RSS

Arquivo da tag: acusa

Ucrânia acusa Rússia de minar a legitimidade do presidente eleito

AppId is over the quota
AppId is over the quota
Militantes pró-russos guardam um posto com uma bandeira russa na cidade ucraniana de Donetsk neste sábado (31) (Foto: Viktor Drachev/AFP)Militantes pró-russos guardam um posto com uma bandeira russa na cidade ucraniana de Donetsk neste sábado (31) (Foto: Viktor Drachev/AFP)

A Ucrânia acusou neste sábado (31) a Rússia de lançar uma campanha de propaganda internacional para justificar sua “agressão” no leste do país e para convencer as potências ocidentais a não reconhecer o vencedor da eleição presidencial, o oligarca pró-ocidental Petro Poroshenko.

Após os violentos combates no início desta semana no aeroporto internacional de Donetsk, os confrontos multiplicaram-se entre rebeldes pró-russos e as forças leais a Kiev no leste do país, onde duas equipes de observadores internacionais da OSCE ainda estão desaparecidas.

Moscou denuncia uma “operação punitiva” de Kiev e apela para o fim da operação militar lançada pela Ucrânia em 13 de abril, a fim de iniciar um diálogo com os separatistas.

“O Kremlin continua a fazer declarações baseadas na emoção e inventar informações a fim de apoiar a agressão russa”, denunciou o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Andrei Deshchitsia.

Esta “enorme campanha de informação” é “a última oportunidade para a Rússia tentar influenciar a opinião pública internacional”, disse o chanceler, em um artigo publicado no jornal de língua inglesa Kyiv Post.

O presidente russo, Vladimir Putin, reiterou nos últimos dias seu apelo aos líderes ocidentais para exortar Kiev a parar sua ofensiva no leste.

Para o ministro ucraniano, a Rússia tenta, desta forma, minar a legitimidade de Petro Poroshenko, eleito no primeiro turno da eleição presidencial de 25 de maio.

O oligarca pró-ocidental, apelidado de o “rei do chocolate”, se reunirá na quarta-feira (4) com o presidente dos Estados Unidos Barack Obama na Polônia, antes de participar nas cerimônias de comemoração do Desembarque na Normandia, em 6 de junho.

Moscou também acusou nesta sexta-feira (30) o Exército ucraniano de violar a Convenção de Genebra de 1949 sobre a proteção dos civis, ao utilizar de forma “voluntária” recursos militares para “matar civis”, e propôs fornecer “ajuda humanitária” aos separatistas do leste.

Confrontos esporádicos

“Fornecer armas de um lado e medicamentos do outro é, no mínimo, contraditório”, considerou o chefe da diplomacia ucraniana.

Embora a Otan tenha confirmado que a Rússia retirou dois terços de seus soldados estacionados na fronteira com a Ucrânia, Kiev ainda denuncia a presença de cidadãos russos entre os rebeldes.

Washington também expressou sua preocupação com a chegada de homens armados a partir da república russa da Chechênia.

Os separatista pró-russos reconheceram que a maioria das 40 vítimas dos combates no aeroporto de Donetsk eram de nacionalidade russa.

No “front do leste”, Kiev assegura ter ganhado terreno frente aos separatistas com sua ofensiva, que deixou mais de 200 mortos, entre soldados, separatistas e civis, desde meados de abril.

A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), por sua vez, indicou esta semana que perdeu contato com duas de suas equipes nesta região. Uma delas desapareceu na segunda-feira em Donetsk, enquanto a outra está desaparecida desde quinta-feira na região de Lugansk.

Na madrugada deste sábado, confrontos esporádicos foram registrados na região.

Em Donetsk, os separatistas atacaram duas vezes, sem sucesso, os soldados ucranianos que guardavam o aeroporto da cidade, informou à AFP um porta-voz do Exército ucraniano.

Os guardas de fronteira informaram, por sua vez, que três pessoas ficaram feridas em um ataque pró-russo contra uma unidades ucraniana na região de Lugansk.

Em relação ao conflito do gás, Kiev deu um primeiro passo na sexta-feira para solucionar a questão do abastecimento de gás russo ao pagar parte de sua dívida com a empresa estatal russa Gazprom.

Bruxelas acolherá novas negociações na segunda-feira para evitar a interrupção do fornecimento de gás, o que também poderia afetar a Europa.

View the original article here

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 31 de maio de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Governo chinês acusa EUA de elevar tensões no Mar do Sul da China

AppId is over the quota
AppId is over the quota

O Ministério de Relações Exteriores chinês acusou nesta sexta-feira (9) os Estados Unidos de alimentar as tensões no Mar do Sul da China, disputado por vários países, ao estimular nações da região a adotar comportamento perigoso. A afirmação se seguiu ao aumento da tensão entre a China e as Filipinas e o Vietnã.

Esta semana a China acusou o Vietnã de colidir intencionalmente com seus navios no Mar do Sul da China, depois que o governo vietnamita garantiu que embarcações chinesas usaram canhões d’água e bateram de propósito em oito de suas embarcações no fim de semana, perto de uma plataforma de petróleo.

Os EUA vêm qualificando a atitude da China de implantar a plataforma como “provocativa e de pouca ajuda” para a segurança na região e pedem contenção de todos os lados.

O porta-voz do Ministério de Relações exteriores da China, Hua Chunying, repetiu que as águas onde a plataforma está situada, no entorno das ilhas Paracel, são território chinês e que nenhum outro país tem o direito de interferir.

View the original article here

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10 de maio de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , ,

Arábia Saudita acusa o mundo de traição aos rebeldes sírios

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita acusou nesta terça-feira (25) a comunidade internacional de ter “traído” a rebelião síria, que não tem armas na guerra contra o regime do presidente Bashar al-Assad.

“A resistência síria legítima tem sido traída pela comunidade internacional, que a transformou em uma presa fácil”, declarou o príncipe Salman Ben Abdel Aziz na abertura, no Kuwait, da reunião anual da Liga Árabe.

A Arábia Saudita apoia os rebeldes que tentam derrubar, há três anos, o regime de Damasco.

arte síria versão 18.02 (Foto: Arte/G1)

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 26 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Afeganistão acusa serviços secretos do Paquistão de ataque a hotel

O governo afegão acusou abertamente nesta terça-feira (25) os serviços secretos paquistaneses de envolvimento na preparação do atentado contra o hotel Serena de Cabul, que deixou nove mortos, incluindo um jornalista da AFP.

“A investigação realizada após o dramático incidente revelou que os serviços secretos paquistaneses estavam envolvidos na preparação do atentado”, afirmam os serviços secretos afegãos (NDS) em um comunicado.

A presidência afegã já havia acusado no domingo (23) os “serviços secretos estrangeiros” de estarem por trás deste ataque, sem citar diretamente o Paquistão. O Conselho Nacional de Segurança (NSC) afegão, presidido pelo presidente Hamid Karzai, também garantiu que um diplomata paquistanês foi visto filmando os corredores do hotel antes do ataque realizado na noite de quinta-feira por quatro homens armados.

A porta-voz do ministério das Relações Exteriores paquistanesa, Tasnim Aslam, rejeitou na segunda-feira estas insinuações. “É muito perturbador ver que o Paquistão é alvo de tentativas que buscam envolvê-lo neste ato de terrorismo”, declarou.

O governo afegão acusa regularmente o Paquistão, que foi o primeiro apoio dos talibãs quando estiveram no poder (1996-2001) e onde muitos deles se refugiaram após a queda de seu regime, de apoiar sua atual rebelião para defender seus interesses estratégicos na região, o que Islamabad nega.

Nove pessoas morreram no atentado da noite de quinta-feira contra o hotel Serena, o mais luxuoso de Cabul, entre elas duas canadenses que trabalhavam para a fundação Agha Khan e um ex-diplomata paraguaio do organismo americano NDI, Luis María Duarte, assim como o jornalista da AFP Sardar Ahmad, sua esposa e dois de seus filhos.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 26 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Ucrânia acusa Rússia de ocupar estação de gás

 Dezenas de soldados russos desembarcaram em uma região ucraniana na fronteira com a Crimeia neste sábado (15) e tomaram uma usina de gás, informou o governo da Ucrânia.

De acordo com o relato do ministério das Relações Exteriores do país, mais de 60 soldados russos tomaram a vila de Strilkove, apoiados por três blindados e quatro helicópteros. O vilarejo fica em território ucraniano, a leste da região autônoma da Crimeia, ocupada por forças russas.

Segundo a guarda da fronteira ucraniana, os soldados russos afirmaram que estavam “guardando [a estação de gás] contra possíveis ataques terroristas”. “Até agora, não há ameaça de confronto”, afirmou um dos agentes ucranianos de fronteira.

Mais cedo, o ministro da Defesa havia despachado tropas para Arbatskaya Strelka, a fim de repelir a incursão russa imediatamente. Segundo a chancelaria ucraniana, a vila foi ocupada pelas forças russas. “O ministro está tornando pública a incursão russa e pede a retirada imediata das forças armadas da Rússia do território da Ucrânia”, afirmou.

A Crimeia se tornou o foco da atenção da diplomacia internacional nas últimas semanas com uma escalada militar russa e ucraniana na região. As tensões separatistas da região, de maioria russa, se tornaram mais acirradas com a deposição do presidente ucraniano Viktor Yanukovich – o que levou a Rússia a aprovar o envio de tropas para “normalizar” a situação.

A medida só piorou as relações entre Ucrânia e Rússia, gerando grande perigo para a região. Neste domingo, a região ucraniana autônoma da Crimeia votará um referendo para decidir se irá se emancipar da Ucrânia. O parlamento russo já deu aval ao país para anexar a região.

new WM.Player( { videosIDs: “3215857”, sitePage: “g1/mundo/videos”, zoneId: “110461” } ).attachTo($(“#3215857”)[0]);

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 16 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,

Chanceler acusa John Kerry de ser ‘assassino do povo venezuelano’

O chanceler venezuelano, Elías Jaua, classificou o secretário de Estado americano John Kerry de ser “o assassino do povo venezuelano” ao acusá-lo de incentivar a onda de protestos que sacode a Venezuela há mais de um mês e que deixou 28 mortos e quase 400 feridos.

“Não vamos baixar o tom, denunciamos você como um assassino do povo venezuelano, senhor Kerry”, disse Jaua em um inflamado discurso em Caracas, no qual rejeitou as pressões dos Estados Unidos contra o governo venezuelano.

“Cada vez que estamos a ponto de isolar e reduzir os violentos, Kerry faz declarações e imediatamente começam as confusões – barricadas em chamas – nos principais focos de violência. Na quarta-feira, ele fez declarações e à noite tivemos mais mortos, incluindo um capitão da Guarda Nacional Bolivariana (GNB)”, acrescentou.

Kerry falou na quarta-feira que Washington estaria preparado para impor sanções contra a Venezuela, apesar de insistir em defender um esforço interamericano para impulsionar uma solução para a crise originada por uma onda de protestos contra o governo de Nicolás Maduro.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 16 de março de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , ,