RSS

Arquivo da tag: medidas

Obama lança medidas para promover energia solar nos EUA

Usina solar tem capacidade de gerar energia que pode abastecer 140 mil moradias (Foto: Steve Marcus/Reuters)Usina solar instalada em deserto dos Estados Unidos (Foto: Steve Marcus/Reuters)

A Casa Branca anunciou nesta quinta-feira (17) uma série de medidas modestas para desenvolver a energia solar nos Estados Unidos, com incentivos à instalação de painéis solares nos terrenos públicos do governo federal.

O presidente Barack Obama e os democratas do Congresso promovem políticas para lutar contra o aquecimento global, mas os republicanos, que dominam a Câmara de Representantes, bloqueiam desde 2011 qualquer iniciativa legislativa neste sentido. Por esta razão, a única saída para o governo é utilizar a via regulamentar ou administrativa.

Assim, o governo federal lançou nesta quinta-feira um programa para incentivar as agências federais, instalações militares e edifícios que recebem subsídios públicos na região de Washington a instalarem mais painéis solares em seus tetos, estacionamentos ou terrenos baldios.

Nesta semana, o Departamento de Energia emitiu um apelo público para garantir US$ 2,5 bilhões em empréstimos para financiar projetos de energia solar ‘inovadores’.

A Agência de Proteção do Meio Ambiente (EPA) criou nesta quinta-feira uma rede de associação de instituições (empresas, colégios, lojas, etc) para dobrar a utilização de energias renováveis em 10 anos. Também deve destinar US$ 15 milhões para estimular iniciativas locais.

Segundo a Casa Branca, a capacidade solar instalada nos Estados Unidos passou de 1,2 gigawatt em 2008 a 13 gigawatts atualmente. O custo dos painéis solares caiu 60% desde 2010.

O presidente Obama tem um recurso eficaz para reduzir as emissões de gás carbônico, já que pode estimular mudanças no Departamento de Defesa, principal consumidor de energia do país.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Obama pede que Irã tome medidas concretas sobre acordo nuclear

O presidente Barack Obama pediu nesta quinta-feira ao Irã que tome medidas significativas para um acordo sobre seu programa nuclear, que marcara o fim do isolamento econômico internacional de Teerã.

“Temos chances de alcançar um acordo se o Irã tomar medidas significativas e verificáveis para assegurar ao mundo que seu programa nuclear tem apenas fins pacíficos”, afirmou Obama em um comunicado da Casa Branca.

Segundo a agência Reuters, o presidente dos Estados Unidos também uma mensagem em  vídeo ao povo iraniano, dizendo que há esta é uma chance de se alcançar um acordo sobre a questão nuclear com o Irã se o governo de Teerã apresentar verificáveis passos ao Ocidente de que seu programa nuclear tem apenas objetivos pacíficos.

“Eu não tenho ilusões. Isso será difícil”, disse Obama em uma mensagem para marcar a data comemorativa iraniana de Nowruz, que marca o ano novo persa. “Mas eu estou comprometido com a diplomacia porque eu acredito que há bases para uma solução prática”, afirmou o presidente.

Os Estados Unidos e outros cinco potências estão tentando chegar a um acordo abrangente para impedir o Irã de desenvolver sua capacidade de bomba nuclear, com a aproximação do fim de um acordo temporário de seis meses implementado em 20 de janeiro.

Sob esse acordo, que pode ser renovado, o Irã concordou em frear seu programa nuclear em troca de acesso a mais de 4 bilhões de dólares em receitas de petróleo que tinham sido congeladas por sanções ocidentais.

A mensagem de Obama foi destinada a estimular a boa vontade do povo iraniano e incentivá-los a acolher um acordo nuclear. A iniciativa de Obama gerou controvérsia no Congresso dos Estados Unidos. Uma ampla maioria dos senadores norte-americanos pediu a Obama nesta semana para insistir que qualquer acordo final deixe claro que o Irã “não tem o direito inerente ao enriquecimento no âmbito do Tratado de Não Proliferação Nuclear”.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Prefeito de Bogotá ganha medidas cautelares contra sua destituição

Gustavo Petro, político colombiano, @petrogustavo no Twitter (Foto: Divulgação)O prefeito de Bogotá, Gustavo Petro (Foto:
Divulgação)

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) concedeu nesta terça-feira (19) medidas cautelares ao prefeito de Bogotá, Gustavo Petro, que foi destituído e inabilitado por 15 anos pela Procuradoria Geral de seu país pela suposta má gestão de uma crise na coleta de lixo da capital colombiana.

“A Comissão solicita ao governo da Colômbia que suspenda imediatamente os efeitos da decisão do dia 9 de dezembro de 2013, emitida e ratificada pela Procuradoria Geral da Nação no dia 13 de janeiro de 2014, a fim de garantir o exercício dos direitos políticos do senhor Gustavo Francisco Petro Urrego”, diz a decisão da CIDH publicada esta noite pela imprensa colombiana.

O documento da CIDH, que tem sede em Washington, acrescenta que a medida seja tomada para que Petro “possa cumprir com o período para o qual foi eleito prefeito da cidade de Bogotá”.

Petro foi eleito prefeito por votação popular no dia 30 de outubro de 2011 para o período 2012-2015.

“A Comissão também solicita que o governo da Colômbia informe, dentro do prazo de 15 dias contados a partir da data da seguinte resolução, sobre a adoção das medidas cautelares requeridas e atualize tal informação de forma periódica”, acrescenta o documento.

Segundo esse órgão do Sistema Interamericano, “após analisar as alegações de fato e de direito” apresentadas pelos defensores do prefeito em dezembro, a Comissão considera que “os direitos políticos do senhor Gustavo Francisco Petro Urrego se encontrariam em uma situação de gravidade e urgência”.

As medidas cautelares da CIDH foram anunciadas no mesmo dia em que o Conselho de Estado, o tribunal máximo para as disputas administrativas da Colômbia, negou as últimas tutelas (recursos de amparo) que pretendiam suspender a destituição e inabilitação impostas a Petro no dia 9 de dezembro pelo procurador-geral, Alejandro Ordóñez.

Com essa decisão, foram esgotadas as instâncias legais das quais Petro poderia recorrer contra a punição da Procuradoria Geral.

Horas antes da decisão da CIDH, Petro tinha depositado nesse tribunal internacional sua esperança de evitar sua destituição e inabilitação através de medidas cautelares.

“Não sabemos se o sistema interamericano nos protege ou não. Se não o faz, não restará para nós um único centímetro quadrado de justiça”, disse o prefeito da capital colombiana.

A Procuradoria Geral considera que Petro cometeu falhas graves em dezembro de 2012 ao mudar o modelo de coleta de lixo de Bogotá, das mãos privadas para um modelo público, o que ocasionou uma crise nesse serviço durante três dias na cidade.

Segundo a Constituição colombiana, a Procuradoria Geral exerce a função de Ministério Público e de controle disciplinar dos funcionários do Estado, inclusive os de escolha popular, e representa à sociedade, sem competência penal.

A situação do prefeito esta agora em mãos do presidente colombiano, Juan Manuel Santos, que deve decidir se procede com a destituição ordenada pela Procuradoria Geral ou com as medidas cautelares da CIDH, sobre as quais há polêmica no país, pois não se sabe se seu cumprimento é obrigatório ou não.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 20 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

UE adota medidas políticas contra a Rússia e ameaça com sanções

Os líderes europeus decidiram nesta quinta-feira (6) suspender as negociações bilaterais com a Rússia sobre os vistos, a primeira medida política em resposta à ação russa na Crimeia, e ameaçaram Moscou com sanções econômicas, caso a situação na Ucrânia se deteriore.

À margem de uma cúpula extraordinária da UE em Bruxelas, o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, indicou que os dirigentes europeus concordaram em adotar uma estratégia progressiva de sanções para obrigar a Rússia a “negociar” uma saída para a crise na Ucrânia.

Além disso, os europeus consideraram como “ilegal” a decisão do Parlamento da península ucraniana da Crimeia de pedir sua integração à Rússia.

“Esta decisão (…) é contrária à constituição ucraniana e, portanto, ilegal”, declarou Van Rompuy.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 7 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Exército da Ucrânia pede medidas de emergência para ‘estabilizar’ o país

O exército ucraniano pediu nesta sexta-feira (31) ao presidente Viktor Yanukovitch que adote “medidas de emergência” para “estabilizar” a situação no país, em um comunicado publicado no site oficial do ministério da Defesa.

“Os militares e os (outros) funcionários do ministério da Defesa pediram ao comandante supremo do exército (o chefe de Estado) que adote medidas de emergência no marco da legislação atual para estabilizar a situação no país”, cenário há mais de dois meses de manifestações sem precedentes da oposição pró-europeia contra o governo, afirma a nota.

“Os militares e os (outros) funcionários do ministério da Defesa consideram inaceitável a tomada de edifícios públicos e as tentativas de impedir que o poder cumpra suas funções, advertindo que uma escalada da contestação ameaça a integridade territorial da Ucrânia”, completa o comunicado.

O movimento de protesto começou no final de novembro, depois da decisão repentina de Yanukovitch de desistir de assinar um acordo de associação com a UE, negociado durante meses, em troca de uma aproximação com a Rússia, que concedeu um crédito de US$ 15 bilhões e uma redução do preço do gás a Kiev.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Em meio a novos protestos, Tailândia analisa medidas de urgência

O governo da Tailândia analisa nesta segunda-feira (20) medidas de urgência, como dotar de mais poderes as forças de segurança, diante do aumento da violência em torno dos protestos antigovernamentais.

Conforme o responsável pela segurança nacional, Paradorn Pattantabutr, as autoridades estão considerando “muito seriamente” declarar estado de emergência depois de um fim de semana de crise, pois manifestantes tentam há mais de dois meses derrubar o governo.

Protestos tomam ruas da Tailândia pedindo a renúncia do governo (Foto: Mariucha Machado/G1)Protestos tomam ruas da Tailândia pedindo a renúncia do governo (Foto: Mariucha Machado/G1)

A violência é o mais recente episódio num conflito de oito anos que tem de um lado a elite e a classe média de Bangcoc e do outro os mais pobres, principalmente da área rural, que dão apoio à primeira-ministra Yingluck Shinawatra e ao irmão dela e ex-premiê, Thaksin Shinawatra, derrubado pelos militares em 2006.

Já nesta segunda-feira, manifestantes ocupavam o cruzamento Sukhumvit com Ratchadapisek, em Bangcoc, onde um palco estava montado e pessoas levavam cartazes com os dizeres “contra as eleições sujas”, informa a repórter do G1 Mariucha Machado.

Ambulantes vendem fitas e camisetas com as cores do país para manifestantes (Foto: Mariucha Machado/G1)Ambulantes vendem fitas e camisetas com as cores do
país para manifestantes (Foto: Mariucha Machado/G1)

Durante os protestos, ambulantes vendem bandeiras e fitas com as cores do país e barricadas estão montadas por toda a cidade, dificultando a vida de motoristas e pedestres. Shoppings da região fecharam mais cedo por medo dos protesos e os canais de TV mostram manifestações espalhadas por toda a capital.

No domingo, pelo menos 28 pessoas, incluindo uma jornalista, ficaram feridas no último ataque com granada contra as manifestações. Os protestos pedem a renúncia do governo de Yingluck Shinawatra e o cancelamento das eleições do dia 2 de fevereiro.

Repórter do G1 relata que há barricadas e ruas bloqueadas na capital (Foto: Mariucha Machado/G1)Repórter do G1 relata que há barricadas e ruas
bloqueadas na capital (Foto: Mariucha Machado/G1)

Atentado
Um desconhecido jogou o explosivo junto à tenda da imprensa em um dos acampamentos dos manifestantes e voltou a lançar outra granada e disparou contra os guardas que o perseguiam. O agressor conseguiu escapar em uma motocicleta.

Taworn Senneam, ex-deputado do Partido Democrata e responsável dos manifestantes no Monumento à Vitoria, declarou à imprensa acreditar que queriam matá-lo porque a primeira granada foi dirigida contra o local onde estava sentado.

O secretário-geral do Conselho Nacional de Segurança, Paradorn Pattanatabut, advertiu que está previsto um aumento dos atos violentos relacionados com os protestos durante os próximos dias.

Nove pessoas morreram e mais de 500 ficaram feridas desde que a mobilização antigovernamental começou a ocupar ministérios, em 25 de novembro do ano passado.

Paradorn explicou que os manifestantes vão se tornar mais ativos à medida que as eleições legislativas do dia 2 de fevereiro, que tentam boicotar, se aproximam.

Violência
“Os manifestantes disseram que fecharão várias instalações do governo. Até agora, esses fechamentos foram simbólicos. Ele vão até os locas e então eles vão embora”, declarou o chefe da segurança do país à Reuters, afirmando que a polícia está preparada para usar o estado de emergência, se necessário.

“No entanto, se a tática deles mudar, e eles fecharem instalações do governo ou bancos de forma permanente, as chances de distúrbios aumentam, e nós vamos ter que recorrer a essa lei.”

O decreto de emergência dá às agências de segurança poderes amplos para impor toque de recolher, prender suspeitos sem acusação formal, censurar a imprensa, proibir encontros políticos de mais de cinco pessoas e isolar partes do país.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de janeiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

EUA analisam medidas de reciprocidade contra a Venezuela

O governo dos Estados Unidos avalia possíveis medidas de reciprocidade contra a Venezuela pela expulsão de três de seus diplomatas em Caracas, anunciou nesta terça-feira (1°) a porta-voz do Departamento de Estado, Jennifer Psaki, informou a agência de notícias AFP.

“De acordo com a Convenção de Viena sobre as relações diplomáticas, os Estados Unidos podem adotar medidas de reciprocidade, e estamos considerando quais medidas poderão ser adotadas” neste caso, declarou Psaki.

Entenda o caso
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, determinou nesta segunda-feira (30) a expulsão de três funcionários da embaixada dos EUA em Caracas, acusando-os de fomentar, em conjunto com a oposição, supostos “atos de sabotagem econômica e elétrica” no país.

O presidente venezuelano acusou os diplomatas de se reunirem “com a extrema direita venezuelana” para “financiá-los e estimular ações para sabotar o sistema elétrico e a economia” do país.

Em 5 de março deste ano, algumas horas antes do anúncio do falecimento do presidente Hugo Chávez (1999-2013), o governo venezuelano expulsou dois adidos militares da representação diplomática por, supostamente, promover “projetos desestabilizadores” contra o governo.

Em ocasiões anteriores, a diplomacia americana negou participação nesse tipo de atividade.

Desde que assumiu como presidente, em meados de abril, Maduro tem acusado a oposição de tentativas de assassinato, de acumular bens para gerar escassez e de sabotar o sistema elétrico, entre outras coisas.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 2 de outubro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Operadora de Fukushima anuncia medidas para controlar vazamentos

Ministro Toshimitsu Motegi (no centro) usa roupa e máscara de proteção e máscara para inspecionar Tepco nesta segunda (26) (Foto: Tokyo Electric Power Co/Reuters)Ministro Toshimitsu Motegi (no centro) usa roupa e máscara de proteção e máscara para inspecionar Tepco nesta segunda (26) (Foto: Tokyo Electric Power Co/Reuters)

Após uma semana da confirmação do vazamento de água radioativa em um dos tanques de armazenamento da usina de Fukushima, a operadora Tokyo Electric Power (Tepco) anunciou nesta terça-feira (27) uma série de medidas emergenciais para evitar novos vazamentos.

Entre as medidas adotadas pela Tepco estão a criação de uma delegação especial de trabalhadores para vigiar as unidades de armazenamento, a instalação de indicadores para calibrar o nível de água acumulada e a realização de controles adicionais das válvulas de drenagem.

‘Após levar em consideração a opinião de grupos de analistas e realizar reuniões em nível nacional, seguimos nos esforçando para resolver este problema, considerado como a maior prioridade em nível de gestão’, detalhou a operadora em comunicado.

À margem do vazamento registrado nos porões da usina, há menos de uma semana, a Tepco revelou um vazamento de aproximadamente 300 toneladas de água radioativa de um de seus contêineres, enquanto altos índices de radiação foram encontrados na parte inferior de outros dois.

A nova delegação de trabalhadores da Tepco será formada por cerca de 100 operários, liderados pelo presidente da elétrica, Naomi Hirose, e coordenados a partir da fábrica pelo vice-presidente, Zengo Aizawa.

Aproximadamente 50 trabalhadores do contingente reforçarão a equipe de trabalhadores de maneira imediata e, com isso, se responsabilizarão pela análise dos tanques e por inspecionar e reportar possíveis danos nestas unidades.

Estes operários contarão com um aparelho para medir a radiação e termógrafos capazes de identificar o nível de água dentro dos tanques, o que permitirá individualizar os vazamentos com uma simples inspeção visual.

Concretamente, essa analise deverá ser feita em 350 tanques do mesmo modelo que, até o momento, conta somente com três exemplares com defeitos.

Até o momento, a Tepco não se pronunciou sobre as causas dos vazamentos, enquanto as inspeções em todos estes modelos de tanques continuam sendo realizadas, já que os mesmos foram construídos de forma apressada no início da crise nuclear em março de 2011.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 29 de agosto de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

É cedo demais para ONU autorizar medidas contra a Síria, diz Rússia

AppId is over the quota
AppId is over the quota

O Conselho de Segurança da ONU deve esperar que os inspetores de armas da organização apresentem seu relatório sobre o suposto ataque químico na Síria antes de considerar uma possível resposta militar, disse nesta quarta-feira (28) um importante diplomata russo, segundo a agência Interfax.

O vice-chanceler Vladimir Titov sinalizou que a Rússia se opõe ao projeto de resolução que deve ser apresentado pelo Reino Unido ao Conselho de Segurança nesta quarta, autorizando que sejam tomadas as “medidas necessárias” para proteger civis na Síria.

Isso, na prática, significa autorização para uso de força militar contra alvos do regime do contestado presidente Bashar al-Assad.

A pressão internacional sobre o regime de Assad aumenta, após um suposto ataque químico que, segundo a oposição, matou centenas de pessoas em subúrbios da capital, Damasco, na semana passada, em meio à guerra civil que devasta o país há mais de dois anos.

O governo sírio nega a autoria do ataque.

Cresce a expectativa que os EUA e seus aliados, já preparados, lancem um ataque contra alvos do regime sírio, mesmo sem o aval do Conselho de Segurança, no qual Rússia e Síria têm poder de veto.

arte síria versão 21.08 (Foto: Arte/G1)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 29 de agosto de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Governo estuda medidas para melhorar redes de telecom no Brasil

Entre elas estão o incentivo ao compartilhamento de infraestrutura entre as empresas, regras transitórias para a Copa do Mundo e isenções tributárias.

O governo federal está trabalhando com medidas para solucionar os problemas de qualidade das operadoras, segundo o ministro interino das Comunicações, Cezar Alvarez. Entre elas estão o incentivo ao compartilhamento de infraestrutura entre as empresas, regras transitórias para a Copa do Mundo e isenções tributárias para projetos de infraestrutura.

“Estamos vendo o que está ao nosso alcance para ajudar as empresas a terem mais infraestrutura para dar conta do que vendem. Ao mesmo tempo, temos que cuidar para que o que vende seja atendido e o cidadão nãos seja prejudicado”, disse Alvarez.

Segundo o ministro, é evidente que a capacidade instalada está no seu limite, as empresas reconhecem isso. “A Anatel nos conta e a gente, como usuário, percebe que a qualidade vem diminuindo um pouco, em alguns lugares mais, outros menos”, disse, em alusão ao recente problema ocorrido em Porto Alegre, onde o Procon-RS determinou a proibição da venda de novas linhas de telefonia celular por conta da péssima qualidade na prestação dos serviço, e estuda estender a medida para todo o estado.

Segundo o diretor do Procon-RS, Cristiano Aquino, a entidade vai solicitar às operadoras que atuam no estado informações sobre a área de atuação, investimentos, cobertura e a dificuldades de instalação de novas antenas. Foram notificadas as operadoras Claro, Oi, Vivo e TIM.

Além do cancelamento das vendas de telefones pré-pagos e pós-pagos, foi determinado o desconto nas faturas proporcional ao tempo no qual o serviço não foi prestado por queda na conexão da linha telefônica e de internet.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) espera que a decisão tomada em Porto Alegre reflita no cenário de investimentos das operadoras, que, na avaliação da entidade, se concentram mais na expansão da base de clientes, em detrimento de infraestrutura para qualidade dos serviços. “Uma medida como essa vai fazer com que pelo menos se repense esse cenário”, disse o advogado da entidade, Guilherme Varella.

As operadoras dizem que estão limitadas pela legislação das antenas, por questões ambientais e urbanas e pelo tempo de maturação dos investimentos.

O ministro interino das Comunicações, Cezar Alvarez, reconhece esses problemas, mas acredita que a solução para superar o descompasso entre a demanda e a oferta de serviços de telecomunicações no Brasil é acelerar a construção de redes de infraestrutura. Segundo ele, o crescimento da demanda é maior que o tempo de maturação dos investimentos. “O brasileiro vem consumindo cada vez mais serviços de telecomunicações e a infraestrutura está no limite de sua capacidade instalada”, destacou. E a entrada em vigor do regulamento de qualidade em outubro deste ano, exigirá ainda mais investimentos para a oferta de serviços de telecomunicações no Brasil.

Para ajudar, o governo vem fazendo a sua parte, com medidas como o Regime Tributário Especial do Programa Nacional de Banda Larga, incluído na MP 563, aprovada ontem pela Câmara dos Deputados, que desonera a construção de redes de fibra óptica.  E a Telebras vem trabalhando para ampliar a infraestrutura e vender rede às operadoras que não dispõem dela. Mas estuda outras medidas que, sobretudo, incentivem o compartilhamento de infraestrutura entre as empresas.

(*) Com informações da Agência Brasil

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de agosto de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,