RSS

Arquivo da tag: expanso

Expansão de ‘Diablo III’ para PC é principal lançamento da semana

Cruzado é nova classe de 'Diablo III: Reaper of Souls' (Foto: Reprodução/Blizzard)Cruzado é nova classe de ‘Diablo III: Reaper of
Souls’ (Foto: Reprodução/Blizzard)

A chegada de “Reaper of Souls”, primeira expansão do RPG de ação “Diablo III”, é o principal lançamento da semana entre os dias 24 e 30 de março.

A grande novidade de “Reaper of Souls” é a classe do Cruzado, guerreiro religioso que usa tanto armaduras pesadas quanto magias. A expansão tem ainda um quinto ato, com cenários e missões inéditas, e novos modos de jogo.

O conteúdo adicional será lançado na terça-feira (25) para PC e Mac. O videogame de nova geração PlayStation 4, da Sony, também deve receber “Reaper of Souls”, mas a data de lançamento ainda não foi anunciada.

Para quem não joga no computador, a segunda parte da nova história de “BioShock Infinite” deve agradar. “Burial at Sea – Episode Two” leva o jogador de 1912 – ano em que “Infinite” se passa, na cidade flutuante de Columbia – para 1958, na cidade submersa de Rapture, palco dos dois primeiros games da franquia.

A família PlayStation, aliás, está bem servida de lançamentos nesta semana. O megahit indie “Fez”, lançado originalmente para Xbox 360 em 2012, chega ao PlayStation 4. Já o game de luta “BlazBlue: Chrono Phantasma” sai para PS3, enquanto a expansão “Xtreme Legends” do jogo de ação “Dynasty Warriors 8” será lançada para PS3, PS4 e PS Vita.

Veja os games que serão lançados nesta semana:
25/3: “Diablo III: Reaper of Souls” (PC, Mac)
25/3: “BioShock Infinite: Burial at Sea – Episode Two” (PlayStation 3, Xbox 360, PC)
25/3: “Fez” (PlayStation 4)
25/3: “BlazBlue: Chrono Phantasma” (PlayStation 3, PS Vita)
25/3: “Dynasty Warriors 8: Xtreme Legends” (PlayStation 3, PlayStation 4, PS Vita)
25/3: “The Witch and the Hundred Knight” (PlayStation 3)
25/3: “Cut the Rope: Triple Treat” (3DS)
25/3: “Cabela’s Big Game Hunter: Pro Hunts” (PlayStation 3, Xbox 360, PC, Wii U)

View the original article here

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

São Paulo recebe evento de lançamento de expansão de ‘Diablo III’

Cruzado é nova classe de 'Diablo III: Reaper of Souls' (Foto: Reprodução/Blizzard)Cruzado é nova classe de ‘Diablo III: Reaper of
Souls’ (Foto: Reprodução/Blizzard)

“Reaper of Souls”, expansão de “Diablo III” para PC será lançada mundialmente na terça-feira (25) e a escola de arte digital e de desenvolvimento de games Saga, em parceria com a produtora Blizzard, fará um evento de lançamento no domingo (30) na cidade de São Paulo. O evento contará com dublador da nova classe do game, o Cruzado, que tem a voz de Ricardo Juarez, que dublou Johnny Bravo, do desenho animado de mesmo nome.

O evento será realizado em uma das unidades da escola Saga e as inscrições para o evento, embora limitadas, são gratuitas e podem ser feitas o site oficial do evento (acesse aqui). Haverá 90 computadores com “Reaper of Souls” para que os visitantes possam testar a expansão e competições.

Ao lado de Juarez estará Gustavo Nader, diretor de dublagem dos jogos Blizzard, e Elton Mesquita, tradutor dos romances baseados nos jogos Blizzard, incluindo “Diablo III: A Ordem” e “Diablo III: Livro de Cain”. A equipe da Blizzard também estará no evento para atender aos fãs.

O evento também terá o lançamento do “Guia de Estratégia Diablo III: Reaper of Souls”, da Editora Europa, disponível a R$ 10 no evento. O preço normal do guia será de R$ 30.

Serviço
O que é: evento de lançamento de “Diablo III: Reaper of Souls”;
Quando: 30 de março, das 11 às 19 horas;
Onde: Saga – Unidade Games – Av. Santo Amaro, 6277 – São Paulo, SP – Telefone: (11) 3798.2893;
Inscrições: gratuitas, porém limitadas.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Estudo sobre Big Bang confirma expansão cósmica, diz Hawking

O cientista britânico Stephen Hawking disse nesta terça-feira (18) que a detecção das ondas gravitacionais geradas depois da criação do Universo pelo Big Bang é “outra confirmação da expansão” cósmica, teoria elaborada há mais de 30 anos.

Em declaração à Rádio 4 da “BBC”, o cientista da universidade inglesa de Cambridge lembrou que a “expansão” foi concebida pela primeira vez pelo cosmólogo Alan Guth, que argumentou que na criação do Universo houve um período de “aceleração”, um crescimento ultrarrápido.

Hawking lembrou que em 1982 convidou cientistas que estudavam a teoria para participar de uma “oficina de trabalho” na Universidade de Cambridge, onde concluíram que era válida a ideia da “expansão” no começo do Universo, o que só foi confirmado através de observação dez anos depois de sua proposição.

Em suas declarações, Hawking ressaltou que a expansão pode gerar ondas gravitacionais, algo que foi confirmado ontem por cientistas da Universidade americana de Harvard.

 Um conjunto especializado de detectores supercondutores é usado pelo telescópio Bicep2, no Polo Sul, para capturar luz de bilhões de anos atrás (Foto: Reuters/Nasa/JPL-Caltech) Um conjunto especializado de detectores
supercondutores é usado pelo telescópio Bicep2, no
Polo Sul, para capturar luz de bilhões de anos atrás
(Foto: Reuters/Nasa/JPL-Caltech)

Detecção de ondas
O Centro Harvard-Smithsonian para a Astrofísica de Massachusetts (EUA) revelou ter detectado pela primeira vez por meio do telescópio BICEP2, instalado no Polo Sul, as ondas gravitacionais primordiais geradas após o Big Bang.

A equipe dirigida por John Kovac conseguiu perceber pela primeira vez, em um pequeno pedaço do céu, essas ondas gravitacionais, consideradas o ‘Santo Graal’ da cosmologia por comprovarem diversas teorias.

Sempre interessado no futuro do universo, Hawking acredita que a espécie humana “enfrentará uma extinção iminente” se não puder conquistar “novos mundos espalhados pelo cosmos”.

Em entrevista ao programa “Planet”, Hawking estimou que haverá assentamentos humanos na lua dentro de 50 anos e que, nessa época, o homem estará a caminho de pisar em Marte. No planeta vermelho, segundo suas teorias, não será possível viver até 2100.

“Nosso planeta é um velho mundo, ameaçado com uma população cada vez maior e com recursos finitos. Devemos antecipar essas ameaças e ter um plano B”, declarou Hawking. “Se a espécie humana quer sobreviver além dos próximos cem anos, é preciso que atravesse a escuridão do espaço para colonizar novos mundos pelo cosmos”, acrescentou.

Nesta foto de 2007 o sol se põe por trás do telescópio BICEP2 na Antártida (Foto: Steffen Richter/AP)Nesta foto de 2007 o sol se põe por trás do telescópio BICEP2 na Antártida (Foto: Steffen Richter/AP)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Nova expansão de ‘World of Warcraft’ chega ao Brasil no 3º trimestre

'Warlords of Draenor' é a quinta expansão de 'World of Warcraft' e chega em 2014 (Foto: Divulgação/Blizzard)‘Warlords of Draenor’ é a quinta expansão de
‘World of Warcraft’ e chega em 2014
(Foto: Divulgação/Blizzard)

A nova expansão do game de RPG on-line massivo (MMORPG) “World of Warcraft”, chamada “Warlords of Draenor” chegará ao Brasil na primavera, ou seja, no terceiro trimestre de 2014, revelou a produtora Blizzard.

A partir desta segunda-feira (10), o pacote adicional entra em pré-venda no país por R$ 100 (versão standard) e R$ 150 (versão digital de luxo).

Os compradores da quinta expansão do MMO na pré-venda já poderão expandir o nível de um de seus personagens para 90 logo após a compra. O game será traduzido para o português.

Haverá uma edição de colecionador de “Warlords of Draenor”, mas o preço não foi revelado pela empresa. Ela terá os mesmo itens-bônus da edição Digital Deluxe, além de um livro de arte de capa-dura, um conjunto Blu-Ray/DVD com os bastidores da criação do jogo, CD da trilha sonora e um mousepad “Warlords of Draenor”.

Além de poder expandir o nível dos personagens para acima de 90 (o limite é de 100), a expansão trará um novo território, Draenor, lar das raças orc e draenei, para explorar; a construção de uma guarnição que pode ser liderada para conseguir vantagens nos confrontos; e há um novo modelo dos personagens do game, uma evolução necessária para o jogo que completa 10 anos em 2014.

A versão digital de luxo dá itens para outros jogos da Blizzard: há novas montarias para “World of Warcraft”, retratos dos Senhores da Guerra para “StarCraft II” e a bandeira “Pendão do Brado Guerreiro” para “Diablo III”.

A pré-venda do game está disponível no site oficial da empresa (clique aqui para acessar).

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 11 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Alucard será protagonista de primeira expansão de ‘Lords of Shadow 2’

Alucard, filho de Drácula, será protagonista de expansão de 'Castlevania: Lords of Shadow 2' (Foto: Divulgação/Konami)Alucard, filho de Drácula, será protagonista de expansão de ‘Castlevania: Lords of Shadow 2’ (Foto: Divulgação/Konami)

A Konami confirmou que Alucard, filho de Drácula nos games da série “Castlevania”, será o protagonista da primeira expansão de “Lords of Shadow 2”, que será lançada no dia 25. Chamada “Revelations”, a nova aventura se passa antes dos acontecimentos do jogo e explica a relação de Alucard com seu pai.

“Castlevania: Lords of Shadow 2” conclui a história de Gabriel Belmont, herói do primeiro game agora transformado em Drácula. O game se passa em um mundo aberto, o que permite um maior nível de exploração, e tem um sistema inédito de armas.

De acordo com o site da revista “GameInformer”, Alucard terá suas próprias habilidades e poderá se transformar em lobo, morcego e até voltar no tempo.

O game foi lançado em 25 de fevereiro para PlayStation 3, Xbox 360 e PC. O Brasil deve receber “Castlevania: Lords of Shadow 2” com legendas em português na quarta-feira (12).

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 11 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Vídeo mostra alienígena gigante de expansão de ‘Call of Duty: Ghosts’

“Onslaught”, primeiro pacote de expansão do game de tiro em primeira pessoa “Call of Duty: Ghosts”, ganhou um vídeo com cenas do seu novo capítulo do modo de jogo “Extinção”. Assista ao lado.

Chamado de “Nightfall”, o mapa incube o jogador de sobreviver em meio a uma infestação alienígena em um centro de pesquisas no Alaska. O vídeo mostra a nova arma do jogo e também o inimigo inédito, um alienígena gigante que surge do chão e tem o tamanho de um prédio.

O primeiro pacote de expansão de “Ghosts” terá, além de “Nightfall”, quatro mapas para o modo competitivo de partidas on-line. Jogadores que compraram o passe de temporada de “Call of Duty: Ghosts”, que custa R$ 100, não precisarão pagar pelo DLC.

“Onslaught” será lançado por download primeiro para as plataformas Xbox (Xbox One e Xbox 360), no dia 28 de janeiro. PlayStation 3, PS4, PC e Wii U receberão o extra posteriormente.

View the original article here

 
1 comentário

Publicado por em 28 de janeiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Pesquisadores alertam para expansão de transgênicos e agrotóxicos no Brasil

Agricultor em plantação no interior do Brasil (Foto: AFP)Agricultor em plantação no interior do Brasil (Foto: AFP)

O pedido para a liberação de sementes transgênicas de soja e milho resistentes ao herbicida 2,4-D esquentou o debate sobre a regulamentação de plantas geneticamente modificadas e agrotóxicos na agricultura brasileira.

Pesquisadores e o Ministério Público Federal (MPF) solicitaram em dezembro à Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), encarregada de analisar pedidos de vendas de transgênicos, que suspendesse os trâmites para a autorização das sementes tolerantes ao 2,4-D, um herbicida usado contra ervas daninhas que consideram nocivo à saúde.

Eles dizem que a liberação desses transgênicos poderá multiplicar de forma preocupante o uso do 2,4-D no Brasil.

Paralelamente, cobram maior rigor dos órgãos reguladores na liberação tanto de agrotóxicos quanto de transgênicos e alertam para a associação entre esses dois produtos no país.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, o Brasil é hoje o maior consumidor global de agrotóxicos. O mercado brasileiro de transgênicos também é um dos maiores do mundo. De acordo com a consultoria Céleres, quase todo o milho e a soja plantados no país hoje são geneticamente modificados.

Especialistas ouvidos pela BBC Brasil dizem que a expansão dos transgênicos estimulou o mercado de agrotóxicos no país, já que grande parte das sementes geneticamente alteradas tem como principal diferencial a resistência a venenos agrícolas. Se por um lado essa característica permite maior controle de pragas, por outro, impõe riscos aos consumidores, segundo os pesquisadores.

Agente laranja
No centro do debate, o herbicida 2,4-D é hoje vendido livremente no Brasil e utilizado para limpar terrenos antes do cultivo.

Pesquisadores dizem que estudos associaram o produto a mutações genéticas, distúrbios hormonais e câncer, entre outros problemas ambientais e de saúde. O 2,4-D é um dos componentes do agente laranja, usado como desfolhante pelos Estados Unidos na Guerra do Vietnã.

O MPF pediu à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que acelere seus estudos de reavaliação da licença comercial do 2,4-D. O órgão quer que o resultado da reavaliação da Anvisa, iniciada em 2006, embase a decisão da CTNBio sobre os transgênicos resistentes ao produto.

Já a Dow AgroSciences, que fabrica o agrotóxico e é uma das empresas que buscam a liberação dos transgênicos associados a ele, diz que os produtos são seguros. Em nota à BBC Brasil, a empresa afirma que ‘o 2,4-D é um herbicida que está no mercado há mais de 60 anos, aprovado em mais de 70 países’.

O herbicida teve o uso aprovado em reavaliações recentes no Canadá e nos Estados Unidos. Segundo a Dow, trata-se de uma das moléculas mais estudadas de todos os tempos, gerada após mais de uma década de pesquisa e com base nas normas internacionais de segurança alimentar e ambiental.

Agrotóxicos combinados
O pedido para a liberação das sementes resistentes ao 2,4-D reflete uma prática comum no mercado de transgênicos: a produção de variedades tolerantes a agrotóxicos. Geralmente, assim como a Dow, as empresas que vendem esses transgênicos também comercializam os produtos aos quais são resistentes.

‘É uma falácia dizer que os transgênicos reduzem o uso de agrotóxicos’, afirma Karen Friedrich, pesquisadora e toxicologista da Fiocruz.

Friedrich cita como exemplo a liberação de soja transgênica resistente ao agrotóxico glifosato, que teria sido acompanhada pelo aumento exponencial do uso do produto nas lavouras.

Caso também sejam liberadas as sementes resistentes ao 2,4-D, ela estima que haverá um aumento de 30 vezes no consumo do produto.

Segundo a pesquisadora, o 2,4-D pode provocar dois tipos de efeitos nocivos: agudos, que geralmente acometem trabalhadores ou pessoas expostas diretamente à substância, causando enjôo, dor de cabeça ou até a morte; e crônicos, que podem se manifestar entre consumidores muitos anos após a exposição a doses pequenas do produto, por meio de alterações hormonais ou cânceres.

O médico e professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Wanderlei Pignati, que pesquisa os efeitos de agrotóxicos há dez anos, cita outra preocupação em relação aos produtos: o uso associado de diferentes substâncias numa mesma plantação.

Ele diz que, embora o registro de um agrotóxico se baseie nos efeitos de seu uso isolado, muitos agricultores aplicam vários agrotóxicos numa mesma plantação, potencializando os riscos.

Pignati participou de um estudo que monitorou a exposição a agrotóxicos pela população de Lucas do Rio Verde, município mato-grossense que tem uma das maiores produções agrícolas do Brasil.

A pesquisa, diz o professor, detectou uma série de problemas, entre os quais: desrespeito dos limites mínimos de distância da aplicação de agrotóxicos a fontes de água, animais e residências; contaminação com resíduos de agrotóxico em todas as 62 das amostras de leite materno colhidas na cidade; e incidência 50% maior de acidentes de trabalho, intoxicações, cânceres, malformação e agravos respiratórios no município em relação à média estadual nos últimos dez anos.

O pesquisador defende que o governo federal invista mais no desenvolvimento de tecnologias que possam substituir os agrotóxicos – como o combate de pragas por aves e roedores em sistemas agroflorestais, que combinam a agricultura com a preservação de matas.

Já a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA) diz que os agrotóxicos (que chama de produtos fitossanitários) são imprescindíveis para proteger a agricultura tropical de pragas e ervas daninhas, assim como para aumentar a produtividade das lavouras.

Cabo de guerra
Pesquisadores e o MPF também querem maior rigor dos órgãos que analisam pedidos de liberação de agrotóxicos e transgênicos.

A liberação de agrotóxicos exige aprovação da Anvisa (que analisa efeitos do produto na saúde), do Ibama (mede danos ao ambiente) e do Ministério da Agricultura (avalia a eficiência das substâncias).

Cobrada de um lado por pesquisadores e médicos, a Anvisa é pressionada do outro por políticos ruralistas e fabricantes de agrotóxicos, que querem maior agilidade nas análises.

Ana Maria Vekic, gerente-geral de toxicologia da Anvisa, diz que há várias empresas, entre as quais chinesas e indianas, à espera de entrar no mercado brasileiro de agrotóxicos.

Ela diz que a falta de profissionais na Anvisa dificulta as tarefas da agência. A irritação dos ruralistas tem ainda outro motivo: a decisão da agência de reavaliar as licenças de alguns produtos.

As reavaliações, explica Vekic, ocorrem quando novos estudos indicam riscos ligados aos agrotóxicos – alguns dos quais são vendidos no Brasil há décadas, antes da criação da Anvisa, em 1999.

‘Quando começamos a rediscutir produtos, passamos a ser um calo para os ruralistas’, ela diz à BBC Brasil.

Instatisfeitos, os representantes do agronegócio têm tentado aprovar leis que reduzem os poderes da Anvisa na regulamentação de agrotóxicos.

‘Fazemos o possível para nos blindar, mas a pressão é violenta’, diz Vekic.

Questionada sobre a polêmica em torno do 2,4-D, a CTNBio disse em nota que voltaria a discutir o assunto em fevereiro.

Segundo a comissão, o plantio de transgênicos não impede a produção de orgânicos ou de outras variedades de plantas.

A CTNBio disse ainda que não lhe compete avaliar os riscos de agrotóxicos associados a transgênicos, e sim a segurança dos Organismos Geneticamente Modificados.

Fonte G1

 
1 comentário

Publicado por em 11 de janeiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,