RSS

Arquivo da tag: escapar

‘Carona’ a salmões ajuda espécie a escapar de seca intensa nos EUA

A seca intensa que atinge a Califórnia obrigou pescadores e governo a montar uma operação para retirar 100 mil salmões de rios do estado e levá-los ao Oceano Pacífico com a ajuda de caminhões e barcos (Foto: Jim Wilson/The New York Times)A seca intensa que atinge a Califórnia obrigou pescadores e governo a montar uma operação para retirar 100 mil salmões de rios do estado e levá-los ao Oceano Pacífico com a ajuda de caminhões e barcos (Foto: Jim Wilson/The New York Times)

A seca recorde que atinge o estado norte-americano da Califórnia tem forçado as cidades a racionar água e os agricultores a vender o gado.

Mas também ameaça milhões de salmões que vivem na região, que não encontram fluxos suficientes de água nos rios para seguir o caminho rumo ao Oceano Pacífico.

Por isso, pescadores e governo estão “dando carona” a 100 mil peixes desta espécie com a ajuda de barcos e caminhões equipados com tanques de água. De acordo com o jornal “The New York Times”, a ação vai permitir que esses peixes cheguem ao mar, cresçam e, em três anos, quando atingirem a maturidade sexual, retornem à água doce para reprodução.

As consequências da pior seca já registrada em um século na Califórnia obrigaram as autoridades, em janeiro deste ano, a declarar situação de emergência, o que permite solicitar acesso à ajuda federal.

Operação feita em 8 de abril retirou salmões do Rio Sacramento e os colocou em um barco, com um tanque instalado, com destino ao Oceano Pacífico (Foto: Jim Watson/AFP)Operação feita em 8 de abril retirou salmões do Rio Sacramento e os colocou em um barco, com um tanque instalado, com destino ao Oceano Pacífico (Foto: Jim Watson/AFP)Objetivo da operação é ajudar no desenvolvimento desses peixes, que precisam alcançar o mar para atingir a maturidade sexual. (Foto: Jim Wilson/The New York Times)Objetivo da operação é ajudar no desenvolvimento desses peixes, que precisam alcançar o mar para atingir a maturidade sexual. (Foto: Jim Wilson/The New York Times)

View the original article here

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Turcos gays passam por humilhação para escapar do Exército

Parada do orgulho gay em Istambul foi algo inédito entre países muçulmanos (Foto: BBC)Parada do orgulho gay em Istambul foi algo inédito
entre países muçulmanos (Foto: BBC)

O serviço militar é obrigatório na Turquia para homens com mais de 20 anos, mas é possível escapar caso eles apresentem provas de algum tipo de doença, deficiência ou provem que são homossexuais.

No entanto, para provar a homossexualidade é preciso passar por uma situação humilhante.

‘Eles me perguntaram quando tive a primeira relação anal, (se pratico) sexo oral e com que tipo de brinquedos eu brincava quando era criança’, disse Ahmet, um jovem de cerca de 20 anos.

Na primeira oportunidade depois que foi convocado, durante os exames de saúde, Ahmet disse aos militares que era gay.

‘Eles me perguntaram se eu gostava de futebol, se eu usava roupas ou perfume de mulheres’, disse. ‘Eu estava com a barba por fazer há alguns dias e sou um gay mais masculino. Eles me falaram que eu não parecia um homem gay normal.’

Os militares pediram que Ahmet fornecesse uma foto em que aparecesse vestido de mulher.

‘Recusei este pedido. Mas fiz outra oferta, que eles aceitaram’, disse o jovem que deu aos militares uma foto dele beijando outro homem.

‘Certificado rosa’
Ahmet espera que esta foto garanta o fornecimento do chamado ‘certificado rosa’: este documento declara que um homem é homossexual e, por isso, isento do serviço militar.

Nos últimos anos, os homossexuais ganharam mais visibilidade na cidades maiores da Turquia. Cafés e casas noturnas com clientes abertamente gays foram inauguradas em Istambul e, no ano passado, ocorreu uma parada do orgulho gay, algo único no mundo muçulmano.

Mas, apesar de não haver leis específicas contra os homossexuais na Turquia, gays assumidos não são bem-vindos no Exército. E, ao mesmo tempo, eles precisam ‘provar’ que são homossexuais para evitar o serviço militar.

Gokhan, convocado no final da década de 1990, percebeu rapidamente que ele não tinha vocação para permanecer no Exército. ‘Tinha medo de armas’, disse.

E sendo gay, ele também temia sofrer bullying. Depois de um pouco mais de uma semana, ele declarou sua orientação sexual ao comandante.

‘Eles me perguntaram se eu tinha alguma fotografia. E eu tinha’, afirmou Gokham.

Ele tinha se preparado com fotos explícitas que mostravam ele mantendo relações sexuais com outro homem. Isto foi necessário pois Gokham tinha ouvido que seria impossível sair do serviço militar sem as fotos.

‘O rosto deve estar visível. E as fotos devem mostrar você como o passivo’, disse.

Os militares aceitaram a foto, Gokham recebeu o certificado rosa e foi isento do serviço militar. Mas ele lembra que a experiência foi terrível.

‘E ainda é terrível. Pois alguém fica com estas fotografias. Eles podem mostrá-las no meu vilarejo, para os meus pais, meus familiares.’

Teste de personalidade
Homossexuais da Turquia afirmam que a natureza das provas exigidas depende da vontade do médico militar ou do comandante. Em algumas vezes, em vez de fotografias, os médicos fazem um ‘teste de personalidade’.

O Exército turco recusou os pedidos de entrevista da BBC, mas um general aposentado, Amagan Kuloglu, aceitou comentar estas regras.

Segundo o general, gays assumidos no Exército causariam ‘problemas disciplinares’ e seria pouco prático criar ‘instalações separadas, dormitórios separados, chuveiros, áreas de treinamento’.

Kuloglu afirma que, se um homem gay mantiver a sexualidade em segredo, ele poderá servir, algo semelhante à política dos militares americanos em vigor até 2011, a chamada política do ‘não pergunte, não conte’ (don’t ask, don’t tell, em inglês).

‘Mas, quando alguém se revela gay, então o Exército precisa ter certeza de que ele realmente é gay e não está simplesmente mentindo para escapar do dever de servir aos militares’, afirmou.

O estigma social associado à homossexualidade na Turquia é grande. Fora das grandes cidades como Istambul e Ancara, é difícil imaginar um homem declarando que é gay quando na verdade ele não é.

No entanto, esta possibilidade ainda gera ansiedade entre os militares.

‘Os médicos estão sendo muito pressionados pelos comandantes para diagnosticarem a homossexualidade, e eles obedecem mesmo que não existam ferramentas de diagnóstico para determinar orientação sexual’, disse um psiquiatra que trabalhava em um hospital militar. ‘É impossível, em termos médicos, e não é ético.’

‘Distúrbio psicossexual’
No certificado rosa de Gokham consta ‘distúrbio psicossexual’ e, perto destas palavras, entre parênteses, ‘homossexualidade’.

Os hospitais militares da Turquia ainda definem a homossexualidade como uma doença, usando uma versão de 1968 de um documento da Associação Americana de Psiquiatria como guia.

Algumas pessoas na Turquia afirmam que os gays do país na verdade têm sorte, pois pelo menos eles conseguem escapar do serviço militar. Não precisam passar meses nos quartéis ou enfrentar a possibilidade de serem enviados para lutar contra militantes curdos.

Mas, para os gays assumidos do país, a vida está longe de ser fácil.

Não é raro que empregadores do país perguntem aos candidatos a um emprego sobre o serviço militar e um certificado rosa pode significar rejeição.

Um dos empregadores de Gokham descobriu sobre sua sexualidade sem perguntar a ele. O empregador perguntou diretamente ao Exército.

Depois disso, Gokham sofreu bullying, os colegas faziam comentários quando ele passava, outros se recusavam a conversar com ele.

‘Mas não tenho vergonha. Não é uma vergonha minha’, disse.

O caso de Ahmet ainda não foi resolvido. O Exército adiou por outro ano a decisão sobre o certificado rosa.

Ahmet acredita que isto está acontecendo porque ele se recusou a aparecer para os militares usando roupas de mulher e ele não sabe o que vai acontecer quando comparecer frente aos militares de novo.

Ele afirma que não poderia simplesmente cumprir o serviço militar e manter sua sexualidade em segredo.

‘Sou contra todo o sistema militar. Se tenho que cumprir com algum dever para esta nação, eles deveriam me dar uma escolha não militar’, disse.

No Brasil, não há nenhuma lei que estabeleça que homossexuais não possam prestar o serviço militar.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Canadense grita histericamente ao escapar de acidente e vira hit na web

Um motorista que escapou por pouco de acidente grave em Ontario, no Canadá, virou sensação na web devido aos seus “gritos histéricos” enquanto passava muito perto de um caminhão que vinha na contramão (veja o vídeo).

Homem gritou histericamente ao escapar de acidente no Canadá e vídeo 'bombou' na web (Foto: Reprodução/YouTube/clginter)Homem gritou histericamente ao escapar de acidente no Canadá e vídeo ‘bombou’ na web (Foto: Reprodução/YouTube/clginter)

Enquanto trafegava na rodovia “Ontario 11” com o carro carregado, o motorista de um caminhão na faixa contrária tentou ultrapassar outro veículo que retirava a neve da via. Assim que vê a possibilidade de colisão, o homem dirige em direção ao guard rail e passa bem perto do caminhão, soltando gritos de terror.

De acordo com informações do vídeo, que teria sido postado pela esposa do condutor, o homem não se feriu, e agora procura ajuda para identificar o motorista imprudente do caminhão.

A gravação foi muito compartilhada pelos usuários e assistida mais de 1,5 milhão de vezes.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 6 de fevereiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Australiano ‘brincalhão’ leva susto ao escapar de tubarão-tigre de 3 m

O canal australiano “Madhueys”, que conta com um grupo de amigos que gosta de pesca e surfe, publicou um vídeo no YouTube que flagra um dos integrantes escapando por muito pouco de um tubarão tigre de mais de 3 m de comprimento, que apareceu na água na região de Gold Coast (veja o vídeo).

Homem parece não acreditar que passou ao lado de tubarão tigre de 3 m de comprimento (Foto: Reprodução/YouTube/TheMadhueys)Homem parece não acreditar que passou ao lado de tubarão tigre de 3 m de comprimento (Foto: Reprodução/YouTube/TheMadhueys)

Enquanto um dos homens brinca com uma gaiola de pássaro na água, em uma referência à técnica usada quando mergulhadores ficam dentro de jaulas para observar tubarões, o animal feroz passa muito perto, e vai de encontro ao barco. O homem, em pânico, pede para ser retirado da água.

Depois do susto e já na embarcação, o australiano parece não acreditar que passou tão perto do perigo. “Você tá brincando comigo, cara?”, exclama o homem.

A gravação foi bastante compartilhada e foi assistida mais de 174 mil vezes em menos de um dia.

View the original article here

 
1 comentário

Publicado por em 16 de janeiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

‘Atirador disparou 2 vezes contra mim’, diz homem que ajudou grupo a escapar

Satpal Singh ajudou grupo a escapar e resgatou feridos (Foto: AP)Satpal Singh ajudou grupo a escapar e resgatou
feridos (Foto: AP)

Satpal Singh estava dentro do shopping Westgate na capital queniana, Nairóbi, quando homens armados abriram fogo.

Ele conta em detalhes como ajudou um grupo de pessoas a se esconder e depois escapar e por que decidiu voltar ao prédio para resgatar feridos mesmo tendo sido alvejado pelos atiradores:

‘Eu estava no segundo piso do shopping para uma reunião de negócios. Lá também ficava o café Java, onde as crianças participavam de uma competição de culinária, no estacionamento.

Por volta das 12h25 ouvimos tiros e estrondos vindo de baixo, perto da entrada principal. Então olhei (pelo estacionamento) para ver o que estava acontecendo.

Eu vi pessoas correndo em todas as direções, tiros sendo disparados para todos os lados e pessoas caindo no chão. Ninguém descia. Todo mundo só queria fugir daquele lugar.

Eu corri para baixo e, ao chegar ao primeiro andar, encontrei um policial armado. Disse para descermos para ver o que estava acontecendo e ver o que a gente podia fazer.

Cara a cara
Para a minha surpresa, ele não veio comigo. Então eu fui sozinho até a joalheria perto da entrada. Vi um homem caído no chão e outro na escada, sangrando.

Quando fui ajudá-lo, um somali veio correndo na minha direção. Ele disparou duas vezes. Ele vestia uma camisa branca e carregava uma bolsa enorme no ombro direito. E não estava mascarado, então estive cara a cara com ele.

Não sei como não me acertou. Ele carregava uma arma grande, parecia um AK-47, eu acho.

Eu voltei ao segundo andar e levei todo mundo para a entrada do cinema. Pedi aos seguranças para baixarem as persianas. Foi quando ouvimos os tiros de mais perto e fomos para a bilheteria e ficamos abaixados.

Dois homens começaram a atirar. Apesar de as persianas estarem abaixadas, as janelas eram de vidro, então pedimos aos seguranças que nos levassem para a saída de emergência mais próxima.

Café Java
A saída de emergência nos levou até o terraço do shopping e usamos materiais de construção, como botijões de gás e tijolos para trancar a porta.

Acho que éramos 40 pessoas lá em cima, entre grávidas, crianças e pessoas de várias origens.

Após 45 minutos, olhamos para o estacionamento, onde tinha ocorrido a competição, e vimos crianças baleadas e pessoas sendo levadas em segurança para a saída de emergência do Café Java.

Foi quando fomos até uma saída de emergência no terraço que passava pelo Café Java, no andar de baixo. Fomos descendo até chegar ao subsolo, onde as entregas são feitas.

Podíamos ouvir tiros e explosões, então assim que chegamos levamos as pessoas para os portões que davam na rua para que fugissem rápido.

Um ex-soldado britânico então me disse que havia feridos no segundo andar. Eu e outros homens decidimos voltar e carregamos no ombro mulheres e crianças feridas pela saída de emergência (até chegar ao subsolo).

Nesta hora eu só pensava que tinha de ajudar as pessoas e não me importava mais com o que poderia acontecer comigo. Só pensava em tentar controlar a situação e fazer o que fosse preciso para salvar as pessoas.’

Vítimas
Cidadãos de ao menos 12 nacionalidades morreram no ataque ao shopping Westgate, que supostamente chegou ao fim na segunda-feira após dois dias de enfrentamentos entre forças do governo e guerrilheiros do grupo militante islâmico somali Al-Shabab.

Entre as vítimas está o poeta Kofi Awoonor, que foi Embaixador de Gana para o Brasil e para Cuba nos anos 1980 e representante de seu país junto às Nações Unidas entre 1990 e 1994.

O casal Ross Langdon e Elif Yavuz também morreram. Ele, de nacionalidade britânica e australiana, era arquiteto e trabalhava no leste da África em projetos de arquitetura sustentável. Ela, holandesa e grávida de oito meses, era especialista em malária e trabalhava para a Bill e Melinda Gates Foundation.

O presidente queniano, Uhuru Kenyatta, teve seu sobrinho e a noiva deste mortos no tiroteio. Entre as vítimas também estava Ruhila Adatia-Sood, uma apresentadora de rádio e TV bastante popular no Quênia. Ela era uma das apresentadores da competição infantil no estacionamento do segundo piso quando foi alvejada pelos atiradores.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , , , , ,

Câmeras nos EUA flagram guaxinim tentando escapar de ataque de jacaré

Câmeras de monitoramento (ativadas por sensores de movimento) flagraram um guaxinim tentando escapar de um ataque de um aligátor (jacaré americano) em um parque no sudoeste do estado da Flórida (EUA).

Câmeras de monitoramento flagraram um guaxinim tentando escapar de um ataque de um aligátor (Foto: Reprodução/Facebook/Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)Foto dois: câmeras de monitoramento flagraram o guaxinim tentando escapar do ataque do aligátor (Foto: Reprodução/Facebook/Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)

As imagens divulgadas pela Comissão para a Pesca e Fauna Selvagem da Flórida (FWC) mostram o guaxinim sobre uma tampa de madeira quando o réptil ataca.

Na primeira foto, Guaxinim estava sobre uma tampa de madeira antes de o réptil atacar (Foto: Reprodução/Facebook/Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)Na primeira foto, guaxinim estava sobre uma tampa de madeira antes de o réptil atacar (Foto: Reprodução/Facebook/Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)

No entanto a terceira e quarta imagens não mostram mais o guaxinim, deixando em dúvida se ele conseguiu fugir ou virou comida do réptil.

Cena foi registrada em parque no sudoeste do estado da Flórida (EUA) (Foto: Reprodução/Facebook/Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)Cena foi registrada em parque no sudoeste do estado da Flórida (EUA) (Foto: Reprodução/Facebook/Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)Outras duas fotos tiradas pela câmeras levantam dúvidas se o guaxinim escapou (Foto: Reprodução/Facebook/Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)Outras duas fotos tiradas pelas câmeras levantam dúvidas se o guaxinim escapou (Foto: Reprodução/Facebook/Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 23 de agosto de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , , ,