RSS

Arquivo da tag: entregue

Grupos humanitários questionam eficácia de ajuda entregue à Síria

AppId is over the quota
AppId is over the quota

Sete semanas depois de caminhões de ajuda humanitária da ONU atravessarem a fronteira da Turquia para a Síria pela primeira vez, trabalhadores e autoridades de ajuda humanitária lotados no centro turco de ajuda ainda não sabem onde os suprimentos foram parar.

O comboio de 78 caminhões com comida, leitos e remédios destinados sobretudo à província curda de Hasakah foi considerado um teste da boa vontade das autoridades sírias e dos rebeldes em atender a uma resolução da ONU que exige a permissão de passagem da ajuda humanitária nas linhas de frente do conflito e fronteiras, nas rotas mais diretas aos necessitados.

Mas nenhuma lista de distribuição foi entregue relacionada a essa ou qualquer outra remessa da ONU desde a resolução, dizem os funcionário de ajuda humanitária em Gaziantep, perto da fronteira turca, o que dificulta os esforços de uma série de entidades que tentam coordenar uma resposta à pior crise humanitária do mundo.

“Ainda não sabemos para onde foi o comboio e não nos sentimos confortáveis com isso. A ONU está refém do regime (sírio)”, disse uma autoridade turca, sob condição de anonimato, já que seu governo ainda não se posicionou publicamente sobre o assunto.

De acordo com o estipulado pelo governo sírio, a entrega foi repassada a agência sírias parceiras, incluindo o Crescente Vermelho Árabe sírio.

Funcionários da ONU chegam à cidade velha de Homs para entregar ajuda humanitária neste sábado (8) (Foto: AFP)Funcionários da ONU chegam à cidade velha de Homs para entregar ajuda humanitária em fevereiro(Foto: AFP)

A Reuters questionou a ONU em Damasco por informações sobre a distribuição final dos suprimentos em Hasakah, mas ninguém estava disponível para falar sobre o assunto. O Crescente Vermelho Árabe na Síria não pôde ser contatado.

A resolução da ONU, adotada pelo Conselho de Segurança em fevereiro, em uma rara demonstração de unanimidade sobre a Síria, tinha como objetivo impulsionar o acesso da ajuda humanitária e ameaçava tomar “medidas adicionais” se o governo sírio e os rebeldes não atendessem à determinação.

Mas a falta de transparência em torno das entregas da ONU torna o monitoramento difícil, de acordo com organizações não-governamentais (ONGs) internacionais, que escreveram no mês passado a diversos integrantes do Conselho de Segurança da ONU, alertando que a falta de coordenação significava que a ajuda não estava chegando às áreas prioritárias.

“É um dano em dobro, porque não há prestação de contas, transparência e coordenação, e a todo momento Assad se atribui o crédito (pelas entregas de ajuda humanitária) e criminaliza qualquer um que atravesse a fronteira em áreas controladas por rebeldes”, disse o gestor de projetos de uma ONG ocidental que pediu anonimato, sob o temor de prejudicar ainda mais as já frágeis relações com o órgão multilateral.

arte síria versão 15.04 (Foto: Arte/G1)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de maio de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

ONU pede que Vaticano entregue às autoridades envolvidos em abusos

A Organização das Nações Unidas (ONU) pediu nesta quarta-feira (5) que o Vaticano “afaste imediatamente” de seus cargos todos os clérigos responsáveis ou suspeitos de abuso de crianças, e os denuncie às autoridades civis, em um relatório sem precedentes feito sobre pedofilia na Igreja Católica.

O Comitê da ONU para os Direitos da Infância (CRC, na sigla em inglês) disse que a Santa Sé também deve entregar seus arquivos sobre abusos sexuais a dezenas de milhares de crianças para que os culpados e as pessoas ligadas aos crimes possam ser responsabilizados.

“O comitê está gravemente preocupado pelo fato de que a Santa Sé não percebeu a extensão dos crimes cometidos, não tomou as medidas necessárias para lidar com casos de abuso sexual infantil nem para proteger essas crianças, e adotou políticas e práticas que levaram à continuidade dos abusos e à impunidade dos perpetradores [criminosos]”, diz o documento.

O Vaticano disse nesta quarta que enfrenta os casos de pedofilia na Igreja Católica com uma “exigência de transparência”, e a prova disso é que, nos próximos dias ou semanas, irá explicar o funcionamento da comissão criada para preveni-los.

O comitê da ONU acrescentou que a Igreja Católica ainda não tomou as medidas para evitar a repetição de casos como o escândalo das lavanderias da Irlanda, em que meninas foram colocadas arbitrariamente em condições de trabalho forçado, entre 1922 e 1996.

O órgão pediu uma investigação interna sobre o caso e situações semelhantes, para que os responsáveis possam ser processados e uma “compensação total” seja paga às vítimas e às suas famílias.

Uma comissão criada em dezembro de 2013 pelo Papa Francisco deveria investigar todos os casos de abuso sexual infantil, “assim como a conduta da hierarquia católica ao lidar com eles”, aponta o texto da ONU.

Nos últimos anos, integrantes do clero envolvidos em abuso foram transferidos de paróquia a paróquia em seus países, “em uma tentativa de acobertar tais crimes”, acrescenta o relatório.

“A prática da mobilidade dos criminosos, que tem permitido a muitos sacerdotes permanecer em contato com crianças e seguir abusando delas, continua expondo menores de muitos países a um alto risco de sofrer abusos sexuais”, afirma o relatório.

“Devido ao código de silêncio imposto a todos os membros do clero, sob pena de excomunhão [expulsão da Igreja], casos de abuso sexual infantil dificilmente foram relatados às autoridades policiais nos países onde tais crimes ocorreram”, diz o documento.

O Vaticano viola a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança ao não fazer o suficiente para erradicar os casos de pedofilia na Igreja, afirmou também nesta quarta a presidente do comitê.

“A resposta é sim, até agora tem violado a Convenção, porque não tem feito tudo o que deveriam para acabar com este problema”, disse Kirsten Sandberg.

Sessão pública
Em uma sessão pública realizada no mês passado em Genebra, na Suíça, o comitê da ONU pressionou representantes do Vaticano a revelar o alcance dos casos de pedofilia nas últimas décadas dentro da Igreja.

Na ocasião, a delegação da Santa Sé respondeu a perguntas de 18 integrantes de diversas nacionalidades – pela primeira vez desde que o escândalo surgiu, há mais de duas décadas – e negou as acusações de que o Vaticano tenha acobertado os casos. Além disso, declarou que foram criadas diretrizes claras para proteger as crianças.

O Papa Francisco afirmou, à época, que os casos são motivo de “vergonha” para a Igreja.

O embaixador do Vaticano na ONU, monsenhor Silvano Tomasi, à esquerda, fala com o ex-responsável por investiga abusos na Igreja Charles Scicluna, antes do início de seu questionamento (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)O embaixador do Vaticano na ONU, monsenhor Silvano Tomasi, à esquerda, fala com o ex-responsável por investigar abusos na Igreja Charles Scicluna, antes do início dos questionamentos, em 16 de janeiro, na Suíça (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,