RSS

Coreia do Norte manda prisioneiro americano para campo de trabalho

08 fev

Kenneth Bae em 20 de janeiro de 2014 (Foto: Reuters/Kyodo/Files)Kenneth Bae em 20 de janeiro de 2014
(Foto: Reuters/Kyodo/Files)

A Coreia do Norte enviou o prisioneiro americano de origem sul-coreana Kenneth Bae, cujo nome de batismo é Bae Joon-ho, de volta para um campo de trabalho após ele ter ficado hospitalizado por um longo período, informou nesta sexta-feira (7) o Departamento de Estado dos Estados Unidos, que pediu mais uma vez a sua libertação.

Bae, de 45 anos, foi detido em novembro de 2012 e condenado no dia 30 de abril do ano passado pela Suprema Corte norte-coreana a 15 anos de trabalhos forçados por violar o artigo 60 da Constituição do país, que faz referência a crimes com o objetivo “de derrubar o regime”.

Apesar de o delito nunca ter sido especificado pela Coreia do Norte, sabe-se que Bae, que trabalhava como operador de turismo em uma cidade na fronteira com a China e também era um missionário cristão, entrou na zona econômica especial norte-coreana de Rason (nordeste) junto com cinco turistas no início de novembro de 2012.

“Estamos muito preocupados, pelo retorno de Bae ao campo de trabalho.Também estamos muito preocupados com sua saúde, por isso pedimos mais uma vez uma anistia especial e sua imediata libertação”, disse em comunicado a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki.

Bae sofre problemas de saúde crônicos e por isso foi hospitalizado, segundo sua irmã Terri Chung, que foi citada por vários meios da imprensa americana.

Diplomatas da embaixada da Suécia na Coreia do Norte, que representa os interesses americanos no país asiático, se reuniram dez vezes com Bae desde a sua prisão, a última nesta sexta-feira no campo de trabalho para o qual foi enviado, informou o Departamento de Estado.

O presidente dos EUA, Barack Obama, pediu sua libertação ontem durante a realização anual do chamado “National Breakfast Prayer” (‘Café da Manhã Nacional de Orações’).

Obama pediu para que “não esqueçamos os americanos de fé que são perseguidos” na atualidade e mencionou Bae: “Sua família o quer em casa e os Estados Unidos continuarão fazendo o possível para conseguir sua libertação, porque Kenneth Bae merece ser livre”, prometeu.

O Departamento de Estado voltou a cogitar nesta sexta a possibilidade de que o diplomata Robert King, enviado especial dos EUA para Coreia do Norte, vá até Pyongyang para facilitar os trâmites da libertação de Bae.

Em agosto do ano passado, a Coreia do Norte cancelou, no último momento, um convite similar para King, com o argumento de que os Estados Unidos fizeram “provocações militares” contra o país comunista.

Em um incomum comparecimento diante da imprensa no último dia 20 de janeiro, Bae manifestou seu desejo de ser libertado o mais rápido possível para retornar a sua família nos EUA, informou na época a agência japonesa “Kyodo”.

Fonte G1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 8 de fevereiro de 2014 em Brasil

 

Tags: , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: