RSS

Arquivo da tag: agncia

Agência diz que gasto para limitar aquecimento será de US$ 44 trilhões

Usina solar tem capacidade de gerar energia que pode abastecer 140 mil moradias (Foto: Steve Marcus/Reuters)Investimento em energias limpas, como a solar, é
necessário para limitar aquecimento global, segundo
agência (Foto: Steve Marcus/Reuters)

A Agência Internacional de Energia (AIE) avalia em US$ 44 trilhões os investimentos necessários até 2050 para limitar o aquecimento climático e desenvolver energias limpas, indicou nesta segunda-feira (12) sua diretora-geral.

(Correção: quando foi publicada, esta reportagem errou ao afirmar que a estimativa da AIE de investimentos necessários para limitar o aquecimento climático e desenvolver energias limpas era de US$ 44 bilhões até 2050. Na verdade, o valor é de US$ 44 trilhões. A informação foi corrigida às 16h56.)

“Devemos agir, mas não estamos no bom caminho no momento”, lamentou Maria van der Hoeven em Seul, durante a apresentação do relatório bianual da AIE sobre este tema.

“A crescente utilização do carvão em nível mundial apaga os progressos no desenvolvimento das energias renováveis (…) É preciso mudar de direção”, declarou.

A AIE, uma organização que representa os países importadores de petróleo, defende um desenvolvimento acelerado de energias renováveis e de outras tecnologias que reduzam as emissões de CO2.

A agência parte do princípio de que os custos das energias limpas serão compensados no longo prazo pela economia feita em combustíveis fósseis, como o petróleo. No entanto, o custo da transição não para de aumentar, advertiu Van der Hoeven.

A AIE avalia agora em US$ 44 trilhões os investimentos necessários até 2050 para limitar o aquecimento no longo prazo do planeta em dois graus celsius. Este custo era estimado em 2012 em US$ 36 trilhões.

Mas, ao mesmo tempo, o cálculo da economia gerada não para de crescer: somaria US$ 115 trilhões até 2050, contra US$ 100 trilhões estimados em 2012. “Quanto mais esperarmos para a conversão de nossas fontes de energias, mais caro será” o processo, ressaltou Maria van der Hoeven.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de maio de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,

Papa Paulo VI será beatificado em outubro, diz agência

AppId is over the quota
AppId is over the quota

O Papa Paulo VI será beatificado em uma cerimônia marcada para 19 de outubro de 2014, ao final do sínodo dos bispos que será realizado no Vaticano, informaram nesta terça-feira (6) fontes próximas ao processo à France Presse.

O Vaticano não confirmou oficialmente a notícia, apesar de o Papa Francisco ter mencionado seu predecessores como exemplos de santidade para a Igreja Católica em inúmeras ocasiões.

O pontificado de Paulo VI durou entre 1963 e 1978.

De acordo com a agência de notícias italiana Ansa, a cura inexplicável de um feto, atribuída ao Papa Paulo VI, foi confirmada pela Congregação para as Causas dos Santos como um milagre para a sua beatificação.

Giovanni Battista Montini, nascido em 1897, tornou-se Papa em junho de 1963 com o nome de Paulo VI.

Foi ele quem conduziu até a conclusão o Concílio Vaticano II, iniciado por seu antecessor, João XXIII, que abriu a Igreja Católica para outras religiões e para a sociedade.

Ele tem sido frequentemente citado pelo Papa Francisco e sua obra é constantemente reavaliada.

Em 27 de abril, os Papas João Paulo II e João XXIII foram canonizados durante uma cerimônia presidida por Francisco na Praça de São Pedro.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 7 de maio de 2014 em Brasil

 

Tags: , , ,

Agência europeia quer ampliar vida útil das caixas-pretas

AppId is over the quota
AppId is over the quota

A Agência Europeia de Segurança Aérea (EASA) pediu nesta terça-feira (6) a ampliação de 30 a 90 dias do período de emissão de sinais submarinos das caixas-pretas dos aviões, para facilitar a localização no caso de acidente.

“As propostas de mudança pretendem aumentar a segurança, facilitando a localização da informação por parte das autoridades responsáveis por investigar acidentes”, afirma em um comunicado Patrick Ky, diretor da agência da União Europeia.

A questão retornou ao debate após a tragédia do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido desde 8 de março em algum ponto do Oceano Índico. Apesar das buscas intensas, não foram encontrados destroços da aeronave e não foram captados sinais das caixas-pretas.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 7 de maio de 2014 em Brasil

 

Tags: , , ,

Agência de armas químicas vai investigar uso de gás cloro na Síria

A agência global de armas químicas que supervisiona a destruição de arsenais tóxicos da Síria vai enviar uma missão de investigação ao país para esclarecer as alegações de rebeldes e ativistas sobre ataques com gás cloro, informou a entidade nesta terça-feira (29).

A Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), com sede em Haia, disse em comunicado que o governo sírio havia concordado em receber a missão e prometido fornecer segurança nas áreas sob seu controle.

