RSS

Arquivo da tag: dinheiro

G1 ouviu: ‘Barbie rapper’, Iggy Azalea exalta dinheiro e desdenha do amor

AppId is over the quota
AppId is over the quota
Iggy Azalea (Foto: Divulgação)Iggy Azalea (Foto: Divulgação)

Uma boneca Barbie está entre as 17 coisas com as quais a rapper Iggy Azalea se parece. A cantora também lembra o personagem animado Doug Funnie de peruca loira e até uma cumbuca de sopa de mariscos. A lista de semelhanças feita por um site dos EUA é um dos sinais da atual obsessão dos norte-americanos pela australiana de 23 anos.

Iggy exalta o dinheiro e dispensa romance no LP de estreia, “The new classic”. “Fuck love, give me diamonds” (foda-se o amor, me dê diamantes) é um dos melhores refrãos. O maior hit é “Fancy”. A parceria com Charlie XCX está em 2º lugar na “Billboard”. A revista aposta em “Fancy” como hit do verão (no hemisfério norte). “Problem”, com Ariana Grande, também está em alta, mas não está no CD.

O que põe “Fancy” acima do disco mediano é o refrão matador da parceira. A inglesa, outra revelação pop, dá um alívio de diversão ao falatório egocêntrico. Charlie XCX é a desconhecida mais ouvida da música atual. Além do provável hit do verão deste ano, ela também colaborou com um dos sucessos do ano passado, “I love it”, do Icona Pop.

De ‘popozuda’ a glamourosa
“The new classic” começa morno, com faixas que não justificam a atenção dada à cantora. “Walk the line” e “Don’t need y’all” batem na mesma tecla: “Ninguém me deu bola, e agora que sou ‘hot’, não vou dar moleza”. Algo como o “você não acreditou, nem sequer notou” de “Baba baby”, de Kelly Key.

Parece exagero abrir o álbum declarando vitória, mas o discurso faz sentido. Iggy Azalea saiu da Austrália aos 16 anos para ser rapper nos EUA. Em 2011, teve algum destaque com o single “Pu$$y”, de letra sexualmente explícita, entre outras faixas. A cintura fina e quadril avantajado levaram alguns críticos a tratá-la como só mais uma “popozuda” no concorrido mercado do rap. Iggy se mostrou mais que isso.

Foram três anos entre chamar atenção e lançar o álbum. Ela provou o talento em “Work”, ótimo single de 2013. A faixa resume sua trajetória em narrativa esperta (“Sem família, sem dinheiro, 16 anos no meio de Miami”). Lançar o disco já é uma vitória. Apesar da sensualidade de “Bounce”, ela quer mesmo é parecer vencedora e glamourosa. E, assim como a brasileira Valesca, é do alto da área VIP que vê os detratores.

A “Barbie rapper” não precisa de um Ken ou outro homem para se dar bem na vida. Ela tem boas ideias, apesar de desperdiçar parte delas exaltando as supostas virtudes.

Iggy Azalea no clipe de ‘Bounce’ (Foto: Divulgação)Iggy Azalea no clipe de ‘Bounce’ (Foto: Divulgação)

Romantismo financeiro
Nas poucas vezes em que fala de amor, Iggy Azalea mostra visão peculiar. “Vamos formar uma joint venture, ser parceiros até nossas ações se valorizarem”, propõe em “Change your life”. Em “Fuck love”, o argumento para rejeitar a nova paixão é irrefutável: “Já estou apaixonada por mim mesma”. Ela cita a referência óbvia: “Material girl”, de Madonna.

A autoestima rompe limites em “Goddess”, em que a aspirante a estrela se declara deusa. Pelo menos a faixa mostra mais verve que o início de “The new classic”. É um dos momentos que vale o álbum. Solo saturado de guitarra e tensão crescente à Kanye West sustentam autoelogios.

Azalea volta a derrapar no fim. “Rolex” reforça o romantismo financeiro. A lógica é: “se tempo é dinheiro e você me fez perder tempo, devolva a grana”. Ela faz referência ao fim de namoro com um rapper. O nome do ex é apropriado para a garota que ama cifrões: A$ap Rocky. No encerramento, volta a aludir ao término, com discurso choroso que contradiz o resto do disco.

Controvérsia
“O hip hop é comandado por uma mulher branca, loira e australiana”, disse a revista “Forbes”. A reportagem foi ironizada por Nicki Minaj, atual rapper mais poderosa dos EUA, ameaçada pela estrangeira. Outros fãs e críticos também consideraram o artigo exagerado e racista. A revista mudou a frase. Não é o primeiro nem o último tumulto causado por Iggy Azalea.

Iggy Azalea se apresenta no festival 'The Sound of Change' no estádio Twickenham, em Londres, neste sábado (1º). O show faz parte de uma campanha em defesa da mulher organizada pela Chime for Change, fundada por Salma Hayek, Frida Giannini e Beyoncé. (Foto: REUTERS/Neil Hall)Iggy Azalea se apresenta no festival ‘The Sound of Change’, em Londres (Foto: Reuters /Neil Hall)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 28 de maio de 2014 em Música

 

Tags: , , , , , ,

Conheça números do One Direction: Discos, vídeos e (muito) dinheiro

AppId is over the quota
AppId is over the quota
Os integrantes do One Direction (Foto: Divulgação/T4F)Os integrantes do One Direction (Foto: Divulgação/T4F)

A história do One Direction começou quando Niall Horan, Zayn Malik, Liam Payne, Harry Styles e Louis Tomlinson perderam a sétima edição do programa “The X Factor”, em 2010. Mas foi também ali que ganharam Simon Cowell, criador do programa e dono da gravadora Syco Records, que os contratou imediatamente.

Pouco mais de três anos depois, eles já bateram recorde nas paradas da Billboard, venderam milhões de discos, lotaram estádios de futebol em todos os continentes e estão a caminho de se tornar a primeira boy band a ganhar US$ 1 bilhão. Segundo o site da empresa que os agencia, a Modest Management, o One Direction já vendeu mais de 20 milhões de singles, 11 milhões de álbuns e mais de um milhão de DVDs. Além disso, o documentário “One Direction: This is us” teria arrecadado US$ 67 milhões em bilheterias nos cinemas. Nada mal para uma banda onde o integrante mais velho tem pouco mais de 22 anos.

Nesta quinta (8), o One Direction faz seu primeiro show no Brasil, no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro. No final de semana, se apresenta nos dias 10 e 11 em São Paulo, no Estádio do Morumbi.

Veja abaixo alguns de seus impressionantes números.

Discos

Capa de 'Up all night', do One Direction (Foto: Divulgação)Capa de ‘Up all night’, do One Direction (Foto:
Divulgação)


O One Direction foi a primeira banda na história a ter seus três primeiros discos estreando direto no número 1 da Top 200 da Billboard. “Up all night” foi lançado em novembro de 2011 no Reino Unido e na Irlanda, chegando em março de 2012 aos EUA, onde vendeu 176 mil cópias apenas na primeira semana. O disco chegou ao primeiro lugar nas paradas de 17 países e encerrou 2012 como o terceiro álbum mais vendido do mundo, com 4,5 milhões de cópias.

Capa de 'Take me home', do One Direction (Foto: Divulgação)Capa de ‘Take me home’, do One Direction (Foto:
Divulgação)

“Take me home” foi lançado em novembro de 2012 e, apenas nos Estados Unidos, vendeu 540 mil cópias em sua primeira semana. Chegou ao topo das paradas em 37 países e foi o quarto disco mais vendido do mundo em 2012, com 4,4 milhões de cópias.

Capa de 'Midnight memories', do One Direction (Foto: Divulgação)Capa de ‘Midnight memories’, do One Direction
(Foto: Divulgação)

“Midnight memories” foi lançado em 25 de novembro de 2013, e alcançou a marca de 546 mil cópias em sua primeira semana nos Estados Unidos. Chegou ao primeiro lugar nas paradas de 31 países e, de acordo com a Federação Internacional da Indústria Fonográfica, fechou o ano como o disco mais vendido do mundo, com 4 milhões de cópias.

Turnês

Banner da 'Up all night tour', do One Direction (Foto: Divulgação)Banner da ‘Up all night tour’, do One Direction (Foto: Divulgação)

A “Up all night tour” começou em 18 de dezembro de 2011, em Watford (Inglaterra), e foi encerrada em 1 de julho de 2012, em Fort Lauderdale (EUA). Teve 60 shows, sendo 26 na Europa e 27 na América do Norte, além de passagens pela Austrália e Nova Zelândia.

Banner da 'Take me home tour', do One Direction (Foto: Divulgação)Banner da ‘Take me home tour’, do One Direction (Foto: Divulgação)

A “Take me home tour” começou em 23 de fevereiro de 2013, em Londres (Inglaterra) e acabou em 3 de novembro, em Tóquio (Japão). Seus 128 shows garantiram o décimo lugar na lista de turnês mais lucrativas do ano do site Pollstar, com US$ 114 milhões.

