RSS

Arquivo da tag: crescer

Sony conta com selfies para crescer em mercado de sensores de imagem

A Sonyestá contando com uma expansão dos smartphones e o apetite voraz do mercado por Megapixels, vitais para chamadas de vídeo e selfies de melhor qualidade, para sustentar o crescimento de dois dígitos na receita de seu negócio de sensores de imagem.

A tecnologia, tanto de câmeras quanto de sensores, é um dos três pilares sobre o qual a companhia está se apoiando para interromper a hemorragia em sua principal divisão de eletrônicos. A Sony também conta com os smartphones Xperia e os videogames PlayStation.

A empresa japonesa espera que as vendas de seus chips de sensores de imagem subam 16% no ano fiscal que se encerra em março, chegando a 360 bilhões de ienes (US$ 3,52 bilhões).

A Sony domina o segmento de sensores de imagem. Seus chips de ponta são o “filme” das principais câmeras tanto do iPhone 5S, da Apple, quanto do Galaxy S4, da Samsung, segundo uma análise aprofundada dos produtos.

A companhia tem feito poucos negócios envolvendo sensores de menor qualidade, normalmente usados nas câmeras frontais, disse Yutaka Okamoto, presidente da divisão de dispositivos da Sony.

Agora, no entanto, alguns fabricantes de smartphones estão melhorando suas câmeras frontais para usuários que querem autorretratos mais nítidos, e isso abriu todo um mercado novo para a Sony, segundo Okamoto.

A Sony está buscando expandir sua capacidade de produção de sensores no próximo ano com uma fábrica no norte do Japão. A empresa concordou em comprá-la da combalida fabricante de chips Renesas Electronics por um investimento total de 35 bilhões de ienes (US$ 342 milhões), incluindo novos equipamentos.

View the original article here

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em 25 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Receita de cloud deverá crescer 74% no Brasil em 2013

Projeções da Frost & Sullivan são de que os negócios com serviços na nuvem vão movimentar US$ 302 milhões este ano no País.

27 de fevereiro de 2013 – 18h45

Os negócios com cloud computing no Brasil vão crescer 74% em 2013 e gerar uma receita de 302 milhões de dólares. As projeções são de estudo apresentado hoje pela Frost & Sullivan, durante seminário, promovido em São Paulo, pelo jornal Valor Econômico.

Em entrevista ao jornal, Fernando Belfort, analista sênior da consultoria, destacou o aumento do interesse das empresas por esse modelo de compra de TI. Ele lembrou que há dois anos a principal barreira para contratação de aplicações na nuvem eram as questões de segurança, mencionadas por 87% dos CIOs. Hoje esse índice caiu para 72,7%, apontam estudos da Frost & Sullivan.

Outra preocupação dos líderes de TI para adesão do modelo é a infraestrutura de telecomunicação que, segundo Belfort, é um fator importante para impulsionar os negócios na nuvem brasileira.   

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 20 de junho de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Dropbox agora fala português e quer crescer presença no Brasil

Brasileiros fazem upload de 1 milhão de fotos por dia no serviço. Todas as versões do Dropbox foram traduzidas para a língua portuguesa

O post de hoje, 12/03, no blog oficial do Dropbox comemora a novidade com o título “Que legal! Dropbox is Now in Brazilian Portuguese”. E faz menção às chuvas torrenciais que a sua equipe enfrentou em São Paulo no último final de semana citando “Águas de Março”, de Tom Jobim. É o único post a ter duas versões: em inglês e em português.

A empresa, que oferece serviço gratuito de compartilhamento de documentos, fotos e vídeos, aposta no crescimento dos usuários locais e está lançando as versões em português de seus produtos para PC, Mac, internet e Android. A versão do aplicativo para iOS estará disponível em duas semanas também em português. “Estamos nos movendo para mercados que apresentam crescimento significativo. O Brasil é um país muito importante e já temos alguns milhões de usuários aqui”, diz Jon Ying, um dos mais antigos funcionários da Dropox (de número 3, mais precisamente) e um dos heads da área de usabilidade.

Segundo Jon Ying, os brasileiros são ávidos usuários do serviço, especialmente para armazenar e compartilhar fotos. “Os usuários do Brasil fazem upload de 1 milhão de fotos por dia”, diz Ying, comentando que esse movimento, durante o período do Carnaval, teve crescimento de 25%. O uso do serviço para armazenar imagens, no entanto, não é exclusividade do Brasil. Segundo Ying, 90% dos arquivos armazenados na plataforma Dropbox são fotos. Lembrando que, segundo dados da empresa, a cada 24 horas 1 bilhão de arquivos são armazenados no Dropbox mundialmente.

Mobilidade é outra plataforma importante para o investimento no país, já que a empresa está de olho na base instalada crescente de smartphones e tablets. “Serviços móveis  são fundamentais para a missão da Dropbox, de permitir que as pessoas tenham acesso a suas informações onde estiverem. O crescimento dos serviços móveis na América Latina é muito animador”, diz Lars  Fjedsoe-Nielsen, head de desenvolvimento de serviços para negócios móveis do Dropbox

A Dropbox também quer se aproximar dos desenvolvedores locais de aplicativos para facilitar o uso das suas ferramentas de desenvolvimento que permitem implementar recursos de salvar e compartilhar arquivos na nuvem sincronizados com o sistema da Dropbox. Segundo Anna-Christina Douglas, head de marketing de produto do Dropbox, milhares de desenvolvedores brasileiros já fizeram cadastro para usar a Sync API e pelo menos 100 aplicativos estão sendo finalizados aproveitando a conexão com os serviços de compartilhamento do Dropbox.

A equipe de funcionários da Dropbox que visita o Brasil vai se apresentar esta semana na Universidade de São Paulo (USP) para alunos de Engenharia. Segundo Anna-Christina, o Dropbox é ferramenta muito popular entre os estudantes da USP que, por exemplo, aderiram em massa ao desafio Dropbox Great Space Race e representaram 13,5 mil inscrições.

Com apenas 250 funcionários e 100 milhões de usuários distribuídos por 200 países, a Dropbox é uma das startups de cloud computing mais promissoras do Vale do Silício, na Califórnia. Fundada em 2007 por Drew Houston e Arash Ferdowisk, a startup recebeu investimentos de 257,2 milhões de dólares da Sequoia Capital, Accel Partners, Index Ventures, Benchmark Capital, Goldman Sachs, Greylock Partners, Institutional Venture Partners, RIT Capital Partners e Valiant Capital Partners.

O serviço básico do Dropbox é gratuito e oferece 2 GB de espaço para armazenar documentos. A grande vantagem do serviço são seus recursos de compartilhamento e visualização de documentos em qualquer lugar e em várias plataformas. a partir de 2 GB é possível optar por assinaturas pagas do serviço a partir de 9,99 dólares por mês.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de maio de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Compras mundiais de TI vão crescer 4,1% em 2013, diz Gartner

O investimento deverá atingir US$ 3,8 trilhões. Consumidores e empresas devem ser afetados pela economia global, mas grandes projetos vão se manter

Segundo nova previsão da empresa de análises de mercado Gartner, o investimento global em Tecnologia da Informação deverá crescer 4,1% emn 2013, gerando um total de 3,8 trilhões de dólares em vendas de produtos e serviços.

O Gartner acredita que consumidores e empresas devem ser afetados pela economia global, mas aposta que grandes projetos de TI não serão interrompidos ao longo do ano. Reduções nos investimentos em TI do governo norte-americano e a crise econômica em Chipre, por exemplo, “provocaram um sentimento de fragilidade mundial para empresas e consumidores que deve persistir”, diz o analista do Gartner, Richard Gordon.

“No entanto, os novos choques devem durar pouco e mesmo que provoquem algumas pausas em gastos específicos no caminho, iniciativas estratégicas de TI vão se manter”, diz Gordon.

Na lista do Gartner por segmento, a área de serviços de telecom deve crescer 2% este ano, respondendo por 1,69 trilhão, depois de ter caído 0,4% no ano anterior. A receita em queda da área de serviços de voz será ultrapassada pelo crescimento do consumo de serviços móveis de dados, segundo o Gartner.

O software corporativo também vai crescer no período, subindo o faturamento em 6,4% para 297 bilhões de dólares, comparado com um crescimento de 3,5% em 2012. Nessa área, software de bancos de dados, integração de dados e supply chain vão crescer mais agressivamente que operações de TI e sistemas operacionais, diz a empresa.

O investimento em serviços de TI cresce 5,5% em 2013, atingindo 918 bilhões de dólares, enquanto que o investimento em sistemas de data center deverá crescer 3,7% para 146 bilhões de dólares. ??O segmento de equipamentos digitais (devices) vai consumir 718 bilhões de dólares este ano, um crescimento de 7,9% sobre 2012.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de maio de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , ,

Dropbox agora fala português e quer crescer presença no Brasil

Brasileiros fazem upload de 1 milhão de fotos por dia no serviço. Todas as versões do Dropbox foram traduzidas para a língua portuguesa

O post de hoje, 12/03, no blog oficial do Dropbox comemora a novidade com o título “Que legal! Dropbox is Now in Brazilian Portuguese”. E faz menção às chuvas torrenciais que a sua equipe enfrentou em São Paulo no último final de semana citando “Águas de Março”, de Tom Jobim. É o único post a ter duas versões: em inglês e em português.

A empresa, que oferece serviço gratuito de compartilhamento de documentos, fotos e vídeos, aposta no crescimento dos usuários locais e está lançando as versões em português de seus produtos para PC, Mac, internet e Android. A versão do aplicativo para iOS estará disponível em duas semanas também em português. “Estamos nos movendo para mercados que apresentam crescimento significativo. O Brasil é um país muito importante e já temos alguns milhões de usuários aqui”, diz Jon Ying, um dos mais antigos funcionários da Dropox (de número 3, mais precisamente) e um dos heads da área de usabilidade.

Segundo Jon Ying, os brasileiros são ávidos usuários do serviço, especialmente para armazenar e compartilhar fotos. “Os usuários do Brasil fazem upload de 1 milhão de fotos por dia”, diz Ying, comentando que esse movimento, durante o período do Carnaval, teve crescimento de 25%. O uso do serviço para armazenar imagens, no entanto, não é exclusividade do Brasil. Segundo Ying, 90% dos arquivos armazenados na plataforma Dropbox são fotos. Lembrando que, segundo dados da empresa, a cada 24 horas 1 bilhão de arquivos são armazenados no Dropbox mundialmente.

Mobilidade é outra plataforma importante para o investimento no país, já que a empresa está de olho na base instalada crescente de smartphones e tablets. “Serviços móveis  são fundamentais para a missão da Dropbox, de permitir que as pessoas tenham acesso a suas informações onde estiverem. O crescimento dos serviços móveis na América Latina é muito animador”, diz Lars  Fjedsoe-Nielsen, head de desenvolvimento de serviços para negócios móveis do Dropbox

A Dropbox também quer se aproximar dos desenvolvedores locais de aplicativos para facilitar o uso das suas ferramentas de desenvolvimento que permitem implementar recursos de salvar e compartilhar arquivos na nuvem sincronizados com o sistema da Dropbox. Segundo Anna-Christina Douglas, head de marketing de produto do Dropbox, milhares de desenvolvedores brasileiros já fizeram cadastro para usar a Sync API e pelo menos 100 aplicativos estão sendo finalizados aproveitando a conexão com os serviços de compartilhamento do Dropbox.

A equipe de funcionários da Dropbox que visita o Brasil vai se apresentar esta semana na Universidade de São Paulo (USP) para alunos de Engenharia. Segundo Anna-Christina, o Dropbox é ferramenta muito popular entre os estudantes da USP que, por exemplo, aderiram em massa ao desafio Dropbox Great Space Race e representaram 13,5 mil inscrições.

Com apenas 250 funcionários e 100 milhões de usuários distribuídos por 200 países, a Dropbox é uma das startups de cloud computing mais promissoras do Vale do Silício, na Califórnia. Fundada em 2007 por Drew Houston e Arash Ferdowisk, a startup recebeu investimentos de 257,2 milhões de dólares da Sequoia Capital, Accel Partners, Index Ventures, Benchmark Capital, Goldman Sachs, Greylock Partners, Institutional Venture Partners, RIT Capital Partners e Valiant Capital Partners.

O serviço básico do Dropbox é gratuito e oferece 2 GB de espaço para armazenar documentos. A grande vantagem do serviço são seus recursos de compartilhamento e visualização de documentos em qualquer lugar e em várias plataformas. a partir de 2 GB é possível optar por assinaturas pagas do serviço a partir de 9,99 dólares por mês.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de maio de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Tráfego de dados móveis no mundo crescerá 50% até 2018

Aumento será impulsionado pelo acesso de vídeo pelos smartphones e tablets, aponta pesquisa global realizada pela Ericsson.

21 de novembro de 2012 – 17h49

O tráfego de dados pelos smartphones deverá registrar uma taxa de crescimento anual de cerca de 50% entre 2012 e 2018, impulsionado principalmente pelo uso do vídeo. A conclusão é do Relatório de Mobilidade, realizado pela Ericsson no mercado mundial.

A pesquisa mostra que o vídeo online é o maior propulsor dos volumes de tráfego móvel, constituindo 25%do total de acesso internet pelos e 40% das conexões via tablets, exigindo mais qualidade das redes sem fio.

O estudo mostra que até o fim de 2012 haverá no mercado mundial 6,6 bilhões e que esse número pulará para 9,3 bilhões de assinaturas móveis até o fim de 2018. Estes números não incluem assinaturas M2M (machine-to-machine).

A China sozinha foi responsável por cerca de 35% do número líquido de novas assinaturas durante o terceiro trimestre desse ano, com cerca de 40 milhões de novas linhas móveis. O Brasil adicionou 9 milhões. A somou 7 milhões de linhas e as Filipinas 5 milhões de usuários ativos.

Em geral, a participação móvel global chegou a 91% no terceiro trimestre de 2012, e as assinaturas de celulares agora somam 6,4 bilhões. As assinaturas móveis cresceram cerca de 9% entre um ano e outro, e 2%entre trimestres.

O total de assinaturas móveis na América Latina é atualmente de 676 milhões, e espera-se mais 230 milhões até 2018. Atualmente, a maioria (cerca de 80%) das linhas de celular da região em 2012 é 2G.

Avanço de 4G

Até 2018, no entanto, as tecnologias 3G deverão responder por mais assinaturas móveis, com cerca de 60%Além disso, com o 4G baseado em Long Term Evolution (LTE), sendo implementado por toda a região, a Ericsson prevê que dentro de seis anos essa tecnologia responderá por 10% (aproximadamente 90 milhões) de todas as assinaturas móveis.

Até a metade de 2012, estima-se que a cobertura 4G/LTE era oferecida a 455 milhões de pessoas em todo o mundo. Dentro de cinco anos, mais da metade da população mundial deverá se beneficiar da cobertura 4G/LTE.

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 8 de janeiro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

IFA 2012: Philips acredita em TVs inteligentes e ‘iluminadas’ para crescer no Brasil

Marca, que agora pertence à chinesa TPV Technology, diz que recurso Ambilight e aparelhos que rodam aplicativos serão diferenciais O trocadilho parece inevitável. Uma tecnologia que faz a TV emitir luz ao redor do aparelho, em harmonia com a cena exibida, é uma das principais apostas da Philips para iluminar seu caminho no Brasil e entrar para valer na disputa com as dominantes asiáticas Samsung, LG e Sony. “O Brasil deverá ser um de nossos três principais mercados até a Copa do Mundo”, disse ao IDG Now! o CEO da TP Vision, Martin de Vries.

O executivo da joint venture estabelecida em abril deste ano entre a holandesa Philips e a chinesa TPV Technology tem uma missão complicada pela frente: fazer a empresa crescer em um mercado com margens de lucro em queda e centrado na questão do preço. No entanto, ele está confiante que eventos como a Copa e as Olimpíadas serão motivadores para uma nova onda de compra de TVs de tela fina – tanto por quem ainda tem TV de tubo como os que desejam telas maiores.

E é aí que a Philips espera avançar com seu recurso diferencial, em um mercado em que qualidade de imagem é praticamente uma commoditie. “Vamos ampliar nossas linhas de TVs Ambilight e trazer mais modelos para o Brasil”, diz o holandês.

Na IFA 2012, a empresa apresentou suas novas famílias de televisores, que devem chegar ao mercado – Brasil incluído – nos próximos meses.

Entre os modelos, destaque para a série 9000, top de linha. O aparelho possui recursos que aumentam o contraste e a taxa de atualização da imagem (quanto maior, melhor). A inovação mais interessante é uma espécie de camada, chamada Moth Eye (olho de mariposa), sobre a tela, reduzindo drasticamente o reflexo da luz ambiente.

Segundo os executivos da empresa, essa tecnologia ainda é tão cara que somente a família 9000, com preços em torno de 2300 euros (no mercado europeu) a terá.

Vries reconhece que a competição no Brasil é duríssima. “Nos últimos anos, houve uma ‘erosão de preços'”, diz. De fato, a entrada com toda força das coreanas Samsung e LG fez os preços das TVs de tela fina despencar nos últimos anos. 

Por isso, de acordo com ele, um dos motivos para a parceria com a TPV é justamente poder ter acesso à capacidade produtiva chinesa e competir no fator preço. “Ganhamos muito em eficiência”, diz. No entanto, o executivo acredita que a marca e os diferenciais da Phlips permitem cobrar um “premium” pelos produtos.

Smart TVs
Outro foco da Philips está nas chamadas smart TVs, capazes de acessar a internet e rodar aplicativos.

Para Jordy Egging, diretor de produtos da empresa, ainda há muito espaço para essa nova geração. A penetração deste tipo de equipamento por aqui ainda é de apenas 18%, contra cerca de 75% nos mercados europeus desenvolvidos. “O crescimento da categoria depende essencialmente da penetração da banda larga”, explica. “Como isso vem se tornando mais comum no Brasil, será um processo natural”. Segundo ele, em poucos anos 80% do portfólio da empresa será de TVs “inteligentes”. Egging também acredita que a Philips pode brigar no segmento de consumidores focados em qualidade de imagem.”Temos muita tecnologia e vários prêmios nesse quesito”, afirma.

Já o badalado 3D não está tão em alta, pelo menos na visão da empresa. “É um recurso muito desejado, mas pouco usado”, admite o CEO Vries. Para ele, a falta de conteúdo e a questão dos óculos ainda são grandes barreiras.

Não a toa, a indústria corre para oferecer aparelhos 3D sem óculos. No entanto, de todas as soluções na IFA 2012 (inclusive da própria Philips), nenhuma se destacou – a imagem tem aspecto granulado e o ângulo de visão é mínimo.

“Ainda é muito caro, e as pessoas esperam a melhor imagem possível sempre”, diz Vries. “Por isso ainda não podemos levar esse tipo de produto ao mercado”.

Outro lançamento badalado na IFA 2012, as TVs com resolução 4K, também não causam rugas de preocupação no diretor Egging. “Vai levar anos para que haja conteúdo neste nível de definição”, afirma. Além disso, conteúdo 4K via internet consumiria tanta banda que pode levar ainda mais tempo para sua disseminação. “Por isso, acredito que ainda há uma boa vida útil para o Blu-ray”, argumenta.

Games na nuvem
Por falar em tendências, o CEO da TP Vision também acredita em jogos via cloud, usando a TV como plataforma, e nos aplicativos sociais (social apps) para mudar a forma como os consumidores interagem com as TVs.

“Nossos usuários de smart TVs logam-se duas vezes ao dia para usar os aplicativos”, afirma. “Isso mostra que estamos no caminho certo, porque no futuro todas as TVs serão assim”.

* o jornalista viajou a convite da TP Vision

View the original article here

This post was made using the Auto Blogging Software from WebMagnates.org This line will not appear when posts are made after activating the software to full version.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 16 de outubro de 2012 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,