RSS

Arquivo da tag: ceder

Google deve ceder dados de usuários à PF, decide Justiça do DF

O Google deve ceder dados cadastrais de usuários de seus serviços e os endereços de IP com que acessam suas ferramentas à Polícia Federal sempre que for solicitado, decidiu a Justiça Federal do Distrito Federal, por meio de uma liminar concedida pelo juiz Antonio Felipe Amorim Cadete, substituto da 12ª Vara Federal.

No texto da liminar expedida no dia 13 de janeiro, o magistrado afirma que solicitar esse tipo de informação é “compatível com a finalidade de investigação criminal”. Na prática, o juiz dispensa a necessidade de determinação judicial para que a empresa ceda os dados.

A decisão é uma resposta da Justiça ao pedido do Google, que entrou em 8 de janeiro com um pedido de habeas corpus para não cumprir a solicitação de um delegado da Polícia Federal de Brasília.

“A requisição de dados cadastrais às provedoras de internet não se submete à reserva de jurisdição, porquanto não estão abrangidos pelo sigilo constitucional das comunicações telefônicas”, escreve o juiz Antonio Felipe de Amorim Cadete.

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) comemorou. Para a entidade, a decisão é uma conquista que iré aumentar a eficiência da investigação criminal no Brasil.

Questionado pelo G1, o Google afirmou que respeita as leis brasileiras. “O Google segue a legislação vigente no país e fornece dados cadastrais de usuários sem a necessidade de ordem judicial quando a legislação assim determina.”

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 28 de janeiro de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Assad nega que ameaças dos EUA o pressionem a ceder controle de armas

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, disse que concorda em ceder o controle das armas químicas do país, por conta da proposta russa, mas negou que tenha sido pressionado pelas “ameaças” americanas.

Acompanhe a cobertura em tempo real.

“A Síria está colocando suas armas químicas sob controle internacional por causa da Rússia. As ameaças dos EUA não influenciam a decisão”, disse Assad à TV estatal Rpossiya-24, segundo a agência Interfax.

O presidente sírio também afirmou que vai entregar à ONU documentos sobre o arsenal químico do país, conforme previsto pelo plano russo.

A proposta da Rússia de que o regime sírio entregue suas armas químicas está sendo discutida diplomaticamente com os EUA, que aceitaram adiar um possível ataque militar às forças sírias por conta da negociação.

Os EUA acusam o regime sírio de ter realizado um ataque químico que matou pelo menos 1.429 civis, nos subúrbios de Damasco, em 21 de agosto.

O presidente americano, Barack Obama, anunciou que iria atacar as forças sírias em represália ao ataque químico. Mas ele resolveu dar tempo para analisar a proposta russa, apesar de a encarar com ceticismo.

O regime sírio nega responsabilidade pelo ataque químico e diz que é vítima de terroristas ligados à rede da Al-Qaeda, que tentam “desestabilizar” o país.

A guerra civil síria, que já dura 30 meses, matou pelo menos 110 mil pessoas, criou uma crise humanitária e de refugiados e ameaça a estabilidade política da região, além de ter revivido o fantasma da Guerra Fria, colocando Rússia e EUA em campos opostos.

EUA e Rússia negociam
O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, desembarcou nesta quinta em Genebra para tomar conhecimento dos detalhes dos planos da Rússia.

Autoridades dos EUA dizem que Kerry insistirá que o eventual acordo obrigue Damasco a tomar atitudes rápidas para mostrar a seriedade do seu compromisso, a começar pela apresentação de um inventário público e completo do arsenal a ser inspecionado e neutralizado.

Damasco nunca aderiu aos tratados que proíbem a posse de armas químicas, e nunca confirmou se as possuía. A Síria, no entanto, é signatária de uma convenção quase centenária que proíbe o uso de armas químicas.

Falando antes da reunião de Kerry com o chanceler russo, Sergei Lavrov, uma fonte oficial dos EUA disse, sob anonimato, que o objetivo do norte-americano é “ver se há realidade aqui ou não”.

As fontes dos EUA disseram ter a esperança de que Kerry e Lavrov definam os termos de uma proposta de resolução a ser votada nos próximos dias pelo Conselho de Segurança da ONU.

O presidente russo, Vladimir Putin, tradicionalmente apontado como um vilão pelos governos ocidentais por fornecer armas a Assad e evitar qualquer esforço da ONU para desalojá-lo do poder, publicou um artigo no “New York Times” manifestando oposição à intervenção militar.

Ele argumentou à opinião pública dos EUA que um ataque a Assad ajudaria combatentes da rede terrorista da Al-Qaeda que lutam ao lado da oposição síria. Segundo Putin, há “poucos paladinos da democracia” na Síria, “mas há mais do que suficientes combatentes da Al-Qaeda e extremistas de todos os tipos enfrentando o governo”.

A intervenção norte-americana, acrescentou, “aumentaria a violência e desencadearia uma nova onda de terrorismo”, além de possivelmente “abalar os esforços multilaterais para resolver o problema nuclear iraniano e o conflito israelo-palestino, e desestabilizar ainda mais o Oriente Médio e o Norte da África. Isso poderia desequilibrar todo o sistema do direito internacional.”

arte síria 3/9 (Foto: 1)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 13 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Síria não cederá nem com ‘terceira guerra mundial’, diz vice-ministro

A Síria não vai ceder diante da ameaça de ataques ocidentais, nem que isso provoque uma terceira guerra mundial, disse à France Presse o vice-ministro sírio de Relações Exteriores, Faisal Moqdad, às vésperas de um provável ataque americano ao país em guerra civil.

Acompanhe a cobertura em tempo real.

“O governo sírio não mudará sua posição. Nenhum sírio pode sacrificar a independência de seu país”, disse o vice-chanceler Moqdad, que garantiu que Damasco tomou todas as medidas para responder a uma possível agressão externa.

“Nenhum sírio pode sacrificar a independência de seu país.”

Segundo o vice-ministro, “os Estados Unidos e seus aliados se mobilizam para uma agressão contra a Síria”.

“Acredito que, de seu lado, a Síria tem o direito de mobilizar seus aliados e receber deles todo o tipo de apoio”.

Faisal Moqdad afirmou que Damasco tomou “todas as medidas” para responder a uma agressão externa.

Moqdad também disse que a posição da França em relação a seu país é vergonhosa.

Segundo ele, Paris está subordinada a Washington.

“É vergonhoso que o presidente francês diga: ‘Se o Congresso aprovar, vou à guerra, se não aprovar, não vou”, como se o governo francês não tivesse nada mais a dizer’, afirmou.

Aval do Congresso
O presidente dos EUA, Barack Obama, tenta obter aval no Congresso para uma ação militar contra o regime do presidente sírio Bashar al-Assad, acusado de usar armas químicas contra civis e rebeldes antigoverno na periferia de Damasco em um ataque em 21 de agosto.

O regime sírio nega o ataque, que atribui a “terroristas” ligados à rede terrorista da Al-Qaeda, que tentam desestabilizar o país.

O Conselho de Segurança da ONU não consegue aprovar uma resolução que prevê um ataque à Síria, pois Rússia e China, aliadas de Assad, usam seu poder de veto para barrá-la.

A guerra civil síria dura quase dois anos, já matou mais de 110 mil pessoas, destruiu boa parte da infraestrutura do país, gerou uma crise humanitária e de refugiados e ameaça a estabilidade do Oriente Médio.

arte síria 3/9 (Foto: 1)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Síria não cederá nem com ‘terceira guerra mundial’, diz vice-ministro

A Síria não vai ceder diante da ameaça de ataques ocidentais, nem que isso provoque uma terceira guerra mundial, disse à France Presse o vice-ministro sírio de Relações Exteriores, Faisal Moqdad, às vésperas de um provável ataque americano ao país em guerra civil.

Acompanhe a cobertura em tempo real.

“O governo sírio não mudará sua posição. Nenhum sírio pode sacrificar a independência de seu país”, disse o vice-chanceler Moqdad, que garantiu que Damasco tomou todas as medidas para responder a uma possível agressão externa.

“Nenhum sírio pode sacrificar a independência de seu país.”

Segundo o vice-ministro, “os Estados Unidos e seus aliados se mobilizam para uma agressão contra a Síria”.

“Acredito que, de seu lado, a Síria tem o direito de mobilizar seus aliados e receber deles todo o tipo de apoio”.

Faisal Moqdad afirmou que Damasco tomou “todas as medidas” para responder a uma agressão externa.

Moqdad também disse que a posição da França em relação a seu país é vergonhosa.

Segundo ele, Paris está subordinada a Washington.

“É vergonhoso que o presidente francês diga: ‘Se o Congresso aprovar, vou à guerra, se não aprovar, não vou”, como se o governo francês não tivesse nada mais a dizer’, afirmou.

Aval do Congresso
O presidente dos EUA, Barack Obama, tenta obter aval no Congresso para uma ação militar contra o regime do presidente sírio Bashar al-Assad, acusado de usar armas químicas contra civis e rebeldes antigoverno na periferia de Damasco em um ataque em 21 de agosto.

O regime sírio nega o ataque, que atribui a “terroristas” ligados à rede terrorista da Al-Qaeda, que tentam desestabilizar o país.

O Conselho de Segurança da ONU não consegue aprovar uma resolução que prevê um ataque à Síria, pois Rússia e China, aliadas de Assad, usam seu poder de veto para barrá-la.

A guerra civil síria dura quase dois anos, já matou mais de 110 mil pessoas, destruiu boa parte da infraestrutura do país, gerou uma crise humanitária e de refugiados e ameaça a estabilidade do Oriente Médio.

arte síria 3/9 (Foto: 1)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Síria não cederá nem com ‘terceira guerra mundial’, diz vice-ministro

A Síria não vai ceder diante da ameaça de ataques ocidentais, nem que isso provoque uma terceira guerra mundial, disse à France Presse o vice-ministro sírio de Relações Exteriores, Faisal Moqdad, às vésperas de um provável ataque americano ao país em guerra civil.

Acompanhe a cobertura em tempo real.

“O governo sírio não mudará sua posição. Nenhum sírio pode sacrificar a independência de seu país”, disse o vice-chanceler Moqdad, que garantiu que Damasco tomou todas as medidas para responder a uma possível agressão externa.

“Nenhum sírio pode sacrificar a independência de seu país.”

Segundo o vice-ministro, “os Estados Unidos e seus aliados se mobilizam para uma agressão contra a Síria”.

“Acredito que, de seu lado, a Síria tem o direito de mobilizar seus aliados e receber deles todo o tipo de apoio”.

Faisal Moqdad afirmou que Damasco tomou “todas as medidas” para responder a uma agressão externa.

Moqdad também disse que a posição da França em relação a seu país é vergonhosa.

Segundo ele, Paris está subordinada a Washington.

“É vergonhoso que o presidente francês diga: ‘Se o Congresso aprovar, vou à guerra, se não aprovar, não vou”, como se o governo francês não tivesse nada mais a dizer’, afirmou.

Aval do Congresso
O presidente dos EUA, Barack Obama, tenta obter aval no Congresso para uma ação militar contra o regime do presidente sírio Bashar al-Assad, acusado de usar armas químicas contra civis e rebeldes antigoverno na periferia de Damasco em um ataque em 21 de agosto.

O regime sírio nega o ataque, que atribui a “terroristas” ligados à rede terrorista da Al-Qaeda, que tentam desestabilizar o país.

O Conselho de Segurança da ONU não consegue aprovar uma resolução que prevê um ataque à Síria, pois Rússia e China, aliadas de Assad, usam seu poder de veto para barrá-la.

A guerra civil síria dura quase dois anos, já matou mais de 110 mil pessoas, destruiu boa parte da infraestrutura do país, gerou uma crise humanitária e de refugiados e ameaça a estabilidade do Oriente Médio.

arte síria 3/9 (Foto: 1)

Fonte E-farsas

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Síria não cederá nem com ‘terceira guerra mundial’, diz vice-ministro

A Síria não vai ceder diante da ameaça de ataques ocidentais, nem que isso provoque uma terceira guerra mundial, disse à France Presse o vice-ministro sírio de Relações Exteriores, Faisal Moqdad, às vésperas de um provável ataque americano ao país em guerra civil.

Acompanhe a cobertura em tempo real.

“O governo sírio não mudará sua posição. Nenhum sírio pode sacrificar a independência de seu país”, disse o vice-chanceler Moqdad, que garantiu que Damasco tomou todas as medidas para responder a uma possível agressão externa.

“Nenhum sírio pode sacrificar a independência de seu país.”

Segundo o vice-ministro, “os Estados Unidos e seus aliados se mobilizam para uma agressão contra a Síria”.

“Acredito que, de seu lado, a Síria tem o direito de mobilizar seus aliados e receber deles todo o tipo de apoio”.

Faisal Moqdad afirmou que Damasco tomou “todas as medidas” para responder a uma agressão externa.

Moqdad também disse que a posição da França em relação a seu país é vergonhosa.

Segundo ele, Paris está subordinada a Washington.

“É vergonhoso que o presidente francês diga: ‘Se o Congresso aprovar, vou à guerra, se não aprovar, não vou”, como se o governo francês não tivesse nada mais a dizer’, afirmou.

Aval do Congresso
O presidente dos EUA, Barack Obama, tenta obter aval no Congresso para uma ação militar contra o regime do presidente sírio Bashar al-Assad, acusado de usar armas químicas contra civis e rebeldes antigoverno na periferia de Damasco em um ataque em 21 de agosto.

O regime sírio nega o ataque, que atribui a “terroristas” ligados à rede terrorista da Al-Qaeda, que tentam desestabilizar o país.

O Conselho de Segurança da ONU não consegue aprovar uma resolução que prevê um ataque à Síria, pois Rússia e China, aliadas de Assad, usam seu poder de veto para barrá-la.

A guerra civil síria dura quase dois anos, já matou mais de 110 mil pessoas, destruiu boa parte da infraestrutura do país, gerou uma crise humanitária e de refugiados e ameaça a estabilidade do Oriente Médio.

arte síria 3/9 (Foto: 1)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de setembro de 2013 em Brasil

 

Tags: , , , ,