Banner da 'Where we are tour', do One Direction (Foto: Divulgação)Banner da ‘Where we are tour’, do One Direction (Foto: Divulgação)

A “Where we are tour” teve início no dia 25 de abril, em Bogotá (Colômbia) e tem seu encerramento previsto para 5 de outubro, em Miami (EUA). O número de shows ainda não é definitivo, já que a banda anunciou datas extras em vários países. Isso aconteceu, por exemplo, com o Brasil, onde foi marcada uma segunda data em São Paulo.

Vídeos

Cena do clipe de 'What makes you beautiful', do One Direction (Foto: Divulgação)Cena do clipe de ‘What makes you beautiful’, do One Direction (Foto: Divulgação)

O canal oficial do One Direction no Vevo/Youtube, criado em dezembro de 2010, tem pouco mais de 13 milhões de assinantes e chega a 2,795 bilhões de visualizações. O campeão de visualizações é o clipe de “What makes you beautiful”, com 514,352 milhões. O segundo colocado é “One thing”, com 317,481 milhões.

Cena do clipe de 'Best song ever', do One Direction (Foto: Divulgação)Cena do clipe de ‘Best song ever’, do One Direction (Foto: Divulgação)

Os vídeos mencionados acima estão entre os seis com mais de 200 milhões de acessos, seguidos por “Live while we’re young”, “Best song ever”, “Kiss you” e “Story of my life”. Outros três vídeos também já passam dos 100 milhões: “One way or another”, “Little things” e “Gotta be you”.

Redes sociais

Perfis do One Direction no Facebook, Google +, Vevo e Twitter (Foto: Divulgação)Perfis do One Direction no Facebook, Google +, Vevo e Twitter (Foto: Divulgação)

O perfil oficial da banda no Facebook tem 29,5 milhões de curtidas. No Twitter, eles são seguidos por 18,8 milhões de pessoas – e seguem 3,6 mil. O One Direction também tem um perfil no Google +, com 2,7 milhões de seguidores. Além, claro, do já mencionado canal no Vevo/Youtube, com 13 milhões de seguidores.

Dinheiro

Zayn Malik, Niall Horan, Liam Payne, Louis Tomlinson e Harry Styles, do One Direction (Foto: Divulgação/T4F)Zayn Malik, Niall Horan, Liam Payne, Louis Tomlinson e Harry Styles, do One Direction (Foto: Divulgação/T4F)

O site Businessinsider estimou, em agosto de 2013, que o One Direction pode se tornar a primeira boy band a valer US$ 1 bilhão. Considerando uma média de preços de ingressos, o site avalia que as três turnês podem somar mais de US$ 450 milhões. Quanto aos discos, as vendas podem chegar a US$ 300 milhões. A conta inclui ainda US$ 15 milhões obtidos com vendas de DVDs e US$ 67,5 milhões arrecadados com itens licenciados como camisetas, brinquedos, travesseiros, perfume etc.

Segundo a revista britânica “Heat”, O One Direction fechou 2013 no topo da lista de britânicos mais ricos com menos de 30 anos, somando 59,33 milhões de libras.

A revista “Forbes” os incluiu, em janeiro de 2014, na lista de músicos mais ricos com menos de 30 anos, estimando que eles tenham ganhado pelo menos 25 milhões de libras apenas em 2013.

É difícil saber as quantias exatas, mas Liam Payne e Louis Tomlinson ganhariam ainda mais dinheiro do que Niall Horan, Zayn Malik e Harry Styles. Por serem autores de um número maior de músicas, eles têm direito a receber uma porcentagem maior sobre os direitos autorais.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de maio de 2014 em Música

 

Tags: , , , , , ,

Conheça números do One Direction: Discos, vídeos e (muito) dinheiro

AppId is over the quota
AppId is over the quota
Os integrantes do One Direction (Foto: Divulgação/T4F)Os integrantes do One Direction (Foto: Divulgação/T4F)

A história do One Direction começou quando Niall Horan, Zayn Malik, Liam Payne, Harry Styles e Louis Tomlinson perderam a sétima edição do programa “The X Factor”, em 2010. Mas foi também ali que ganharam Simon Cowell, criador do programa e dono da gravadora Syco Records, que os contratou imediatamente.

Pouco mais de três anos depois, eles já bateram recorde nas paradas da Billboard, venderam milhões de discos, lotaram estádios de futebol em todos os continentes e estão a caminho de se tornar a primeira boy band a ganhar US$ 1 bilhão. Segundo o site da empresa que os agencia, a Modest Management, o One Direction já vendeu mais de 20 milhões de singles, 11 milhões de álbuns e mais de um milhão de DVDs. Além disso, o documentário “One Direction: This is us” teria arrecadado US$ 67 milhões em bilheterias nos cinemas. Nada mal para uma banda onde o integrante mais velho tem pouco mais de 22 anos.

Nesta quinta (8), o One Direction faz seu primeiro show no Brasil, no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro. No final de semana, se apresenta nos dias 10 e 11 em São Paulo, no Estádio do Morumbi.

Veja abaixo alguns de seus impressionantes números.

Discos

Capa de 'Up all night', do One Direction (Foto: Divulgação)Capa de ‘Up all night’, do One Direction (Foto:
Divulgação)


O One Direction foi a primeira banda na história a ter seus três primeiros discos estreando direto no número 1 da Top 200 da Billboard. “Up all night” foi lançado em novembro de 2011 no Reino Unido e na Irlanda, chegando em março de 2012 aos EUA, onde vendeu 176 mil cópias apenas na primeira semana. O disco chegou ao primeiro lugar nas paradas de 17 países e encerrou 2012 como o terceiro álbum mais vendido do mundo, com 4,5 milhões de cópias.

Capa de 'Take me home', do One Direction (Foto: Divulgação)Capa de ‘Take me home’, do One Direction (Foto:
Divulgação)

“Take me home” foi lançado em novembro de 2012 e, apenas nos Estados Unidos, vendeu 540 mil cópias em sua primeira semana. Chegou ao topo das paradas em 37 países e foi o quarto disco mais vendido do mundo em 2012, com 4,4 milhões de cópias.

Capa de 'Midnight memories', do One Direction (Foto: Divulgação)Capa de ‘Midnight memories’, do One Direction
(Foto: Divulgação)

“Midnight memories” foi lançado em 25 de novembro de 2013, e alcançou a marca de 546 mil cópias em sua primeira semana nos Estados Unidos. Chegou ao primeiro lugar nas paradas de 31 países e, de acordo com a Federação Internacional da Indústria Fonográfica, fechou o ano como o disco mais vendido do mundo, com 4 milhões de cópias.

Turnês

Banner da 'Up all night tour', do One Direction (Foto: Divulgação)Banner da ‘Up all night tour’, do One Direction (Foto: Divulgação)

A “Up all night tour” começou em 18 de dezembro de 2011, em Watford (Inglaterra), e foi encerrada em 1 de julho de 2012, em Fort Lauderdale (EUA). Teve 60 shows, sendo 26 na Europa e 27 na América do Norte, além de passagens pela Austrália e Nova Zelândia.

Banner da 'Take me home tour', do One Direction (Foto: Divulgação)Banner da ‘Take me home tour’, do One Direction (Foto: Divulgação)

A “Take me home tour” começou em 23 de fevereiro de 2013, em Londres (Inglaterra) e acabou em 3 de novembro, em Tóquio (Japão). Seus 128 shows garantiram o décimo lugar na lista de turnês mais lucrativas do ano do site Pollstar, com US$ 114 milhões.

Banner da 'Where we are tour', do One Direction (Foto: Divulgação)Banner da ‘Where we are tour’, do One Direction (Foto: Divulgação)

A “Where we are tour” teve início no dia 25 de abril, em Bogotá (Colômbia) e tem seu encerramento previsto para 5 de outubro, em Miami (EUA). O número de shows ainda não é definitivo, já que a banda anunciou datas extras em vários países. Isso aconteceu, por exemplo, com o Brasil, onde foi marcada uma segunda data em São Paulo.

Vídeos

Cena do clipe de 'What makes you beautiful', do One Direction (Foto: Divulgação)Cena do clipe de ‘What makes you beautiful’, do One Direction (Foto: Divulgação)

O canal oficial do One Direction no Vevo/Youtube, criado em dezembro de 2010, tem pouco mais de 13 milhões de assinantes e chega a 2,795 bilhões de visualizações. O campeão de visualizações é o clipe de “What makes you beautiful”, com 514,352 milhões. O segundo colocado é “One thing”, com 317,481 milhões.

Cena do clipe de 'Best song ever', do One Direction (Foto: Divulgação)Cena do clipe de ‘Best song ever’, do One Direction (Foto: Divulgação)

Os vídeos mencionados acima estão entre os seis com mais de 200 milhões de acessos, seguidos por “Live while we’re young”, “Best song ever”, “Kiss you” e “Story of my life”. Outros três vídeos também já passam dos 100 milhões: “One way or another”, “Little things” e “Gotta be you”.

Redes sociais

Perfis do One Direction no Facebook, Google +, Vevo e Twitter (Foto: Divulgação)Perfis do One Direction no Facebook, Google +, Vevo e Twitter (Foto: Divulgação)

O perfil oficial da banda no Facebook tem 29,5 milhões de curtidas. No Twitter, eles são seguidos por 18,8 milhões de pessoas – e seguem 3,6 mil. O One Direction também tem um perfil no Google +, com 2,7 milhões de seguidores. Além, claro, do já mencionado canal no Vevo/Youtube, com 13 milhões de seguidores.

Dinheiro

Zayn Malik, Niall Horan, Liam Payne, Louis Tomlinson e Harry Styles, do One Direction (Foto: Divulgação/T4F)Zayn Malik, Niall Horan, Liam Payne, Louis Tomlinson e Harry Styles, do One Direction (Foto: Divulgação/T4F)

O site Businessinsider estimou, em agosto de 2013, que o One Direction pode se tornar a primeira boy band a valer US$ 1 bilhão. Considerando uma média de preços de ingressos, o site avalia que as três turnês podem somar mais de US$ 450 milhões. Quanto aos discos, as vendas podem chegar a US$ 300 milhões. A conta inclui ainda US$ 15 milhões obtidos com vendas de DVDs e US$ 67,5 milhões arrecadados com itens licenciados como camisetas, brinquedos, travesseiros, perfume etc.

Segundo a revista britânica “Heat”, O One Direction fechou 2013 no topo da lista de britânicos mais ricos com menos de 30 anos, somando 59,33 milhões de libras.

A revista “Forbes” os incluiu, em janeiro de 2014, na lista de músicos mais ricos com menos de 30 anos, estimando que eles tenham ganhado pelo menos 25 milhões de libras apenas em 2013.

É difícil saber as quantias exatas, mas Liam Payne e Louis Tomlinson ganhariam ainda mais dinheiro do que Niall Horan, Zayn Malik e Harry Styles. Por serem autores de um número maior de músicas, eles têm direito a receber uma porcentagem maior sobre os direitos autorais.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10 de maio de 2014 em Música

 

Tags: , , , , , ,

Pete Doherty diz que retorno dos Libertines ‘é por dinheiro’

AppId is over the quota
AppId is over the quota
The Libertines (Foto: Divulgação)Libertines (Foto: Divulgação)

O cantor Pete Doherty declarou que o retorno da banda Libertines, separada há quatro anos e que voltará a tocar no próximo dia 5 de julho como headliner no festival Barclaycard British Summer Time, em Londres, é apenas “por dinheiro”.

Após receber várias críticas pelas razões que teriam motivado esse retorno, Doherty, em entrevista à revista britânica “NME”, ressaltou que “tocar por dinheiro é algo que faz parte do espírito dos Libertines”.

O grupo, criado em 1997 e que também conta com Carl Barât, Gary Powell e John Hassall, se reuniu pela última vez em 2010, quando tocou no festival de Reading-Leeds, apresentação que serviu de base para um documentário sobre a banda.

Em entrevista à “NME”, Doherty relatou que, naquela ocasião, a banda recebeu muito pouco, após descontados os impostos, acrescentando que no próximo show, a ser realizado no Hyde Park, também espera ganhar um valor “desagregável”, já que, segundo seus cálculos, receberá US$ 850 mil.

O grupo londrino se separou em 2004, com apenas dois álbuns lançados, por conta das constantes brigas e dos problemas de Doherty com as drogas. Desde então, tanto Pete quanto Barât passaram a se dedicar a carreiras solo.

Antes da apresentação no Hyde Park, a banda deverá realizar alguns shows prévios – “talvez” com algum gratuito – e apresentará novo material. As entradas para o show dos Libertines serão postas à venda na sexta-feira (2), por um preço mínimo de 55 libras.

Por outro lado, a realização do festival, que reuniu mais de 350 mil pessoas em sua última edição e que também contará com Black Sabbath, Neil Young, Maximo Park e The Enemy, tem sido muito criticada pelos moradores dos arredores do Hyde Park, que opinam que os horários do parque serão afetados.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de maio de 2014 em Música

 

Tags: , , ,

‘Maços de dinheiro’ desfilam pelas ruas em campanha na Rússia

28/04/2014 h 14 51 – Atualizado em 28/04/2014 14 h 51

Desculpe, que eu não poderia ler o conteúdo fromt esta página.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Suíça investiga lavagem de dinheiro de fontes ligadas a Yanukovich

Vicktor Yanukovich foi deposto da presidência da Ucrânia (Foto: Gleb Garanich/Reuters)Vicktor Yanukovich foi deposto da presidência
da Ucrânia (Foto: Gleb Garanich/Reuters)

A Suíça abriu duas investigações de lavagem de dinheiro contra pessoas ligadas ao presidente ucraniano deposto Vicktor Yanukovich, publicou neste domingo (23) o jornal “Zentralschweiz am Sonntag”.

Um dos processos investiga duas pessoas do entorno do ex-líder, e o segundo é contra um “desconhecido”, explicou o promotor Michael Lauber em entrevista.

Pouco depois da cassação de Yanukovitch, a Suíça anunciou ter congelado fundos depositados um dos filhos do ex-presidente, Aleksandr, e de outras 18 pessoas, 11 delas antigos ministros de Yanukovich.

Semanas depois foram congeladas as contas de outros nove ucranianos, entre eles Victor, outro filho do presidente, e do ex-primeiro-ministro Nikolai Azarov.

As autoridades suíças congelaram todos os bens e recursos econômicos em nome dessas pessoas, que incluem ativos financeiros como depósitos bancários, cheques, letras de câmbio, títulos de dívida, obrigações, derivados e dividendos.

E especificaram que todos são acusados de violações dos direitos humanos e de evasão de capitais.

O Conselho Federal suíço especificou que se os fundos forem efetivamente de origem ilícita – e isto deve ser provado nos tribunais ucranianos – serão devolvidos a Kiev.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Papa critica ‘o poder, o luxo e o dinheiro’ e pede compartilhamento

Papa Francisco divulgou mensagem sobre comunicação no dia do padroeiro dos jornalistasa (Foto: Andreas Solaro/AFP)Papa Francisco em foto de 23 de janeiro (Foto:
Andreas Solaro/AFP)

O Papa Francisco voltou nesta terça-feira (4) a criticar o “o poder, o luxo e o dinheiro que se transformam em ídolos” e que impedem a “distribuição justa das riquezas” e convidou os católicos à sobriedade e a compartilhar.

É o que se lê na mensagem do Papa para a Quaresma – o período anterior à Semana Santa – que foi apresentado nesta terça pelo Vaticano e cujo tema principal é a pobreza material e espiritual.

“Quando o poder, o luxo e o dinheiro se transformam em ídolos, se antepõem à exigência de uma distribuição justa das riquezas. Portanto, é necessário que as consciências se transformem à justiça, à igualdade, à sobriedade e ao compartilhar”.

Além disso, Francisco expressou sua preocupação com a que chamou miséria moral, e que “consiste em se tornar escravo do vício e do pecado”.

“Quantas famílias vivem angustiadas porque algum de seus membros – frequentemente jovem – tem dependência do álcool, das drogas, do jogo ou da pornografia!”, lamentou o pontífice de Buenos Aires.

Francisco também denunciou que tantas pessoas “se vejam obrigadas a viver essa miséria por condições sociais injustas, por falta de um trabalho, o que lhes priva da dignidade que dá levar o pão a casa, por falta de igualdade e respeito aos direitos à educação e à saúde”.

“Nesses casos a miséria moral bem poderia se chamar suicídio incipiente. Essa forma de miséria, que também é causa de ruína econômica, sempre vai de mãos dadas com a miséria espiritual, que vivemos quando nos afastamos de Deus e rejeitamos seu amor”.

O Papa concluiu que “o Evangelho é o verdadeiro antídoto contra a miséria espiritual” e então pediu aos católicos “seguir e imitar Jesus, que foi em busca dos pobres e dos pecadores como o pastor com a ovelha perdida, e o fez cheio de amor. Unidos a Ele, podemos abrir com coragem novos caminhos de evangelização e promoção humana.”

Para o Papa, a Quaresma é adequada para “nos perguntarmos de que podemos nos privar a fim de ajudar e enriquecer outros com nossa pobreza.”

O pontífice destacou que, no entanto, que “a verdadeira pobreza dói” e que “não é válido um despojamento sem essa dimensão penitencial”.

“Desconfio da esmola que não custa e não dói”, afirmou.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , ,