RSS

NSA teria capacidade de quebrar criptografia usada na web, diz jornal

09 set

A Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) e o GCHQ, o serviço de inteligência britânico, teriam capacidade para quebrar a segurança de boa parte das comunicações transmitidas pela internet. A informação está em documentos vazados ao jornal “The Guardian” por Edward Snowden , ex-colaborador terceirizado da NSA.

Além do “The Guardian”, o jornal “New York Times” e o site “ProPublica” também publicaram artigos sobre as revelações contidas nos documentos. De acordo com o “The Guardian”, oficiais de inteligência pediram aos jornais que o artigo não fosse publicado. Em resposta, alguns trechos teriam sido removidos das reportagens.

Os documentos revelam que a NSA e o GCHQ trabalham juntos em um programa que tem custado US$ 250 milhões (R$ 581 milhões) por ano e que tem como objetivo decodificar dados protegidos com criptografia, procedimento que impede a leitura de informações interceptadas.

O programa teria sido criado após o fracasso da NSA em garantir que todas as tecnologias de criptografia tivessem uma “porta dos fundos” para o uso da agência.

O programa é composto por iniciativas de quebra dos algoritmos de segurança com o uso de supercomputadores. É uma área conhecida como “criptoanálise”.

Além disso, a NSA também conta com a cooperação de empresas, que forneceriam as chaves de segurança após pedidos judiciais para que as comunicações interceptadas possam ser lidas. Outra medida seria a invasão dos sistemas de empresas de internet para o roubo dos certificados de segurança para esse mesmo fim.

Os documentos não informam quais empresas seriam colaboradoras ou o nome de tecnologias específicas que já teriam sido quebradas pela NSA.

Em uma entrevista ao “The Guardian” em junho, Edward Snowden disse que a NSA não era capaz de quebrar certos algoritmos de criptografia, mas que nesses casos a Agência tirava proveito de falhas nos próprios sistemas para interceptar a comunicação já decodificada, não os dados codificados em transmissão.

Segundo os documentos, a NSA estaria competindo nessa área com outras potências, entre as quais a China e a Rússia. “No futuro, as superpotências existirão ou não com base na força de seus programas de criptoanálise. É o preço da entrada dos Estados Unidos para manter acesso e uso irrestrito do ciberespaço”, diz um dos documentos, datado de 2007.

View the original article here

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 9 de setembro de 2013 em Tecnologia

 

Tags: , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: