RSS

Arquivo da tag: Eleio

Candidato derrotado tenta anular eleição em El Salvador

O candidato derrotado na eleição presidencial de El Salvador pediu na terça-feira (11) ao tribunal eleitoral do país centro-americano que anule a acirrada disputa, ameaçando ir à Suprema Corte se necessário.

Norman Quijano, da direitista Aliança Republicana Nacionalista (Arena), perdeu a eleição para Salvador Sánchez Ceren, da esquerdista Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN) por menos de 7.000 votos, ou 0,22 ponto percentual.

Na terça-feira, cerca de 2.000 partidários de Quijano agitando bandeiras nas cores da Arena – vermelho, branco e azul – fizeram uma passeata até as barreiras que vedam o acesso ao hotel onde acontece a apuração dos votos.

“Não podemos permitir uma fraude tão escancarada”, disse Prudencia Aparicio, de 25 anos, dona de uma loja de doces.

O tribunal está agora comparando as atas das seções eleitorais com os resultados eletrônicos preliminares da noite de domingo, mas sem recontar os votos individualmente.

Na segunda-feira, o tribunal disse que o resultado é “irreversível”, mas Quijano se declarou o verdadeiro vencedor, e um prolongado impasse se prenuncia.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 13 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

‘Crise do arroz’ complica situação na Tailândia e eleição é questionada

Líderes dos manifestantyes tailandeses coordenam marcha por Bangcoc nesta segunda-feira (3) (Foto: Damir Sagolj/Reuters)Manifestações contra o governo continuam na
Tailândia (Foto: Damir Sagolj/Reuters)

Problemas em um programa de aquisição de arroz complicaram na terça-feira (4) a situação política da primeira-ministra tailandesa, Yingluck Shinawatra, enquanto a oposição foi à Justiça tentando anular a conturbada eleição geral do fim de semana.

A crise no programa de aquisição de arroz representa um duro golpe para a primeira-ministra, pois esse foi um importante trunfo na campanha eleitoral que a levou ao governo, em 2011, mas desde então enfrenta denúncias de corrupção e crescentes prejuízos.

O ministro do Comércio disse que a China cancelou uma encomenda de 1,2 milhão de toneladas de arroz por causa de uma investigação de corrupção, e o estatal Krung Thai Bank (KTB) se somou a outros credores que decidiram cortar os financiamentos necessários para salvar a operação.

O programa de aquisição de arroz foi uma das políticas populistas adotadas pelo ex-premiê Thaksin Shinawatra, irmão de Yingluck, que foi deposto em 2006.

Os prejuízos aos contribuintes, estimados em 200 bilhões de bahts (6 bilhões de dólares) por ano, têm alimentado os protestos contra o governo de Yingluck, e problemas no pagamento agora ameaçam causar descontentamento entre os agricultores que constituem a base de apoio da primeira-ministra, no norte e nordeste do país.

Paralelamente, no domingo (2), manifestantes de oposição atrapalharam a votação em um quinto dos distritos eleitorais. Como o pleito não foi concluído, Yingluck permanecerá como primeira-ministra interina, incapaz de tomar decisões políticas, enquanto manifestantes continuam bloqueando parte da capital, como ocorre desde novembro.

Legalidade das eleições
O Partido Democrata, da oposição, boicotou a eleição e nesta terça-feira (4) contestou judicialmente sua legalidade. Ele também tenta colocar o partido Puea Thai, de Yingluck, na ilegalidade, por ter promovido uma eleição sob circunstâncias anormais, já que Bangcoc está sob estado de emergência.

Os manifestantes da oposição – concentrados principalmente em Bangcoc e no sul da Tailândia, as regiões mais ricas – acusam Yingluck de ser um fantoche de Thaksin, e dizem que ela está usando verbas públicas para comprar o apoio de eleitores por meio de programas sociais. O Puea Thai venceu todas as eleições que disputou desde 2001.

As autoridades eleitorais vão se reunir na quarta-feira (5) para discutir as denúncias de irregularidades na eleição de domingo.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Escândalos e desigualdade marcam eleição na Costa Rica

Pessoas fazem fila para votar durante as eleições presidenciais em San Jose, capital da costa Rica, neste domingo (2) (Foto: Juan Carlos Ulate/Reuters)Pessoas fazem fila para votar durante as eleições presidenciais em San José, capital da Costa Rica, neste domingo (2) (Foto: Juan Carlos Ulate/Reuters)

Ressentidos com escândalos de corrupção e aumento da desigualdade, os eleitores da Costa Rica, a segunda maior economia da América Central, vão às urnas neste domingo (2) para eleger o presidente em uma disputa incerta e apertada.

Cerca de 3,1 milhões de eleitores votam para designar o substituto de Laura Chinchilla, a primeira mulher presidente da história da Costa Rica, e eleger os 57 deputados do Congresso, para os próximos quatro anos, em uma jornada que começou às 6h locais (10h de Brasília).

Johny Araya, prefeito da capital San José por mais de duas décadas, tenta, aos 56 anos, levar ao terceiro mandato consecutivo o Partido da Libertação Nacional (PLN), formação social-democrata que deu uma guinada para a direita.

“Estamos certos de que vamos superar este grande desafio de vencer no primeiro turno. O PLN vai recuperar suas raízes social-democratas, sua vocação social”, declarou Araya quando acompanhava a esposa para votar.

Suas aspirações são seriamente ameaçadas, segundo as pesquisas, pelo deputado e ambientalista de 36 anos José María Villalta, da Frente Ampla (FA), que, pela primeira vez, dá à esquerda uma chance de vitória na conservadora Costa Rica. “Temos uma grande oportunidade hoje. Vamos votar em massa”, declarou à imprensa.

Villalta e Araya são seguidos de perto pelo historiador Luis Guillermo Solís, de 55 anos, do Partido Ação Cidadã (PAC, centro), e pelo empresário Otto Guevara, de 53, do Movimento Libertário (ML, direita).

A disputa nos últimos dias de campanha foi para convencer os cerca de 30% de indecisos, o que torna o resultado ainda mais difícil de prever.

Se nenhum dos 13 candidatos alcançar mais de 40 por cento dos votos, como esperado, haverá um segundo turno em abril, pela segunda vez na história da Costa Rica.

O novo governo terá que enfrentar a crescente dívida que totaliza mais de metade do Produto Interno Bruto. “Se eles não fizerem alguma coisa, então essa tendência negativa sobre a dívida poderá continuar e impactar a classificação de risco”, disse Joydeep Mukherji, analista de crédito da Standard & Poor’s.

A agência de classificação de risco Moody’s reduziu a perspectiva de avaliação da Costa Rica de estável para negativa em setembro devido a preocupações fiscais.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Eleição na Tailândia é pacífica, mas crise política permanece

Tailandeses que não conseguiram votar mostram identidades e gritam para policiais em Bangcoc, neste domingo (2) (Foto: Nicolas Asfouri/AFP)Tailandeses que não conseguiram votar mostram identidades e gritam para policiais em Bangcoc, neste domingo (2) (Foto: Nicolas Asfouri/AFP)

A população da Tailândia foi às urnas sob forte esquema de segurança neste domingo (2), em uma eleição que poderá intensificar a turbulência política em um país dividido e deixar o vencedor paralisado durante meses em meio a protestos de rua e complexos desafios legais.

Apesar de alguns incidentes, a votação foi relativamente pacífica, um dia depois de sete pessoas ficarem feridas por tiros e explosões durante um confronto entre partidários e opositores da primeira-ministra, Yingluck Shinawatra, em um reduto do seu partido Puea Thai no norte de Bangcoc.

A votação terminou às 15 horas locais, mas nenhum resultado será anunciado neste domingo. Uma nova votação já está marcada para 23 de fevereiro, devido a problemas na votação com antecedência no último domingo. Além disso, a votação em algumas áreas do sul ainda deve levar algumas semanas.

A votação em 13 das 33 seções eleitorais de Bangcoc foi interrompida. Trinta e sete das 56 seções eleitorais no sul, onde a oposição ao governo também é forte, sofreram interrupções. O processo eleitoral no restante do país não foi afetado.

“A situação geral é calma e não recebemos nenhum relato de violência esta manhã”, disse o chefe do Conselho de Segurança Nacional Paradorn Pattanatabutr à Reuters. “Os manifestantes estão se reunindo pacificamente para mostrar a sua oposição a esta eleição.”

Um funcionário da justiça eleitoral foi morto com três soldados em um ataque a bomba na província de Pattani, mas a polícia afirmou que o incidente está relacionado à insurgência no sul e não às eleições.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Ex-rebelde enfrenta conservador em eleição de El Salvador

Mulher atravessa passarela com propaganda eleitoral de candidato conservador, Norman Quijano (Foto: Henry Romero/Reuters)Mulher atravessa passarela com propaganda eleitoral de candidato conservador, Norman Quijano (Foto: Henry Romero/Reuters)

Um ex-comandante guerrilheiro pretende manter seu partido de esquerda no poder nas eleições presidenciais de El Salvador neste domingo (2), mas enfrenta o forte desafio de um rival de inclinações de direita, que quer usar o exército para combater poderosas gangues de rua.

Salvador Sanchez Cerén, um comandante rebelde que se tornou líder de alto escalão da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional, tinha uma vantagem sólida sobre seu adversário conservador Norman Quijano, que deixou o cargo de prefeito da capital para concorrer à presidência.

Mas com a competição dividida entre três candidatos principais, estima-se que Sanchez Cerén não conseguirá obter os 50 por cento dos votos necessários para vencer no primeiro turno, o que deve levá-lo a enfrentar Quijano novamente em 9 de março.

Sanchez Cerén promete ampliar os programas sociais de combate à pobreza profundamente arraigada que alimentou o crescimento de gangues.

“Nós sabemos que viver em paz é a maior aspiração do povo de El Salvador -segurança e paz- e que eles querem empregos”, disse Sanchez Cerén, 69, em um comício.

Quijano, 67, um ex-dentista que se tornou prefeito de San Salvador, prometeu enviar desempregados de 18 a 30 anos para o exército e sujeitá-los a cortes militares caso cometam crimes.

Outro candidato é Antonio Saca, que foi presidente de 2004 a 2009. Saca ocupa o terceiro lugar na corrida presidencial e está distante dos outros dois competidores em intenções de voto. Contudo, os votos de seus apoiadores podem decidir o vencedor se a eleição for para o segundo turno.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Exército tailandês reforça tropas após alerta de violência em eleição

O Exército da Tailândia informou nesta quinta-feira (30) que vai reforçar a presença de tropas na capital antes da eleição de domingo (2), após o governo ter alertado que pode não conseguir conter a violência se manifestantes contrários ao governo tentarem impedir as pessoas de votar.

Os manifestantes, membros do Comitê Popular para a Reforma Democrática, dizerem que vão impedir a votação como parte da campanha para derrubar a primeira-ministra Yingluck Shinawatra.

A decisão do governo de realizar a eleição no domingo inflamou as tensões na capital Bangcoc, onde os manifestantes bloqueiam cruzamentos importantes e forçaram muitos ministérios a fechar as portas.

“Além dos 5.000 soldados que já destacamos em Bangcoc e arredores para ajudar a monitorar a segurança, vamos aumentar as tropas ao redor dos locais de protesto, uma vez que há pessoas tentando instigar a violência”, disse à Reuters o porta-voz do Exército Winthai Suvaree.

Cerca de 10.000 policiais ficarão responsáveis pela segurança em Bangcoc no dia da votação, e os soldados ficarão de prontidão, acrescentou o porta-voz.

Manifestantes caminham pelas ruas de Bagcoc, na Tailândia, nesta quinta-feira (30). (Foto: Sakchai Lalit/AP)Manifestantes caminham pelas ruas de Bangcoc, na Tailândia, nesta quinta-feira (30). (Foto: Sakchai Lalit/AP)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de janeiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Eleição presidencial da Bolívia será em outubro de 2014

O presidente da Bolívia, Evo Morales, dá entrevista nesta quarta-feira (28) em La Paz (Foto: AFP)O presidente da Bolívia, Evo Morales (Foto: AFP)

As eleições presidenciais da Bolívia serão realizadas em outubro de 2014, com um segundo turno ainda sem data para acontecer, em um processo no qual Evo Morales tentará seu terceiro mandato, informou Tribunal o Supremo Eleitoral (TSE) nesta segunda-feira (23).

“Com base na análise feita por minha autoridade, prevejo que as eleições possam ser em outubro de 2014, e podemos fazer a convocação entre abril e maio desse ano”, afirmou Dina Chuquimia, funcionária do TSE.

Em entrevista coletiva, Chuquimia disse que a posse do novo presidente será em janeiro de 2015, para um período de cinco anos.

O intervalo entre outubro de 2014 e janeiro de 2015 fica reservado para um eventual segundo turno.

Evo Morales ganhou as eleições em dezembro de 2005, com 54% dos votos, e foi reeleito no mesmo mês de 2009, com 64%. Em ambos os pleitos, Morales venceu no primeiro turno, ao obter mais de 50% dos votos.

Pesquisas de diferentes institutos privados mostram uma grande oscilação no apoio da população à terceira candidatura de Morales, variando de 40% a 54%.

Entre os pré-candidatos da oposição, estão o empresário Samuel Doria Medina, o ex-prefeito de La Paz Juan del Granado (centro-esquerda) e o governador da rica região de Santa Cruz, Rubén Costas.

Doria Medina já sugeriu, algumas vezes, que a oposição apresente um único candidato, alegando que será a única maneira de derrotar Morales nas urnas, ou, no mínimo, tirar a maioria absoluta do governo no Congresso.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , ,