiciário”.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 7 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,