Rebeldes que lutam contra o regime do presidente Bashar al-Assad disseram que o governo sírio tem usado gás cloro em ataques durante a guerra civil, que está entrando em seu quarto ano.

arte síria versão 15.04 (Foto: Arte/G1)

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de abril de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Agência de risco ameaça baixar a nota da Rússia por crise na Ucrânia

A agência de avaliação Standard & Poor’s baixou nesta quinta-feira para ‘negativa’ a perspectiva da nota da dívida da Rússia, em razão dos riscos ligados às sanções ocidentais contra Moscou após a anexação da Crimeia.

“O aumento dos riscos geopolíticos e a perspectiva de sanções econômicas (…) podem reduzir os fluxos de investimentos e aumentar a fuga de capitais, enfraquecendo assim o desempenho econômico da Rússia, já em deterioração”, explicou a agência em um comunicado.

Nota de risco (Foto: Editoria de Arte/G1)

O rating, ou nota de risco, é definido por agências internacionais e é uma referência para investidores sobre a “saúde financeira” e a possibilidade de não pagamento das dívidas e outras obrigações. Essa nota influencia o custo de se levantar dinheiro no mercado, já que se pode cobrar juros maiores porque o risco também é mais alto.

Moscou, que tem uma dívida pública relativamente baixa, é classificado como “BBB” pela S&P, considerado o nível mais baixo da categoria grau de investimento pelo mercado.

“Para nós, a situação geopolítica já teve um impacto negativo sobre a economia russa”, acrescentou a agência, indicando que a estimativa de fuga de capitais no primeiro trimestre de 2014 aumenta para cerca de US$ 60 bilhões, ou seja, o equivalente ao total durante todo o ano passado.

A União Europeia e os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira novas medidas de punição contra Moscou, que respondeu ratificando a integração da península da Crimeia e com sanções contra autoridades americanas.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Homem armado mata 6 funcionários e se suicida em agência na Turquia

Um homem armado matou nesta quarta-feira (19) seis funcionários de uma agência do instituto turco de estatística (TUIK) na cidade de Kars (nordeste) e depois se suicidou, indicaram os meios de comunicação turcos.

Segundo a rede de televisão NTV, o autor dos disparos é um ex-funcionário da agência demitido recentemente.

O indivíduo disparou contra seus antigos colegas e se suicidou com a mesma arma, disse a NTV.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Diretor de agência defende despejo de água de Fukushima ao mar

Água contaminada vazou de um grande tanque de armazenamento em Fukushima. (Foto: Tokyo Electric Power Co / via Reuters)Água contaminada fica em tanques em Fukushima.
(Foto: Tokyo Electric Power Co / via Reuters)

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, defendeu nesta segunda-feira (17) a realização de um “vazamento controlado” ao mar da água radioativa armazenada na usina nuclear de Fukushima.

A gestão do volume de líquido radioativo, que era utilizado para esfriar os reatores parcialmente fundidos da central e armazenado em mais de um milhão de tanques, é um dos principais desafios da fábrica.

“Despejar a água após tratá-la cuidadosamente é uma prática comum da comunidade internacional”, afirmou Amano em entrevista no Clube de Correspondentes Estrangeiros de Tóquio. Ele também destacou a recomendação que já transmitiu ao Japão de enviar uma missão de analistas do órgão.

“No entanto, é importante contar com a compreensão e o apoio das partes afetadas, neste caso, a prefeitura de Fukushima e os pescadores da região”, apontou o diretor-geral da AIEA, que insistiu que armazenar a água em contêineres não é “sustentável e não constitui uma solução de longo prazo”.

O plano divulgado pelo operador da central, Tokyo Electric Power (Tepco), e pelo governo do Japão é despejar a água após filtrá-la com um sistema projetado para retirar 62 tipos de materiais radioativos, exceto o trítio, isótopo que tem meia vida de, em média, 12 anos.

Demolição
Quanto ao prazo para desmontar a central, inicialmente estimado em 30 a 40 anos, Amano alertou que será necessário ter acesso aos núcleos fundidos, algo que até agora foi impossível, para avaliar realmente a duração do processo.

“Continuamos a insistir que o Japão deveria realizar a demolição com apoio internacional”, acrescentou.

Questionado sobre as informações que denunciaram as péssimas condições de segurança nas quais o pessoal terceirizado realiza os trabalhos de descontaminação em torno da usina, o diretor da AIEA se limitou a lembrar de que seu organismo “só fornece assistência técnica” e que isto é “responsabilidade do governo japonês e da Tepco”.

Amano também considerou que as novas regulações de segurança para as usinas nucleares no Japão, estabelecidas por causa do acidente de Fukushima “concordam, em linhas gerais, com os padrões da AIEA. Alguns aspectos, como a assistência a possíveis terremotos, estão entre os mais restritos do mundo”.

O governo do primeiro-ministro Shinzo Abe, que planeja reativar em breve os reatores, comprometeu-se a impulsionar a reativação das centrais que cumprirem com estas regulações, apesar de grande parte da opinião pública japonesa estar contra a posição.

Fonte G1

 
1 comentário

Publicado por em 18 de março de 2014 em Tecnologia

 

Tags: , , , ,